Faringite Estreptocócica

Faringite Estreptocócica – Sintomas, causas e Características do diagnóstico

Os principais sintomas são Início abrupto de dor de garganta, febre, mal-estar, náuseas, cefaléia.

Faringe eritematosa e edematosa com exsudato; adenopatia cervical.

Língua em framboesa.

Cultura da faringe ou teste nípido para detecção de antígeno para confirmação.

Se houver produção de eritrotoxina (escarlatina), exantema escarlatiniforme eritematoso e papuloso, com petéquias e descamação fina; proeminente nas axilas, virilha e atrás dos joelhos.

Pode ser complicada por glomerulonefrite e febre reumática.

Diagnóstico diferencial

. Faringite viral
. Mononucleose
. Difteria
. Na presença de exantema: meningococemia, síndrome do choque tóxico, farmacodermia, exantema viral

Tratamento da Faringite Estreptocócica

. Para dois ou mais critérios clínicos (adenopatia cervical, febre, exsudato e ausência de rinorréia): penicilina empírica

. Se o quadro for duvidoso, aguardar confirmação da cultura ou do teste antigênico

. Se houver história de febre reumática, manter antibióticos profiláticos durante 5 anos

Dica
A despeito da gravidade clínica da difteria faríngea, a febre é mais alta na faringite estreptocócica.

Referência
Vincent MT, Celestin N, Hussain AN: Pharyngitis. Am Fam Physician