Esperma Fino e Ralo: Descubra os Principais Causadores do Problema e Como Tratar

Ao longo da experiência, nós aprendemos que nem sempre quantidade é sinônimo de qualidade. Essa regra se aplica tanto aos bens materiais quanto à nossa saúde.

Ao contrário do que muito se acredita, esperma pouco abundante e de consistência rala não é sinal de infertilidade, tampouco de falta de masculinidade.

Apesar disso, as características que são atribuídas ao sêmen são capazes de denunciar malefícios ocultos. Assim, certas disfunções – como odores, aparência e gosto desagradáveis – são um sinal de que a saúde sexual do homem está comprometida.

Esperma Fino E Ralo Tem Uma Contagem De Espermatozóides Mais Baixa

O esperma e sua composição

De início, é importante que você se atente ao que é o esperma propriamente dito e à sua composição. Para ficar mais didático, dividiremos em duas partes: plasma seminal e espermatozoides.

Plasma seminal

O plasma seminal é produzido tanto pelas vesículas seminais, quanto pela próstata. Aproximadamente, 70% de seu volume total é composto por aminoácidos, enzimas e frutose, sendo acondicionado nas vesículasseminais. Os outros 30% – que são produzidos pela próstata – contêm fosfatase ácida e ácido cítrico.

Espermatozóides

Os espermatozóides são estruturados da seguinte forma: cabeça – onde se localiza uma organela sintetizadora de enzimas, chamada de acrossomo – e cauda.

Conduzidos e nutridos pelo plasma seminal, eles são originados nos testículos e migram para a uretra prostática, na qual ficarão a um passo de serem liberados pela ejaculação.

Segundo especialistas, 1,5 a 5 mL de sêmen são expelidos em cada ejaculação. A cada 1 mL, estima-se que haja de 15 a 20 milhões de espermatozoides.

A consistência e espessura do sêmen varia de homem para homem. O fator decisivo é a quantidade de espermatozoides presentes no fluído. Para ser considerado infértil, um homem deve produzir taxas de espermatozoides inferiores à média.

Causas das alterações do esperma

Em grande parte dos casos, as causas que levam às alterações da espessura, do odor e paladar do esperma não são tão complexas quanto parecem. São elas:

  • Tabagismo;
  • Uso de entorpecentes – incluindo álcool e drogas;
  • Pouca ou muita ingestão de líquidos;
  • Uso de anabolizantes;
  • Quadros infecciosos;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Certos hábitos alimentares;
  • Relações sexuais e masturbações excessivas;

Cor e consistência

Recordando o que já foi dito, cor e consistência nem sempre sugerem qualidade. Um homem, ao ejacular, pode apresentar sêmen denso e pouco translúcido, sugerindo uma vasta quantidade de espermatozoides. Porém, isso é um equívoco. A cor varia do branco ao transparente.

É certo que, na tentativa de se aderir à parede do útero com maior facilidade, o sêmen tende a se exibir mais denso. Posteriormente à fecundação, o sêmen, antes encorpado, torna-se mais ralo.

É importante prestar atenção aos detalhes que fogem dessa condição. Os tons entre amarelo, alaranjado, vermelho e marrom podem indicar a presença de sangue, decorrente de DST’s ou outras doenças infecciosas.

A quantidade de líquido presente no organismo também interfere diretamente na espessura e coloração do sêmen. O sêmen de um indivíduo que ingere pouco líquido, certamente apresentará consistência mais densa e clara do que o de outro que se hidrata constantemente.

Do mesmo modo, relações sexuais e masturbações em excesso o deixam mais ralo e escasso devido à falta de nutrientes e espermatozoides.

Odor

O sêmen tem o seu odor característico. Em condições normais, o cheiro não chega a ser forte e, muito menos, desagradável. O aroma fétido deixa transparecer um possível quadro de infecção ou problemas mais graves. Assim que notar essa alteração, não hesite em solicitar ajuda médica.

Sabor

Você se lembra que, apenas uma pequena quantidade do sêmen – em torno de 1% – é composta por espermatozoides? Os outros 99% são abundantes em proteínas, vitaminas, sais minerais e frutose. Conforme nossos hábitos alimentares, esses componentes podem ficar mais aguçados ou acentuados.

Os médicos ainda não sabem ao certo quais alimentos podem interferir no sabor do sêmen. Entretanto, já existem algumas hipóteses que embasam essa tese. Algumas delas são:

  • Apesar de não comprovada essa teoria, acredita-se que consumir uma fruta após cada alimentação neutraliza o sabor do esperma.
  • Comer carne regularmente ou em excesso faz com que o aroma fique mais forte e perceptível.
  • Assim como certas bebidas, o cigarro e as drogas, o café também interfere no paladar – negativamente, infelizmente.

Como tratar o problema?

Saiba Como Tratar Esperma Fino E Ralo, Aquoso

A ausência de colorações insólitas e de odores desagradáveis é um motivo a menos para haver pânico. De modo geral, modificações na dieta, maior intervalo de tempo entre as relações sexuais e/ou masturbações costumam resolver o problema.

No entanto, os sintomas que levantem suspeita de infertilidade devem ser monitorados. Um sintoma típico de infertilidade masculina é o fracasso ao consolidar uma fecundação.

O diagnóstico é feito por meio de um exame laboratorial, conhecido por espermograma. Essa técnica busca medir o volume e fluidez do sêmen, bem como a contagem, tamanho, formato e motilidade dos espermatozoides.

Conforme os resultados adquiridos, o urologista será capaz de analisar com maior precisão o caso, indicando o tratamento mais eficiente ao paciente.