Faringite em Bebê

A faringite em bebê é um problema que se caracteriza pela inflamação da garganta ou da faringe, e que ocorre em bebês.

faringite

O problema da faringite em si é um problema que pode ocorrer em todas as idades e não apenas nas crianças.

No entanto, é um problema cuja ocorrência tende a ser mais frequente em crianças que tenham entre 5 e 10 anos de idade.

A faringite é um problema que pode surgir por diversas causas, podendo estas ser através de infecções bacterianas ou virais.

No entanto, a faringite que é mais perigosa para a saúde e que poderá trazer mais consequências é a faringe de origem bacteriana que é causada pela bactéria Estreptococos.

Sintomas de faringite em bebê

Sintomas de faringite

A faringite nos bebês é um problema que tem manifestações sintomáticas às quais deveremos estar sempre atentos.

Os principais sintomas do problema são os seguintes:

  • Choro do bebê enquanto está a comer ou a engolir algum alimento;
  • Queixas do bebê de dores de garganta ou na zona do pescoço em geral. Estas dores são reforçadas quando o bebé está a engolir algo, como já referido;
  • A recusa do bebé em comer ou beber algo é também um sinal a ter em conta.

Para além destes sintomas que se sentam mais em questões comportamentais, o aparecimento de febre, tosse, náuseas, dores e barriga e aparecimento de pus na garganta serão também outros sinais que poderão indicar a presença de uma faringite e que não deverão ser de modo algum ignorados.

Causas de faringite em bebê

As causas para a faringite nos bebés são diversas, mas as principais causas são geralmente associadas a:

  • Gripes;
  • Constipações;
  • Obstruções da garganta, que surgem geralmente por secreções pulmonares.

As mãos das crianças e as dos pais deverão ser lavadas com frequência e sempre antes de comer, para que se consiga prevenir infecções e a proliferação de micróbios.

Tratamento para faringite em bebê

O tratamento para a faringite no bebê poderá inclusive ser feito em casa, o que é positivo, e centra-se nas seguintes dicas:

  • Fornecimento de líquidos e nomeadamente de água ao bebé. O fornecimento de sumo de laranja poderá também ser bastante benéfico;
  • Fornecimento de alimentos que sejam moles e fáceis de engolir poderá ajudar a diminuir as dores;
  • Lavar o nariz da criança com soro fisiológico, no caso da faringite ser derivada de secreções, poderá ser uma excelente solução para o problema;
  • Gargarejos com água salgada e a uma temperatura morna poderá ser benéfico, mas apenas em crianças que tenham 5 ou mais anos de idade;
  • Mel pasteurizado é óptimo para hidratar a garganta e reduzir a tosse, caso haja, mas deverá ser dado única e exclusivamente a bebés que tenham mais do que 1 ano de idade.

Para além das medidas aqui indicadas e que podem ser facilmente feitas em casa, em alguns casos o pediatra do seu bebê poderá achar que a toma de medicamentos não é dispensável, e nestes casos a medicação deverá ser adicionada às dicas indicadas.

Nomeadamente, o pediatra poderá receitar antibióticos se o problema for de origem bacteriana, e paracetamol ou ibuprofeno no caso de a faringite ser de origem viral e não bacteriana.

As inflamações geradas por vírus são inflamações que geralmente duram apenas durante 7 dias e não mais que isso. O antibiótico poderá começar a fazer efeito logo no 3º dia da sua toma, isto no caso de infecções bacterianas.

Quanto levar a criança ao pediatra

Em casos que se apresentem mais graves ou de complicada resolução a criança deverá ser levada ao pediatra.

Nomeadamente, deveremos levar a criança ao pediatra se:

  • A criança apresentar dificuldades ao nível respiratório;
  • A criança estiver a babar-se mais do que aquilo que seria normal e estiver com dificuldades muito severas para engolir alimentos sólidos ou líquidos;
  • A criança tiver uma inflamação na garganta que ultrapasse 1 dia (24 horas), e especialmente se existir febre a acompanhar esta inflamação;
  • A criança tiver um historial onde conste angina estreptocócica ou caso tenha estado em contacto com alguma pessoa que possua o problema.

Existem ainda outros sinais que poderão ser alarmantes e caso para ir ao médico, como são a apatia, falta de apetite, falta de vontade de brincar e problemas ao nível do sono.

Conheça os Óleos Essenciais Seguros para Bebês

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541)

Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541

A Dra Gizele Ferreira Cunha é Graduada em Medicina pela Universidade de Ribeirão Preto - SP - 2004. Além disso possui:

- Especialização em Alergia e Imunologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2009.

- Especialização em Pneumologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2007.

- Especialização em Pediatria pela Universidade de Ribeirão Preto - 2006 .

Endereço: Avenida Senador César Vergueiro, 571 - Ribeirão Preto - SP - Email: cviver@bol.com.br - Telefone: (16) 33291337

Também pode encontrar a Drª Gizele no Linkedin e Facebook

Última atualização da página em 12/08/19