-->Fibrilação Atrial Causas, Tratamento, Sintomas e Diagnostico

Fibrilação Atrial

Publicado em 02/02/2010. Revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653) a 8 dezembro 2018

Informação sobre a Fibrilação Atrial – Sintomas, Diagnóstico e Tratamento.

FIBRILAÇÃO ATRIAL CAUSAS COMPLICAÇÕES E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO

A arritmia cardíaca crônica mais comum.

As causas incluem valvopatia mitral, cardiopatia hipertensiva e isquêmica, miocardiopatia dilatada, consumo de álcool, hipertireoidismo, pericardite, cirurgia cardíaca; muitos casos são idiopáticos (fibrilação atrial “solitária”).

As complicações incluem precipitação de insuficiência cardiaca, embolização arterial, Palpitações, dispnéia, dor torácica; porém, comumente assintomática.

Batimentos cardíacos irregularmente anormais, B1 de intensidade variável, B3 eventual; B4 ausente em todos os casos.

O eletrocardiograma mostra frequência ventricular de 80-170/min nos pacientes não tratados; quando associada a uma via acessória (i.e., Wolf-Parkinson-White), a frequência ventricular pode ser > 200/min, com QRS largo e condução anterógrada através da via.

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL DA FIBRILAÇÃO ATRIAL

. Taquicardia atrial multifocal
. Flutter atrial ou taquicardia com bloqueio variável
. Arritmia sinusal
. Ritmo sinusal normal com múltiplas extra-sístoles

TRATAMENTO

Controle da resposta ventricular com bloqueadores do nó AV, como a digoxina, betabloqueadores, bloqueadores dos canais de cálcio – a escolha depende do estado contrátil do ventrículo esquerdo.

Cardioversão com contrachoque em pacientes instáveis com fibrilação atrial aguda; contrachoque eletivo ou antiarrítmicos (p. ex., ibutilida, procainamida, amiodarona, sotalol) em pacientes estaveis, após exclusão ou tratamento eficaz de trombo atrial esguerdo.

Administração crônica de ácido acetilsalicílico em todos os pacientes não-cardiovertidos.

Com cardioversão eletiva, deve-se efetuar anticoagulação durante 4 semanas antes e 4 semanas após o procedimento, a menos que o ecocardiograma transesofágico exclua trombo atrial esquerdo.

Ablação por radiofrequência das fontes de fibrilação atrial nas veias pulmonares é cada vez mais usada em pacientes selecionados.

Referências
McNamara RL, Tamariz LJ, Segal JB, Bass EB: Managernent of atrial fibrilation

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653)

Nutricionista Clínica - CRN-6 nº 23653

A Drª Raquel Pires é Nutricionista, Health Coach e Personal Diet, com grande experiência em atendimento em consultório e Idealizadora do Projeto ESD (Emagrecimento sem Dor).

Formação Acadêmica

- Graduada pela Universidade Santa Úrsula. - Pós Graduada em Nutrição Clínica. - Pós Graduada em Prescrição de Fitoterápicos e suplementação Nutricional Clínica e Esportiva. - Pós Graduada em Nutrição Aplicada ao Emagrecimento e Estética.

Também pode encontrar a Drª Raquel no Linkedin, Facebook e Youtube

Marcação de consultas 88-99685-0858