Flúor em Excesso? Bom ou Mau?

O flúor é óptimo para a saúde dentária das crianças.

No entanto, o excesso pode significar defeitos irreversíveis no esmalte.

O flúor existente nos dentífricos e nos elixires é uma das substâncias mais importantes para a prevenção da cárie dentária.

No entanto, um excesso de flúor ingerido (demasiados comprimidos de flúor ou combinação de várias formas de flúor sistémico) pode gerar o aparecimento da fluorose, situação que causa descolorações e rugosidades permanentes nos dentes.

O grande risco de desenvolver fluorose ocorre durante os primeiros 8 anos de vida, altura em que os dentes se estão a desenvolver.

A salvo estão as crianças mais velhas e os adultos. No entanto, as doses de flúor devem ser controladas em todas as idades, uma vez que o exagero pode ser perigoso para a saúde, aliás à semelhança de todos os medicamentos.

A fluorose dentária é comum, principalmente em comunidades onde as quantidades de flúor são na ordem dos 0,7 a 4,0 partes por milhão (ppm) na água de consumo público.

Assim, é importante estar atento à quantidade presente na água da rede pública, de forma a podermos estabelecer as necessidades das crianças no que diz respeito aos comprimidos de flúor.

Em Portugal, a quantidade de flúor na rede pública é baixa.

No entanto, misturada com comprimidos, com a pasta ingerida pelas crianças e ingestão de outras substâncias, podemos estar a criar condições para cair no excesso.

Informe-se com o seu médico dentista, ou com o seu higienista oral, sobre as quantidades de flúor que o seu filho está a ingerir.

Descubra realmente se o Fluoreto Faz Mal à Saúde