O que é Ginecomastia? Tratamento, preço da cirurgia, causas e exames de diagnóstico

Revisado por Equipe Editorial a 23 junho 2018

O que é? A ginecomastia é uma condição na qual o tecido glandular nos seios aumenta em meninos ou homens, causando desconforto ou sensibilidade nos mamilos. Geralmente, é o resultado de um desequilíbrio hormonal e geralmente ocorre durante a infância, adolescência ou entre a idade média e adulta.

Entenda O Que é A Ginecomastia E Qual O Melhor Tratamento

A ginecomastia deve ser diferenciada do aumento dos seios devido a depósitos de gordura encontrado em homens com excesso de peso.

A condição geralmente desaparece sozinha, existindo tratamentos disponíveis para os casos mais graves ou persistentes.

Quando o distúrbio é o resultado de um problema de saúde subjacente, o tratamento desse problema geralmente também melhora a ginecomastia.

Até 70 por cento dos meninos em início da puberdade experimentam ginecomastia devido a alterações hormonais que ocorrem durante a puberdade.

O distúrbio também é comum em homens de meia-idade e idosos, afetando até 65% dos homens nestas idades.

Causas comuns ginecomastia

Fotos Antes E Depois Da Ginecomastia

 

Embora as pessoas tendam a pensar em andrógenos (como a testosterona) como “hormônios masculinos” e estrogênios como “hormônios femininos”, ambos os sexos produzem os dois tipos de hormônios.

Nos homens, os andrógenos são, de longe, o hormônio predominante. A ginecomastia pode ocorrer quando o equilíbrio muda, com um aumento do estrogênio ou na diminuição dos andrógenos.

Este evento pode ocorrer devido a mudanças hormonais esperadas durante a puberdade, durante o envelhecimento ou devido ao uso de algumas drogas ou produtos à base de plantas.

As causas mais comuns de ginecomastia em homens adultos que procuram uma avaliação médica para o problema incluem:

  • Ginecomastia puberal que não resolve – 25 por cento
  • Drogas – 10 a 25 por cento
  • Causas desconhecidas (idiopáticas) – 25 por cento

Puberdade

A ginecomastia que ocorre durante a puberdade geralmente se resolve sem tratamento dentro de seis meses a dois anos. A condição desenvolve-se normalmente entre as idades de 10 e 12 anos e ocorre mais comumente entre as idades de 13 e 14 anos. A condição persiste além dos 17 anos em até 20% dos indivíduos.

Drogas

Existem algumas drogas associadas ao distúrbio, incluindo:

  • Espironolactona (nome comercial: Aldactone), um medicamento usado para tratar insuficiência cardíaca, pressão alta e várias outras condições.
  • Cetoconazol, um medicamento usado para tratar infecções fúngicas.
  • Cimetidina (nome comercial: Tagamet), ranitidina (nome comercial: Zantac) e medicamentos relacionados chamados bloqueadores dos receptores H2. Essas drogas são usadas para tratar úlceras do estômago e azia grave.

Quando o distúrbio é causado por medicamentos que o indivíduo toma, o médico pode recomendar a paragem no uso do medicamento ou substituí-lo por outro medicamento com menor probabilidade de causar a doença.

A ginecomastia ocorre em até 75% dos homens que tomam medicamentos “chamados antiandrogênicos” para tratar o câncer de próstata. Embora estes pacientes não possam interromper ou substituir o tratamento do câncer de próstata, eles podem tomar algumas medidas para prevenir a ginecomastia.

Outros Medicamentos e drogas problemáticas:

  • maconha
  • digitálicos (medicamento para o coração)
  • reserpina (medicamento para hipertensão arterial)
  • gonadotrofinas, testosterona e esteróides anabolizantes

Produtos à base de plantas

A ginecomastia em crianças tem sido associada ao uso regular de produtos de cuidados da pele (loções, sabonetes e xampus) contendo óleo de melaleuca e óleo de lavanda.

Estes óleos contêm estrogênios vegetais e podem afetar o equilíbrio hormonal do corpo.

Nestes casos, geralmente o problema resolve-se completamente após desuso destes produtos.

Os produtos à base de soja, como o leite de soja, geralmente não causam crescimento mamário, a menos que sejam consumidas grandes quantidades regularmente.

Tratamento para HIV / AIDS

Os homens que realizam o tratamento para o vírus da imunodeficiência humana (HIV) / síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS), chamado de terapia anti-retroviral altamente ativa (HAART), por vezes desenvolvem o tamanho das mamas.

Na maioria dos casos, este aumento do peito ocorre devido à redistribuição de gordura – um efeito colateral do tratamento.

Causas desconhecidas (idiopáticas)

Nem sempre é clara a causa do problema em fases mais avançadas da vida. Ainda assim, sabe-se que à medida que os homens envelhecem, os níveis de testosterona no sangue também tendem a diminuir, e o equilíbrio hormonal sofre alterações na relação estrogênio-testosterona. Esses fatores provavelmente explicam a presença dos casos “idiopáticos”.

Tipos e Graus de gravidade

O crescimento mamário pode ser dividido em três tipos:

  • glandular ( “ginecomastia verdadeira”) :  apenas um crescimento anormal de tecido
  • gordurosa (“pseudo ginecomastia ou lipomastia”) : este é um caso mais leve , onde há apenas acúmulo de gordura na região, sem hipertrofia glandular.
  • mista: há um aumento tanto do tecido glandular, como de tecido gorduroso na região peitoral.

A Pseudoginecomastia apresenta uma componente essencialmente adiposa, e ocorre associada à obesidade.

Avaliação ginecomástica

Fotos Antes E Depois Da Ginecomastia 2

A ginecomastia não deve ser confundida com a pseudoginecomastia, que ocorre em homens com excesso de peso, cujos seios aumentam devido a depósitos de gordura.

Em homens ou rapazes com os seios aumentados ou sensíveis, o médico deve realizar um exame para determinar se o tecido dos seus seios é gordura ou glandular. O tecido glandular é projetado para secretar substâncias, como o leite ou hormônios, e geralmente tem uma rede de dutos que podem ser sentidos à palpação.

Quando o profissional tem dificuldade em determinar se o paciente tem ou não ginecomastia, é recomendada uma ultrassonografia de mama ou uma mamografia – um raio X especializado da mama.

Exames laboratoriais

Em algumas ocasiões, podem ser solicitados exames de sangue para medir o nível de hormônios. Estes geralmente não são necessários se a causa da ginecomastia (por exemplo, puberdade, drogas) for identificada.

Tratamento da ginecomastia

Caso De Ginecomastia Em Que Uma Mama Está Maior Que Outra

O melhor tratamento para a ginecomastia depende sempre da sua causa, da duração, gravidade, e se o distúrbio causa dor ou desconforto na mama.

Tratamento em Adolescentes

Nos casos de ginecomastia puberal os médicos geralmente não aconselham tratamento, pois por vezes ela desaparece por conta própria.

Em meninos com ginecomastia grave que causa dor ou constrangimento substancial, pode ser recomendada a toma de tamoxifeno (Nolvadex) ou raloxifeno (Evista), ambas para tomas de curta duração.

Essas drogas bloqueiam os efeitos do estrogênio no corpo e ajudam a reduzir o tamanho da mama. No entanto, para quem reside nos Estados Unidos, é preciso saber que nenhum desses medicamentos está aprovado para o tratamento da ginecomastia.

Tratamento em Homens adultos

O tratamento geralmente não é recomendado em homens adultos cujo problema possa ser causado por uma condição de saúde subjacente ou pelo uso de drogas. Nesses casos, tratar a condição subjacente ou interromper o uso da droga problemática, geralmente é o suficiente para tratar o problema.

Em homens com ginecomastia idiopática que causa desconforto e dura mais de três meses, pode ser recomendada a administração de um ciclo curto (de três a seis meses) de tamoxifeno ou raloxifeno.

Tratamento em Pacientes com câncer de próstata

A ginecomastia é uma complicação comum do tratamento hormonal para o câncer de próstata (terapia de privação androgênica ou monoterapia com antiandrógeno). No entanto, existem opções alternativas disponíveis para prevenir o desenvolvimento desta, incluindo o tamoxifeno e a radioterapia.

Tamoxifeno

O tamoxifeno pode ser tomado juntamente com o tratamento hormonal anti-câncer de próstata (privação androgênica ou monoterapia antiandrógeno). O fármaco deve ser tomado todos os dias durante o tratamento antiandrogênico. Num estudo realizado, apenas 8 por cento dos homens que tomaram um antiandrogênio em conjunto com tamoxifeno, desenvolveram ginecomastia.

O tamoxifeno também pode ser administrado em homens que desenvolvem este crescimento mamário enquanto tomam antiandrogênicos.

Radioterapia

O tratamento da mama através de radiação antes do início do tratamento antiandrogênico pode prevenir a ginecomastia em alguns homens. A radioterapia é geralmente administrado em uma a três sessões (semelhante a um raio X).

Quando a ginecomastia já se desenvolveu, ela pode ser tratada com doses de radiação mais elevadas. No entanto, quando administrada em seios já desenvolvidos, a radiação não é tão eficaz na redução do tamanho destes.

Radioterapia versus tamoxifeno

Embora o tamoxifeno seja mais eficaz que a radiação em homens que fazem monoterapia com antiandrógeno, o tamoxifeno deve ser usado durante o tratamento antiandrogênico. Em alguns homens, a realização de uma a três sessões de radioterapia é mais conveniente.

Cirurgia

Embora o tamoxifeno e o raloxifeno sejam eficazes em homens e meninos que tiveram as mamas aumentadas por alguns meses, a droga não é eficaz em homens cujo tecido mamário não é sensível ou que tenha o distúrbio há mais de um ano.

Para esses homens, a cirurgia é uma excelente opção para reduzir o tamanho dos seios.

Nos adolescentes geralmente não é recomendada a cirurgia até que a puberdade esteja completa – isto porque existe o risco de haver um recrescimento do tecido mamário nesta fase – antes da puberdade ser concluída.

A extensão da cirurgia depende da gravidade, tamanho do peito, e se existe a presença de tecido adiposo. Muitos homens são tratados com uma combinação de remoção cirúrgica do tecido glandular e lipoaspiração.

Quanto custa a cirurgia?

O preço da remoção do excesso mamário vai depender diretamente do grau da ginecomastia. Em Portugal os valores situam-se entre 1700 a 2600 euros. No Brasil variam entre R$ 900,00 e R$ 3.600,00.

Cuidados pós operatórios

Os drenos são deixados na noite após a cirurgia, a fim de evitar a formação de hematomas, sendo também usado um curativo compressivo durante 7-10 dias. Depois de retirar os pontos, recomenda-se ao paciente a realização de massagens. O exercício físico deve ser evitado durante o 1º mês.

É possível realizar a cirurgia de forma gratuita?

Sim, este é um dos procedimentos oferecidos pelo SUS de forma completamente gratuita, deste que o paciente sofra de um grau grave do distúrbio – uma vez que o SUS não cobre cirurgias simplesmente estéticas.

Os resultados da cirurgia antes e depois

Imagens Reais Antes E Depois De Lipoaspiração Em Homem Com Ginecomastia

Resumindo

Em meninos adolescentes o distúrbio é geralmente causado por alterações hormonais relacionadas à puberdade. A ginecomastia puberal geralmente resolve-se sozinha, mas a condição persiste até a idade adulta em até 20% dos indivíduos. Em casos extremos ou dolorosos, pode ser recomendado um ciclo curto de tamoxifeno.

Em homens adultos este desenvolvimento mamário pode ser causado por um problema de saúde subjacente ou pelo uso de um medicamento. Nesses casos, o tratamento da condição subjacente ou a suspensão da droga geralmente permitem reverter o problema. Quando não é possível identificar a causa, o uso curto de tamoxifeno pode ser uma das recomendações.

Os homens que já têm a ginecomastia há mais de um ano normalmente não se beneficiam com o uso do tamoxifeno. Para estes, a cirurgia de redução de mama é uma das opções.

Os homens com câncer de próstata submetidos a terapia antiandrogênica correm o risco de desenvolver este crescimento mamário. O pré-tratamento com radiação ou a toma de medicação (tamoxifeno) juntamente com o antiandrógeno são duas opções para prevenir o crescimento da mama.

Onde obter mais informações?

O médico é a sua melhor fonte de informação para dúvidas e preocupações relacionadas ao problema.

Referências