Hipogonadismo Masculino

20% dos homens com mais de 60 anos sofre de hipogonadismo.

A testosterona diminui progressivamente nos homens com mais de 50 anos, o que pode provocar alterações significativas na sua qualidade de vida.

A deficiência de testosterona provoca sintomas que se designam de hipogonadismo e que passam pela diminuição da massa muscular e da libido, disfunção eréctil, anemia, cansaço, osteoporose, aumento da gordura corporal, depressão e irritabilidade.

Segundo dados da ONU, o hipogonadismo é detectado em cerca de 20% dos homens com idade superior a 60 anos.

Ainda de acordo com as Nações Unidas, estima-se que em 1999 existiam 40 milhões de homens com hipogonadismo, número que em 2050 deverá subir para 160 milhões.

Para fazer face a essa situação, a Schering lançou recentemente um fármaco em gel que, para além das vantagens em termos de aplicação, «torna possível o restabelecimento dos níveis sanguíneos normais de testosterona, que se mantêm estáveis durante 24 horas apenas com uma aplicação diária», explica a assessora científica da área hospitalar da Schering Lusitana, Dr.ª Sofia Ferreira.

Segundo a mesma fonte, um estudo efectuado nos EUA demonstrou que esse gel originou «o aumento da libido nos homens e da sua performance sexual», conseguindo ainda «diminuir a irratibilidade, a depressão e aumentar o bem–estar e a vitalidade».

Permitiu, ainda, aumentar a massa e a força muscular e a densidade mineral óssea.

Contudo, salienta Sofia Ferreira, «a terapêutica de reposição da testosterona no hipogonadismo masculino só deve ser efectuada após a deficiência de testosterona ter sido confirmada através de sinais clínicos e exames laboratoriais».

Saiba mais sobre o Hipogonadismo e 6 Tratamentos Naturais

Informação para profissionais de saúde e estudantes de medicina:

Hipogonadismo Masculino – Sintomas, Causas e Características do diagnóstico

Os principais sintomas são Diminuição da libido, impotência e Crescimento escasso dos pêlos corporais masculinos. Os testículos podem ser pequenos ou de tamanho normal; em geral, a testosterona sérica costuma estar reduzida.

Gonadotropinas séricas (LH e FSH) estão reduzidas no hipogonadismo hipogonadotrópico; aumentadas na insuficiência testicular primária (hipogonadismo hipergonadotrópico).

As causas de hipogonadismo hipogonadotrópico incluem enfermidade crônica, desnutrição, fármacos, tumor hipofisário, síndrome de Cushing, hiperprolectinemia, síndromes congênitas (p. ex., síndrome de Kallman).

As causas de hipogonadismo hipergonadotrópico incluem síndrome de Klinefelter, anorquia ou criptorquidia, traumatismo testicular, orquite, distrofia miotônica, hemocromatose, disgenesia gonadal e defeitos na biossíntese de testosterona.

Diagnóstico diferencial
. Distúrbios mencionados acima
. Insensibilidade aos androgênios
. Disfunção erétil neurogênica ou vascular
. Hipotireoidismo

Hipogonadismo Masculino Tratamento
Avaliar e tratar disturbio subjacente.
Reposição de testosterona (intramuscular ou transdérmica).

Dica
Uma das razões para avaliação do primeiro nervo craniano: a anosmia é uma manifestação da síndrome de Kallman.

Referência
Hayes FJ et al.: Hypogonadotropic hypogonadism