Fraturas Invisíveis ao Raio X

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Fraturas Invisíveis ao Raio X – Saiba mais sobre as fraturas que não são detectadas pelo exame radiológico e entenda o porquê

Para detectar fraturas, um dos procedimentos mais utilizados pelos especialistas é o exame radiológico, o famoso Raio X. Mas, você sabia que há determinadas lesões que, inicialmente, não são detectadas por ele?

Segundo o ortopedista e chefe do Grupo de Ortopedia e Traumatologia Pediátrica da Santa Casa de São Paulo, Miguel Akkari, estas fraturas são chamadas de incompletas, pois geralmente não envolvem o desvio da posição óssea – o que explica o fato do problema não estar visível na radiografia.

Enquanto em alguns casos a fratura pode ter um desenvolvimento positivo e não causar maiores problemas, em outros a situação pode se complicar, levando aos desvios ósseos. “Por isso, é importante ficar atento aos sintomas”, alerta Akkari.

De acordo com o especialista, esse tipo de lesão é mais comum entre crianças e idosos. No caso dos pequenos, elas localizam-se mais nas regiões do punho, cotovelo ou nas proximidades das cartilagens de crescimento. Já entre a Terceira Idade, a região do quadril é a mais afetada. Para identificar quando uma fratura incompleta pode ter se agravado, Akkari dá uma dica: “Se a dor continuar e não diminuir de intensidade, procure um médico para realizar uma segunda avaliação. Muitas vezes, a fratura que não apareceu no primeiro Raio X surge em um segundo exame, realizado dias depois”, esclarece.