Halitose

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

Halitose significa mau hálito (cheirar mal da boca). Muitas das vezes, a pessoa não se dá conta que o tem e é sempre notado muito de perto pelas outras pessoas. O estigma social da halitose significa que, muitas das vezes, a pessoa pode tê-lo por muito tempo antes que alguém o refira.

Causas da halitose:

A halitose pode não ser um sintoma de doença e pode somente ser causada por uma higiene dentária deficiente. As partículas de comida alojadas entre os dentes são atacadas pelas bactérias que naturalmente vivem na boca e isto produz um odor desagradável. Alimentos com forte sabor como o alho e o café produzem um odor prolongado antes que a acção da bactéria se inicie. O fumo também é uma causa muito comum. A verdadeira halitose como um sintoma clínico tem diversas causas:

Infecções da boca (a mais comum das causas)
Gengivite (infecção das gengivas)
Faringite ou a amigdalite grave
Infecção dental e abcesso
Gengivite ulcerativa necrótica aguda (uma infecção grave das gengivas com um odor repulsivo muito característico e forte)

Outras causas:

Sinusite (infecção dos espaços respiratórios da estrutura facial): esta causa faz com que o pus da infecção escorra pela parte posterior do nariz e garganta, causando mau hálito.

Infecções pulmonares: a pneumonia e especialmente a bronquiectasias (dilatações anormais dos pulmões resultantes normalmente de Doenças Pulmonares Crónicas).

Alguns distúrbios intestinais: estes podem levar a que o gás que se encontra para além do estômago, migre em sentido retrógrado e seja levada do esófago até à boca (arroto).

Diabetes não controlada: isto provoca que o corpo produza substâncias químicas denominadas cetonas: a cetoacidose diabética. Tem um odor característico enjoativo-adocicado e indica um grave problema com o controlo da diabetes. Este cheiro tem o seu próprio nome, hálito cetoacidótico. As cetonas também são produzidas pelo corpo quando não há ingestão de alimentos (fome).

Alguns medicamentos: isossorbido e disulfiram

Consumo de Droga: o abuso de dissolvente pode causar um odor de hálito durante algumas horas após o seu uso e o hálito dos alcoólicos ou grandes bebedores tem sempre o cheiro característico da bebida alcoólica (Veja alcoolismo).

Raramente uma pessoa se convence que tem halitose quando mais ninguém o pode detectar. Isto pode ser um sinal de um problema psiquiátrico (estado depressivo, hipocondríase). A ingestão de algumas substâncias, incluindo alguns dos ingredientes das bebidas alcóolicas, são parcialmente exaladas no hálito, mas o odor genuíno e persistente proveniente dos pulmões sugere que uma outra causa está a despontar no organismo. São relevantes:

A diabetes pode causar um odor semelhante à acetona
A falha dos rins com a produção de produtos residuais inúteis no sangue (uremia) podem originar uma urina com odor semelhante ao hálito.
Abcesso pulmonar, cancro do pulmão ou anormal dilatação da passagem de ar com a estagnação de secreções (bronquiectasia) podem causar um odor pútrido.
A insuficiência hepática causa também um hálito característico.

O tipo de hálito de forma alguma reflecte o estado da digestão ou o funcionamento do intestino. Somente em casos raros acontecerá o regurgitar com odor desagradável, como no cancro do estômago quando a saída está bloqueada e a comida fica retida.

Diagnóstico – Como se Diagnostica:

O diagnóstico da causa depende de um relato e exame clínico cuidados da boca, garganta e nariz e provavelmente do peito e abdómen. A limpeza da boca, garganta e nariz pode ajudar a determinar uma significativa infecção.

Prevenção – Cuidados a ter:

A halitose simples (não clínica) pode ser prevenida pelo escovar dos dentes e gengivas com regularidade e a utilização de fio dental entre os dentes, pelo menos uma vez ao dia. Utilizar palitos após as refeições é pouco vulgar hoje em dia mas é adequado e muito eficaz.

Riscos e Complicações da halitose:

A maior complicação é o embaraço social que causa, devido ao estigma de possuir mau hálito e o facto de ser desagradável para as outras pessoas. Dado que o paciente pode não se aperceber disso durante algum tempo e porque os demais podem ficar demasiado embaraçados de o referir, as causas clínicas (particularmente as infecções da boca) podem não ser detectáveis. Elas podem alastrar mais do que deveriam se a halitose tivesse sido acompanhada desde logo.

Tratamento da halitose:

O tratamento da halitose clínica depende da causa.