Gardnerella mobiluncus: o que é, como se pega e como tratar

Atualizado e Revisado por Drª Camille Rocha Risegato (Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093) a 08/08/2019. Publicado originalmente em 24 de abril de 2019

O que é: A Gardnerella mobiluncus é uma espécie de bactéria encontrada na vagina, estando particularmente associada à Gardnerella vaginalis, em casos de vaginose bacteriana. Em situações normais, não causa problemas no órgão sexual feminino, já que o equilibrio da flora genital ajuda a manter a vagina protegida contra várias infecções. No entanto, algumas situações podem levar ao desequilíbrio dessas bactérias, fazendo com que esses organismos se multipliquem de forma descontrolada, causando a chamada vaginose bacteriana.

A vaginose bacteriana é a infecção vaginal mais comum entre as mulheres. Pode ser causada tanto pela gardnerella mobiluncus, quanto pela gardnerella vaginalis – outro tipo de bactéria do género Gardnerella. É importante lembrar que, embora as mulheres com maior número de parceiros sexuais tenham maior chance de contrair a doença, a gardnerella mobiluncus não é uma Doença Sexualmente Transmissível – justamente por já estar presente na flora vaginal. Saiba mais sobre a vaginose bacteriana e como tratar.

Neste guia educamos a mulher e o homem a entender como ocorre o contágio, os principais sintomas, como identificar a bactéria no corpo, e o que fazer para a eliminar.

Gardnerella Mobiluncus, O Que é, Como Se Pega E Como Tratar

Principais sintomas

Ainda que algumas mulheres não apresentem sinais da bactéria no corpo, principalmente quando ela existe em quantidades consideradas normais, alguns sintomas característicos podem ajudar a evidenciar a proliferação descontrolada do microrganismo na flora genital. Conheça-os:

Sintomas da Gardnerella mobiluncus sp na mulher: O corrimento de coloração branca, amarela ou cinza, por exemplo, pode ser um dos indícios. Além disso, o corrimento vaginal costuma apresentar espessura mais grossa que o normal. Outra evidência da infecção está relacionada com o peculiar odor de peixe exalado pela vagina, particularmente após a relação sexual. Além disso, a “superpopulação” da bactéria também pode causar dispareunia, termo médico para descrever especificamente a dor durante ou após contatos íntimos. Coceira na região genital e pequenas lesões na vagina, embora pouco comuns, podem ser outros indicadores de infecção.

Sintomas da Gardnerella mobiluncus sp no homem: Os homens também podem contrair a bactéria. Neste caso ela é considerada uma DST, já que a sua transmissão para o pênis só pode ocorrer pela relação sexual sem proteção com alguma mulher que apresente a gardnerella mobiluncus sp na vagina. Os sintomas presentes no homem incluem inflamações no prepúcio, glande ou uretra – conhecidas também como uretrite e balanopostite. Coceira e corrimento amarelo também podem ser notados, além da ocorrência de disúria, palavra usada na medicina para descrever a dor ao urinar. Veja o que pode causar essa dor e como tratar.

Como se pega

Como citado anteriormente, nas mulheres, a infecção originada pela gardnerella mobiluncus não é considerada uma DST. Os motivos relacionados ao desequilíbrio e superpopulação do microrganismo na flora vaginal incluem o enfraquecimento do sistema imunológico – que facilita como um todo a possibilidade da mulher desenvolver um quadro infeccioso.

Nesses casos, além do tratamento contra a bactéria, é importante descobrir também qual é o agente causador da diminuição das defesas naturais do corpo. Diabetes, tabagismo, remédios antibióticos e imunossupressores, depressão e altos níveis de estresse, por exemplo, podem enfraquecer o sistema imunológico.

A higiene íntima precária também pode facilitar a multiplicação da bactéria. Até mesmo o excesso de lavagens na região genital, principalmente com água muito quente, pode afetar o equilíbrio da flora vaginal. Veja 10 dicas para Fazer a Higiene Íntima corretamente e evitar doenças.

Produtos estéticos, como cremes para depilação, também podem abalar a estabilidade das bactérias que protegem a vagina, deixando-a mais propensa aos episódios de infecção. Resumidamente, tudo que possa destabilizar o pH vaginal pode aumentar as chances do crescimento da gardnerella.

Como identificar a bactéria

A avaliação dos sintomas não é o suficiente para identificar a presença da bactéria no organismo. Para confirmar o diagnóstico é necessário realizar alguns exames, assim como a investigação do histórico da paciente, principalmente sobre infecções passadas.

A análise clínica mais comum é o exame vaginal e o teste de papanicolau. O Papanicolau é responsável pela coleta de material do útero da mulher, que será levado para análise em laboratório. A medição do pH vaginal e a verificação do corrimento também ajudam a construir um diagnóstico preciso, já que a amostra deste material permite realizar uma cultura microbiológica, onde pode ser observada a proliferação dos organismos.

Como é feito o tratamento

O tratamento da infecção causada pela multiplicação exacerbada da Gardnerella mobiluncus​ costuma ser simples e eficaz. O objetivo da terapia é restabelecer o pH vaginal. Para se evitar recorrências, o primeiro passo para a cura é interromper o uso ou hábito de qualquer “gatilho” que possa ter influenciado na mudança do pH da vagina.

O tratamento farmacológico é feito com antibióticos (Ex: Metronidazol) prescritos pelo médico – geralmente administrados ao longo de uma semana ou em dose única. Também podem ser recomendados cremes vaginais, que deverão ser administrados durante cerca de 5 dias.

Quando a medicação prescrita for por via intravaginal, a mulher deve abster-se de relações sexuais, inclusive por um pequeno período após o fim do tratamento. É igualmente importante manter uma ótima higiene na região genital ao longo de todo o tratamento.

Tratamentos Caseiros

Apesar de existirem algumas opções caseiras para complementar o tratamento farmacológico, entenda que elas nunca devem atuar como a principal forma de combater o microrganismo. De uma forma geral, fortalecer o sistema imunológico possibilita uma recuperação mais rápida. Para isso é preciso ingerir bastante água e consumir diversos alimentos ricos em Vitamina C. Laranja e limão, por exemplo, possuem propriedades antioxidantes, que fortalecem as defesas do corpo.

Para o equilíbrio da flora vaginal, um bom remédio caseiro são os iogurtes naturais, ricos em bactérias saudáveis para o corpo. Por último, lavagens na vagina com óleos anti-inflamatórios e antibacterianos também podem ajudar no tratamento. São indicados, por exemplo, o chá de aroeira, o óleo de melaleuca e calêndula. Antes de usar estes últimos, é importante consultar o ginecologista, pois podem causar reações alérgicas e agravar a condição.

Possíveis Complicações

Além de desagradável, principalmente durante as relações sexuais, a infecção por gardnerella mobiluncus, quando não tratada, pode trazer algumas complicações para a vida da mulher. Como o equilíbrio da flora vaginal fica debilitado, a chance de contrair outras doenças, principalmente as sexualmente transmissíveis, será maior.

Doenças inflamatórias da região pélvica, como a endometrite e a salpingite também podem ocorrer com maior facilidade, especialmente após cirurgias realizadas na região genital. Por último, outras duas complicações graves causadas pela infecção são a infertilidade e o aborto espontâneo – quando contraída por mulheres grávidas.

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Referências
  • Wikipédia
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Mobiluncus
  • Prevalência de gardnerella e mobiluncus em exames de … – SciELO
    http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-59072007000400008
  • Mobiluncus – an overview | ScienceDirect Topics
    https://www.sciencedirect.com/topics/medicine-and-dentistry/mobiluncus
  • Bacterial vaginosis associated with Mobiluncus species in general …
    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2020954
Autores
Drª Camille Rocha Risegato (Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093)

Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093

Dra Camille Vitoria Rocha Risegato - CRM SP nº 119093 é formada há 14 anos pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques, Rio de Janeiro.

> Consultar CRM (Fonte: https://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_medicos&Itemid=59)

Dra Camille mudou-se para São Paulo onde realizou e concluiu residência médica em Ginecologia e Obstetrícia (RQE nº 25978) no Centro de Referência de Saúde da Mulher no Hospital Pérola Byington em 2007.

Em 2008 se especializou em Patologia do Trato Genital Inferior nesse mesmo serviço. Ainda fez curso de ultrassonografia em ginecologia e obstetrícia na Escola Cetrus.

Trabalha em setor público e privado, atendendo atualmente em seu consultório médico particular situado na Avenida Leoncio de Magalhães 1192, no bairro do jardim São Paulo, zona norte de São Paulo.

Também pode encontrar a Dra Camille no Linkedin, Facebook e Instagram

.
Última atualização da página em 08/08/19