Planta de Coca (Erythroxylum coca): Potenciais Benefícios e Efeitos Colaterais

As folhas de coca provêm da planta Erythroxylum coca e, embora sejam a fonte da cocaína, não devem ser confundidas com a droga.

Mastigar as folhas de coca é um hábito tradicional dos sul-americanos e um remédio local para tratar o mal da montanha (também chamada doença das alturas) e as dores de estômago, aliviar a fome e produzir anestesia.

Continue a ler o artigo para descobrir se esses benefícios são suportados pela ciência.

Planta De Coca (Erythroxylum Coca)

Introdução

A Erythroxylum coca, comummente conhecida como planta de coca, cresce de forma selvagem em toda a América do Sul, incluindo a Bolívia e o Peru (1, 2).

Evidências arqueológicas mostram que a planta foi cultivada na região há, pelo menos, 3.000 anos atrás (3).

Era considerada uma planta sagrada pelos incas e, segundo reza a lenda, tinha a capacidade de aumentar a força e o vigor, diminuindo a dor e o sofrimento.

A coca ainda faz parte da cultura andina, sendo usada sobretudo para aumentar a capacidade de trabalho, diminuir a fadiga e aliviar a sede e a fome (4).

Contudo, não restam dúvidas de que é conhecida essencialmente por um dos seus componentes – a cocaína (5).

Os potenciais benefícios da coca são difíceis de avaliar em profundidade, dada a falta de interesse médico e de investigações sobre a planta, desde que se isolou a cocaína.

Nos dias que correm, a ciência continua concentrada na compreensão da cocaína, em detrimento de muitos outros compostos ativos que podem ser encontrados na planta (6).

No entanto, há evidência de que as folhas da planta podem ajudar a combater o mal da montanha, a diminuir a fome e a aliviar a dor (7, 8, 9).

Componentes

A cocaína é o principal composto alcalóide encontrado na erva. Em média, a planta inteira contém 0,6% de cocaína nas suas folhas secas (10, 11, 12).

Porém, a planta possui mais de uma dúzia de outros compostos alcalóides, tais como a benzoilecgonina, a ecgonina, a tropacocaína, a higrina, a cuscohigrina e a nicotina (13, 14).

Além dos alcalóides, as suas folhas também contêm (15, 16):

  • Proteínas
  • Hidratos de carbono
  • Fibras
  • Minerais (ferro, fósforo, cálcio, zinco, magnésio)
  • Vitaminas (vitamina A, vitamina B2, vitamina D, vitamina E)

Mecanismo de Ação

A planta poderá diminuir o apetite por:

Aumento dos níveis de glicose no sangue, pois previne a sua utilização como fonte de energia (glicólise) (17, 18, 19, 20).

O efeito anterior ajuda diminuir a sensação de fome e também poderá resultar na diminuição dos níveis de insulina no sangue (21).

A planta é capaz de melhorar a resistência/desempenho físico por:

Aumento dos níveis de ácidos gordos livres e utilização dos mesmos como fonte de energia (22, 23).

Aumento dos níveis de adrenalina e de noradrenalina (24, 25).

Diminuição do volume sanguíneo, aumentando assim a percentagem de hemácias (hematócrito) e os níveis de hemoglobina (26, 27, 28).

Estes efeitos podem contribuir para melhorar resistência física. No entanto, a diminuição do volume sanguíneo também provoca aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial (29, 30, 31).

A erva também poderá melhorar o humor pois:

Os seus compostos alcalóides, incluindo a cocaína (que afeta os neurónios cerebrais) atuam como antidepressivos naturais (32).

A cocaína bloqueia as sinapses normais de dopamina, de serotonina e de norepinefrina, fazendo com que estes neurotransmissores se acumulem no cérebro, gerando uma melhoria do humor (33).

Além de tudo isto, a coca poderá ajudar a combater o mal das montanhas porque os alcalóides da planta, incluindo a cocaína, suprimem os sintomas provocados pelo aumento dos níveis de glóbulos vermelhos (policitemia), que ocorre a altas altitudes.

Os sintomas do aumento dos níveis de glóbulos vermelhos incluem tonturas, dor de cabeça, fadiga e fome (34).

Benefícios da Coca para a saúde

Conheça Os Benefícios Das Folhas De Coca (Erythroxylum Coca) Para A Saúde

Poderá Ajudar a Combater o Mal da Montanha (Doença das Alturas ou hipobaropatia)

Tradicionalmente, as folhas da planta têm sido usadas para reduzir os efeitos colaterais das altitudes elevadas, tais como a escassez de oxigénio, a hipotermia, as dores de cabeça, a fadiga e a fome (35, 36, 37, 38).

Um estudo de 12 dias, controlado por placebo e realizado em 24 alpinistas de elevadas altitudes a caminho do acampamento base do Monte Evereste (subida dos 2400m/ 8,000 pés até aos 5400 m/17,600 pés), mostrou que as folhas de coca são eficazes na redução dos sintomas subjetivos do mal da montanha, incluindo as náuseas, as dores de cabeça e a dificuldade em respirar.

A saturação de oxigénio também sofreu uma melhoria (39).

Um estudo piloto realizado em 10 adultos submetidos a 2 horas e meia de exercício, a uma altitude de 2.700m, demostrou que mascar folhas da erva aumenta os níveis de glicose no sangue.

Ao que parece, o organismo dos indivíduos testados deixou de utilizar a glicose (glicólise), passando a recorrer aos ácidos gordos. Esta troca pode melhorar o desempenho físico a altitudes elevadas (40).

Uma das adaptações que ocorre no organismo, devido às altitudes elevadas, é o aumento dos níveis de glóbulos vermelhos (policitemia), em resposta ao menor fornecimento de oxigénio.

Esse aumento pode provocar tonturas, dores de cabeça, fadiga e fome. Os componentes alcalóides na planta, incluindo a cocaína, têm a capacidade de suprir esses sintomas. Acresce que a cocaína poderá inclusivamente reduzir a produção de células sanguíneas (41, 42).

Num estudo realizado durante a década de 1970, 14 homens foram expostos a um teste de stress ao frio moderado (a 15 graus Celsius), enquanto mascavam folhas de coca.

Posteriormente, compararam-se as suas respostas com os resultados obtidos por cada um sem mascar as folhas da planta.

Constatou-se que a utilização da coca induziu um declínio mais gradual da temperatura do núcleo corporal. Esta melhoria na conservação do calor também poderá ajudar a combater o mal das montanhas (43).

Poderá Diminuir a Sensação de Fome

Folhas Da Planta De Coca (Erythroxylum Coca)

As folhas contêm vários compostos alcalóides, que provocam uma ausência temporária de apetite (44).

As suas folhas também aumentam os níveis de glicose no sangue para valores acima dos níveis habituais durante o jejum, o que limita a sensação de fome.

Este efeito foi demostrado em seres humanos e em animais (45, 46, 47, 48).

Estudos realizados em animais mostraram que os extratos de folha de coca diminuem o consumo de alimentos nos ratos (49, 50).

A cocaína é conhecida por induzir uma sensação de plenitude que é controlada por ação da dopamina em diferentes regiões do cérebro (nucleus accumbens) (51).

Curiosamente, um outro estudo realizado em animais demonstrou que as folhas previnem o aumento de peso, apesar de se acompanharem de um aumento do consumo de alimentos nos ratos (52).

Poderá Melhorar o Desempenho Físico

As folhas podem ser usadas como energizantes para a atividade física (53).

Contudo, os resultados dos estudos são contraditórios, tanto em relação à eficácia como em relação aos mecanismos de ação.

Um estudo piloto realizado em 14 adultos, durante 2 horas e meia, provou que a mastigação da coca induz o organismo a cessar a utilização de glicose (glicólise) para passar a metabolizar as gorduras (lipólise).

Esta alteração metabólica proporcionou benefícios durante e após a atividade física (54).

Um outro estudo piloto, com duração de 1 hora, revelou que os mastigadores de coca durante o exercício possuíam níveis mais elevados de adrenalina no sangue, utilizavam mais gordura e a sua absorção de oxigénio aumentava mais lentamente que nos não mastigadores.

Isto poderá ser uma explicação para a sua maior resistência (55).

Um estudo de 1 hora, realizado em 21 adultos, permitiu concluir que as folhas da planta aumentam os níveis de ácidos gordos livres, o que poderá melhorar o desempenho físico.

No entanto, estes dados não se acompanharam de um aumento da eficácia do exercício nem da capacidade (56).

De forma semelhante, uma experiência realizada em 12 adultos, durante 1 hora, mostrou que as folhas da erva aumentam os níveis de glicose, a frequência cardíaca e a absorção de oxigénio.

Porém, não conseguiram aumentar a tolerância física (57).

Numa experiência feita com 23 homens, mascar coca aumentou a frequência cardíaca e diminuiu a utilização de oxigénio pelos músculos, durante a realização de exercício físico.

Embora se tenham verificado algumas melhorias em relação ao grupo de controlo, os resultados não foram conclusivos (58).

Outro estudo de 1 hora comparou os resultados de 12 adultos mastigadores de coca com 12 não mastigadores. Os resultados demonstram que a mastigação de coca diminui o volume de sangue, em repouso, mas aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial, durante a realização de exercício (59).

Da mesma forma, um ensaio clínico aleatorizado de 1 mês, que contou com a participação de 16 adultos, provou que a mastigação de coca antes do exercício físico reduz o volume sanguíneo mas aumenta a frequência cardíaca, durante a realização do exercício (60).

Poderá Aliviar a Dor

Tradicionalmente, as folhas da planta eram utilizadas para produzir anestesia local e analgesia, para aliviar as dores de barriga, para tratar as dores de dentes e as feridas bucais (61, 62, 63, 64, 65).

Num estudo realizado em animais, a cocaína e outros compostos alcalóides da folha de coca induziram anestesia local em ratos (66).

Na realidade, a cocaína é por vezes utilizada como um agente anestésico para certos procedimentos cirúrgicos.

Ela inibe os canais de sódio, o que diminui a condução do impulso nervoso e a dor neuropática (67, 68, 69, 70).

Outros

Os benefícios aqui enumerados foram referidos na literatura médica mas ainda não existem estudos científicos sobre eles:

As folhas da planta podem ser usadas em vez do café como estimulante e energizante (71).

Elas podem ser utilizadas como um tónico para as cordas vocais, sobretudo por cantores profissionais e oradores. Antigamente, era utilizada pelos Incas para anestesiar as suas gargantas e evitar a dor de garganta provocada pelo pó (72, 73).

Estas folhas medicinais podem atuar como antidepressivo e melhorar o humor (74).

Segurança e Efeitos Colaterais

Mastigar as folhas pode provocar (75):

  • Formigueiro nos lábios
  • Náuseas
  • Dores de estômago
  • Mau humor

Ao contrário de outros hábitos de mastigação, como o tabaco, as folhas de coca não provocam danos no ADN.

No entanto, elas causam outros tipos de lesões celulares. Tais efeitos foram demostrados por um estudo realizado às células de 45 mastigadores regulares de coca e 23 controlos (76).

Os Utilizadores de Coca dão Positivo nos Testes de Consumo de Cocaína

O chá de coca contém cocaína e outros alcalóides relacionados com a cocaína. Assim, as pessoas que consumem chá da planta poderão dar positivo num teste toxicológico de consumo de cocaína (77).

Um estudo de 36 horas, realizado em 5 adultos, comprovou que o consumo de chá da planta resulta em testes de urina positivos para a cocaína (78).

A Pasta de Coca é Viciante e Perigosa

A pasta da planta é um extrato obtido a partir das folhas que contém 40% a 91% de cocaína. É altamente viciante e pode provocar paranoia, psicose, alucinações e até mesmo a morte (79).

Considerações Legais

As folhas e os seus extratos são ilegais nos EUA e na maioria dos países ocidentais (80). No entanto, o chá de coca é legal na Colômbia, no Peru, na Bolívia, na Argentina, no Equador e no Chile.

Nos EUA, o chá só é legal na forma descocainizada (não contem cocaína).

Limitações e Advertências

Existe um número muito limitado de estudos sobre os benefícios da “planta medicinal”. A maioria dos poucos estudos que existem são baseados em notas pessoais e em documentos históricos, em vez de ensaios clínicos.

Além disso, os poucos ensaios clínicos efetuados contaram com um número limitado de participantes e algumas das suas conclusões são discutíveis. A maioria deles foram também realizados há várias décadas.

É necessário fazerem-se mais estudos sobre os benefícios e os efeitos colaterais da planta.

Doses

A coca, como suplemento à base de plantas, está disponível sob a forma de folhas, farinha, chá e extrato em pó (81, 82, 83, 84).

As folhas contêm geralmente 0,1% a 0,9% de cocaína (85). Existe uma média de 4mg de cocaína em cada chávena de chá da planta (86).

Os estudos clínicos usam habitualmente 8 a 15g de folhas de coca, mas os andinos podem mastigar uma quantidade significativamente maior. Em média, consomem cerca de 60g de folhas de coca por dia (87, 88, 89, 90).

Experiências dos Utilizadores

Sabia Que O Chá De Folhas De Coca (Erythroxylum Coca) Faz Bem á Saúde

“Eu sofri uma concussão significativa, há 5 anos. Sinto dores no pescoço e um atordoamento que parecem que não passam com nada. Passei a mastigar 4 sacolas de chá de coca 3 a 4 vezes por dia e isso ajudou-me a superar as enxaquecas, o atordoamento e a rigidez provocada pela dor no pescoço.

Agora, durmo melhor à noite e sou capaz de ter uma vida totalmente funcional. Devo dizer que beneficiei muito com o uso das folhas de coca.

A primeira vez que experimentei foi em Cusco Peru para combater o mal das montanhas. Faltam-me elogios para descrever os benefícios da mastigação de folhas de coca”.

“Eu utilizo a planta como uma alternativa à cafeína, um supressor do apetite e um tónico geral. Também a usei para tratar a doença das alturas, quando vivi nas montanhas de Utah”.

“Eu consumia chá de coca quando tinha doença das alturas, na Bolívia. O chá fez-me sentir saudável e acabou com as minhas náuseas”.

“Depois de experienciar a cura completa da hipertensão e da angina, após mascar folhas de coca no Peru durante várias semanas, decidi pesquisar um pouco mais sobre esta notável cura”.

“Tenho usado o chá de coca há vários meses, como uma alternativa ao café. Nunca mais volto atrás!

A primeira vez que usei as folhas de coca (há alguns anos atrás) foi nos Andes para a doença das alturas, aumentar a minha energia e para problemas de estômago, tanto em bebida como nas formas de mastigar.

A folha de coca ajudou-me com todos os problemas. Recomendo qualquer um a experimentar o chá em substituição do café”.

“As folhas de coca fizeram-me sentir com mais energia e equilibrada. E não me sentia cansada depois, como às vezes fico com cafeína. Sinto-me plenamente confiante na minha decisão de usar coca como regime de saúde diário”.

“Bebo chá de coca várias vezes por dia para tratar o mal das montanhas e confesso que ainda não senti qualquer melhoria”.