Veja 29 Causas de feridas no pênis e o que fazer

Atualizado e Revisado por Dr Nilo Jorge Leão Barretto (Urologista - CRM-BA 22237) a 07/08/2019. Publicado originalmente em 17 de abril de 2019

Qualquer ferida, caroço, irritação ou mancha presente no pênis deve ser analisada com cautela! Por mais que alguns tipos de irritações possa ter origem em alergias que não apresentem gravidade, a presença de lesões pode ser sinal de uma infecção ou doença que, se não tratada, pode trazer sérios riscos para a saúde masculina. Sempre que ocorram alterações estranhas nos tecidos do pênis, é importante o homem consultar o urologista para que sejam descartadas doenças graves como o câncer, e seja realizado o tratamento adequado. Saiba mais!

Feridas No Pênis O Que Pode Ser E Como Tratar

Principais causas

Confira algumas causas que podem originar feridas no órgão genital e conheça os seus tratamentos:

Gonorreia

Doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae. Infecta a uretra, canal do órgão genital masculino que liga a bexiga ao meio externo. Apresenta como principais sintomas a inflamação da uretra, o que causa ardor ao urinar, corrimento amarelado e dor nos testículos. Se não tratada, gera lesões visíveis na pele.

Tratamento: Vários estudos evidenciam a capacidade da gonorreia desenvolver resistência aos antibióticos. Atualmente, o antibiótico mais usado para o combate da infecção é a azitromicina via oral. Se não tratada pode atingir outros órgãos e causar infertilidade masculina. Confira quais são os principais sintomas da infecção.

HPV

Infecção causada pelo vírus do papiloma humano. É uma DST que muitas vezes não apresenta sintomas e acaba sendo combatida e eliminada pelo sistema de defesa do corpo. Por outro lado, algumas pessoas podem ter complicações mais severas. O sinal mais visível da infecção por HPV é o aparecimento de verrugas na região genital e ânus. É importante perceber que, se não tratado pode causar câncer no pênis.

O que fazer: O tratamento geralmente é realizado quando são visíveis as lesões causadas pelo vírus. Consiste em remover as verrugas genitais destruindo o tecido afetado. O procedimento pode ser realizado por meio de cauterização química, com o uso de agentes tópicos que destroem as células que constituem a lesão, ou através de procedimentos cirúrgicos para remover as verrugas. Veja como identificar e tratar o HPV no homem.

Irritação da pele

Existem várias situações que podem causar feridas no pênis sem que isso signifique que o homem está com alguma doença grave. Alguns tipos de tecidos, roupas apertadas, e até mesmo reações alérgicas após o uso de alguns produtos na região genital podem levar ao desenvolvimento de pequenas lesões. Além disso, a má higienização e o próprio atrito causado durante a relação, também podem originar desconforto, coceira e inchaço no órgão.

O que fazer: É preciso entender a causa da irritação para encontrar a melhor solução. Caso ocorram reações alérgicas após a utilização de determinados produtos, é necessário suspender o seu uso e procurar por cremes anti-alérgicos ou medicamentos que facilitem a cicatrização caso existam pequenas feridas. Não se auto-medique! Em caso de dúvida consulte o urologista.

Herpes Genital

Trata-se de uma doença dos órgãos genitais causada pelo vírus da herpes simples (Herpes Simplex – HSV). É transmitido pelo contato íntimo desprotegido, caracterizando-se como uma DST. O contágio acontece ao entrar em contato direto com a pele ou secreções da pessoa infectada, principalmente quando são visíveis lesões como bolhas e úlceras nos órgãos genitais. Essas feridas geralmente aparecem durante as chamadas fases ativas da doença. Entenda que, é possível contrair HSV mesmo quando a pessoa contaminada não apresenta sintomas aparentes do vírus. Os principais sintomas incluem ardência, coceira e pequenas bolhas com líquido no interior que, após estourar, se transformam em úlceras dolorosas.

Como tratar: Apesar de ainda não existir cura para a HSV, existem remédios antivirais para controlar a doença, impedindo que o vírus se disperse pelo corpo. Além disso, o medicamento ajuda a acelerar a cura das feridas provocadas pelo vírus. Os remédios mais usados são o Aciclovir e o Valaciclovir. A dosagem e período de tratamento devem ser determinadas exclusivamente pelo médico. Para aliviar a dor e ardência causada pelas bolhas, podem ser aplicados cremes e pomadas. A Lidocaína é um exemplo. Compreenda melhor como pode identificar e tratar a infecção.

Doenças auto-imunes

Doenças auto-imunes são condições geradas por anomalias no sistema imunológico. Ocorrem quando o corpo ataca o próprio organismo. Existem diversos tipos de doenças auto-imunes e algumas delas causam feridas pelo corpo, inclusive na região genital. É possível citar como exemplo a doença de Behçet, doença de Cröhn, doença de Reiter, além de outros distúrbios de pele como o pênfigo, líquen e eritema multiforme.

Como tratar: Por serem na sua maioria condições raras na medicina, é importante procurar por especialistas capazes de investigar a doença e indicar o melhor tratamento. As doenças auto-imunes geralmente são tratadas com corticóides e imunossupressores.

Sífilis

É uma DST causada pela bactéria Treponema pallidum. É conhecida por apresentar quatro estágios de evolução. No primeiro surgem feridas indolores após um período de três semanas de incubação. Essas feridas não sangram e podem desaparecer sozinhas, dando a falsa impressão de cura. Se não for diagnosticada antes, evolui para o segundo estágio, onde a bactéria se espalhará pela corrente sanguínea e causará erupções cutâneas pelo corpo. O terceiro e quarto estágio podem aparecer até décadas após a infecção inicial e geram complicações em todo o corpo, podendo até causar a morte da pessoa infectada.

Como é feito o tratamento: A Sífilis é uma “doença antiga”, responsável por muitas mortes ao decorrer da história. Atualmente, no seu estágio inicial, é tratada com uma única dose de Penicilina via intramuscular. Nos estágios mais avançados da doença são administradas mais doses do antibiótico. Para pessoas alérgicas ao medicamento serão indicados outros medicamentos, como a doxiciclina e a tetraciclina.

Outras infecções

Existem outros quadros clínicos que também podem causar feridas no pênis. Grande parte dos casos estão relacionados com doenças sexualmente transmissíveis. O linfogranuloma venéreo e o Donovanose, por exemplo, podem causar severas lesões no órgão sexual masculino.

A candidíase masculina (um tipo de infecção que não se caracteriza como DST), pode ocorrer em pessoas com imunidade baixa e tem como principais sinais a coceira e o surgimento de erupções no pênis.

O que fazer: É importante o homem procurar aconselhamento médico para que seja confirmado o diagnóstico e indicado o tratamento – que pode incluir a administração de antibióticos ou, caso se trate de HPV, procedimentos que realizem a cauterização das lesões.

Balanopostite

A balanopostite é uma doença caracterizada pela inflamação simultânea da glande e do prepúcio, e a sua causa está relacionada, entre outras coisas, com hábitos higiênicos precários, principalmente em homens portadores de fimose. Isso facilita a acumulação do esmegma, combinação de células esfoliadas com óleos e gorduras. Pode estar relacionada também ao desenvolvimento de doenças sexualmente transmissíveis.

Como tratar: Para tratar a balanopostite é preciso identificar o agente causador. A cirurgia de fimose, por exemplo, facilita a exposição da glande e, consequentemente, propicia uma melhor higienização do pênis. Quando a doença é reflexo de alguma infecção adquirida pelas relações desprotegidas é necessário identificar a DST para realizar o tratamento mais eficaz. Veja como realizar a Higiene Íntima Masculina corretamente.

Câncer de pênis

Associada a uma má higiene íntima e à infecção pelo HPV, trata-se de uma doença extremamente rara, felizmente! Ainda que possa acometer os jovens, é vista com maior frequência em homens com mais de 50 anos de idade. Apresenta como sintomas feridas e mudanças na cor da pele, odor forte, coceira, sangramento e nódulos no pênis.

Como trarar: O tratamento do câncer de pênis procura fundamentalmente a preservação do órgão sexual, fator primordial para a qualidade de vida do paciente. Para isso, o médico oncologista geralmente sugere uma intervenção cirúrgica para remover parte do tecido afetado. Como em outros cânceres, podem ser necessárias também sessões de quimioterapia e radioterapia.

Outras causas possíveis

Outras causas podem incluir:

  • Verrugas
  • Doença de Peyronie
  • Fimose
  • Úlceras genitais
  • Postite
  • Granuloma inguinal
  • Psoríase
  • Eczema
  • Balanite
  • Anomalias congênitas
  • Microlitíase testicular
  • Orquiepididimite aguda
  • Piolho-da-púbis (Phthirus pubis)
  • Sarna humana ou escabiose
  • Cancróide (cancro mole)
  • Molusco contagioso
  • Clamídia
  • Aids
  • Uretrite

Quando consultar o médico

Mesmo que a ferida presente no pênis seja pequena (clique nos números para ver exemplos de feridas (1) (2)), é importante que seja examinada por um médico, especialmente se houver a possibilidade de ser uma DST. Enquanto aguarda pela consula, é importante o homem evitar qualquer atividade sexual com outras pessoas até conhecer a causa das lesões. Consulte um médico rapidamente se tiver sintomas de uma infecção grave, tais como:

  • micção ou ejaculação dolorosa;
  • dor de garganta;
  • corrimento no pênis com mau cheiro;
  • febre;
  • arrepios;
  • falta de ar;
  • fadiga;
  • diarreia;
  • vômito.
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Referências
Autores
Dr Nilo Jorge Leão Barretto (Urologista - CRM-BA 22237)

Urologista - CRM-BA 22237

Consultar > Currículo Lattes.

O Dr. Nilo Jorge é Graduado em Medicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Publica- 2010. Além disso possui:

- Especialização em Urologia e Cirurgia Geral na Universidade de São Paulo – 2013/2015.

- Título de especialista em Especialização em Fellowship em UroOncologia, Laparoscopia e Cirurgia Robótica.

Fundação Antônio Prudente- AC Camargo Câncer Center, AC CAMARGO, Brasil.

Título: Cirurgias Laparoscópicas e Robótica em Urologia. - Orientador: Dr. Gustavo Cardoso Guimarães – 2017.

- Coordenador do Núcleo de Uro-Oncologia do Hospital Santo Antônio- Obras Sociais Irmã Dulce. Preceptor do núcleo de Urologia do Hospital São Rafael. Uro-oncologista do Grupo OncoClinicas do Brasil e sócio do grupo Uroclinica da Bahia.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia, cirurgião geral e urologista pela Universidade de São Paulo (USP- RP). Fellowship em Uro oncologia, laparoscopia e cirurgia robótica no AC Camargo Câncer Center.

Cirurgião robótico certificado pela Intuitive/Strattner. "International Member" da European Association of Urology (EAU) e da "American Urological Association" (AUA). Possui trabalhos publicados em congressos, periódicos e livros em Urologia.

Endereço: Rua Anita Garibaldi, 1815 CME Federação, Salvador/BA - Telefone: (70) 3235-0867 / 2626-3030

Também pode encontrar o Dr. Nilo Jorge na sua página www.nilojorge-leaobarretto.com, ou no Linkedin e Instagram.

Última atualização da página em 07/08/19