Frieiras (Geladura)

Revisado por Dr Pedro Secchin (Dermatologista CRM-SP 195965) a 16 dezembro 2018

Com a chegada do Inverno e dos dias mais frios há que proteger a pele. Para quem habitualmente tem frieiras (geladura), nesta altura do ano, esta protecção assume uma maior importância.

Qual a origem das frieiras

As frieiras resultam de uma reacção anormal do organismo a temperaturas particularmente baixas, em climas húmidos, e afectam principalmente as zonas da pele das extremidades, mais expostas ao frio: mãos, nariz, orelhas e pés. No caso dos pés, as zonas mais susceptíveis são as que se encontram sob maior pressão devido ao calçado.

As frieiras não são mais do que zonas da pele lesionadas e inflamadas, as quais podem assumir uma coloração que varia do vermelho ao violeta/roxo. O aparecimento destas lesões dá-se quando o organismo não consegue responder adequadamente a variações, mais ou menos bruscas, de temperatura.

Assim, a exposição ao frio provoca uma vasoconstrição, com estreitamento dos vasos sanguíneos (vénulas e arteríolas existentes na derme), dificultando a circulação sanguínea ao nível das extremidades do corpo.

Perante um aumento de temperatura, especialmente quando este é rápido, a quantidade de sangue que chega às extremidades é superior mas o organismo não consegue reverter a vasoconstrição induzida pelo frio.

Como resultado desta falta de resposta atempada, dá-se um extravasamento de sangue proveniente dos vasos sanguíneos para os tecidos circundantes, provocando a reacção inflamatória, acompanhada de necrose celular e edema.

São vários os sintomas que caracterizam as frieiras:

– Sensação de queimadura;
– Prurido (muitas vezes intenso);
– Ardor;
– Dor;
– Edema;
– Ferida (em situações mais graves.
Estes sintomas tornam-se mais intensos e incomodativos durante a exposição ao calor.

Frieiras – uma situação aguda ou crónica?

As frieiras podem ser classificadas como agudas ou crónicas, de acordo com a natureza e persistência dos sintomas que as caracterizam. Situações agudas são auto limitadas no tempo, e a circulação arterial mantém-se normal. Ocorrem 12 a 24 horas após a exposição ao frio, são acompanhadas de prurido intenso, podem afectar mais do que uma zona (geralmente pés e dedos das mãos) e duram 7 a 14 dias.

Apesar do seu carácter auto limitado, podem ocorrer recorrências, sempre que há exposição ao frio. Situações crónicas acontecem quando a repetida exposição ao frio provoca lesões persistentes, que podem ter início no Outono e só desaparecer na Primavera.

Nestes casos, as zonas da pele onde surgem as frieiras podem sofrer alterações mais acentuadas e permanentes.

Causas e Fatores condicionantes

Qualquer pessoa pode ter frieiras. Contudo, o seu aparecimento é mais frequente em jovens mulheres, com idades compreendidas entre os 15 e os 30 anos, crianças e idosos. Mas não é só a idade que determina a maior ou menor predisposição para a ocorrência de frieiras, também algumas patologias e situações particulares podem aumentar o risco de desenvolvimento desta situação, nomeadamente:

• Problemas de circulação;
• Lúpus eritematoso;
• Doença vascular periférica devida a diabetes, tabagismo e hiperlipidemia;
• Anemia;
• Baixo peso ou nutrição deficiente;
• Alterações hormonais (ex. gravidez);
• Doença e fenómeno de Raynaud;
• Antecedentes familiares.

Também alguns medicamentos ao induzirem vasoconstrição ao nível das extremidades do corpo, contribuem para o aumento do risco de aparecimento de frieiras. É o caso dos beta-bloqueadores: Inderal®, Darob®, Artex®, Lopresor®, Tenormin®, Tenoretic®, Prent®, Concor®, Nebilet®, entre outros.

Medicamentos

As frieiras e os sintomas incomodativos e por vezes limitantes que acarretam, levam muitos utentes a procurar a intervenção da Farmácia. Cabe ao farmacêutico aconselhar sobre as principais medidas que ajudam a prevenir, a acelerar a cura e a tratar as frieiras.

Prevenção

No que diz respeito a frieiras, a prevenção é o melhor tratamento:

• Evitar a exposição ao frio;
• Durante a exposição ao frio, manter quentes as extremidades do corpo, recorrendo a vestuário adequado (meias de lã, sapatos confortáveis, luvas e gorro);
• Evitar o aquecimento rápido do corpo após exposição ao frio (ex. retirar primeiro os agasalhos e esperar que o organismo atinja gradualmente uma temperatura mais elevada);
• Evitar lavar mãos e pés com água muito quente;
• Evitar a proximidade de lareiras, aquecedores e radiadores;
• Fazer exercício físico regular, uma vez que facilita a circulação;
• Manter uma dieta saudável pobre em gordura e rica em fruta e vegetais, para facilitar a circulação;
• Evitar fumar, uma vez que promove a vasoconstrição.

Tratamento para Frieiras (geladura)

Mesmo quando as frieiras já estão instaladas, as medidas de prevenção devem continuar a ser postas em prática, uma vez que permitem diminuir os sintomas e acelerar a cura.

Para alívio dos incómodos provocados pelas frieiras (prurido, sensação de queimadura, ardor), existem medicamentos e produtos de saúde com substâncias com propriedades calmantes e antipruriginosas, como a calamina, aloé vera, cânfora e calêndula.

A aplicação de emolientes é aconselhada com o objectivo de suavizar e diminuir a irritação da pele e evitar o aparecimento de feridas.

Efeito Exemplos de Produtos Farmacêuticos
Calmante e Antipruriginoso – Queimax ®, Friax ®,
Frimax Top Frieiras ®, Frioven ®,
Akilhiver ®, RSpharma Frieiras ®
Emoliente – ATL ®, Atoderm Bioderma ®,
Avène Trixera ®, Babe Corpo ®,
Hidro Lact ®, Xeramance ®, Uriage
Xemose ®, Roc Enydrial ®, Roche Posay
Lipikar ®, Nutratopic Isdin ®

Segundo alguns autores pode ser vantajosa a aplicação de um corticosteróide tópico, no sentido de minorar o prurido e diminuir o edema.

Contudo, estes medicamentos não estão aprovados para estas situações. Uma das maiores preocupações relacionadas com as frieiras é o facto de estas poderem ulcerar e infectar.

Para evitar que tal aconteça é fundamental resistir ao prurido que estas provocam, recorrendo à aplicação de produtos antipruriginosos.

Quando as frieiras dão origem a feridas, é aconselhada a aplicação de um anti-séptico tópico, para que não infectem. O Bepanthene Plus, é um exemplo que alia propriedades cicatrizantes, a propriedades anti-sépticas.

Segundo alguns estudos, a administração oral de nifedipina pode melhorar a circulação sanguínea, dado o seu efeito vasodilatador e consequentemente evitar ou melhorar as frieiras. Contudo, trata-se de uma indicação não aprovada (“off label”).

OBS: As pessoas confundem as frieiras (geladura) que são causadas por má circulação do sangue, com as chamadas frieiras ou pé de atleta, que é uma micose que ataca os pés. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

A Frieira que causa inchaço nos dedos dos pés, mãos, também causa dor e coça muito quando a temperatura sobe.

Acontece devido a má circulação sanguínea principalmente em temperaturas muito baixas. Não adianta usar antimicóticos, porque não é micose! É muito ruim.

Dica: Há quem escalde os pés em água bem quente e coloque um hidratante na água. Faça uso de meias para manter os pés aquecidos. Pode não curar, mas ajuda a enfrentar a crise.