Homeopatia – mitos e verdades

Homeopatia – mitos e verdades

Muito se tem dito sobre a homeopatia e algumas questões são frequentemente colocadas. Descubra os mitos e as verdades. O processo de cura através da homeopatia engloba um diagnóstico onde homeopata procura conhecer todos os sintomas do paciente. Assim, é possível verificar como cada indivíduo interage com o meio que o cerca e qual a solução para o mal que o aflige. Pelos sintomas apresentados e observados, o homeopata escolhe, com base na totalidade sintomática do paciente, o medicamento que seja um espelho do paciente e que, portanto, seja capaz de curá-lo.

A homeopatia é um método natural de tratamento

Verdade – A terapia utiliza nos tratamentos terapêuticos substâncias naturais de origem animal, vegetal ou mineral que são preparadas por diluições sucessivas em água ou álcool. Não deve ser confundida com a fitoterapia que usa apenas substâncias de origem vegetal e cujas fórmulas são preparadas de modo diferente.

Se não faz bem também não faz mal

Mito – Todas as substâncias utilizadas nos medicamentos homeopáticos agem sobre os organismos semelhantes à substância utilizada. Pode ocorrer que essa semelhança não seja total de forma a curar o indivíduo, mas antes parcial, de forma que irá induzir o indivíduo a algum tipo de reacção que nem sempre é agradável. Logo, a homeopatia só deve ser utilizada pelo médico especialista, capaz de analisar a semelhança do remédio com o indivíduo.

Os remédios têm de ser tomados de hora a hora

Relativo – Depende do quadro clínico. Nos casos crónicos onde é preciso um efeito rápido, é necessário tomar a medicação com mais frequência, mas esse tipo de esquema é usado normalmente no primeiro dia. Nos dias subsequentes as tomas reduzem-se para 3 ou 6 vezes ao dia.

A homeopatia é um tratamento empírico

Mito – A homeopatia é uma ciência que existe desde 1796 e rege-se pela lei da similitude: para curar uma doença, é necessário dar ao doente um remédio que provoque os sintomas dessa doença.

A homeopatia não aceita outras formas de tratamento

Mito – Os homeopatas examinam o paciente através de um diagnóstico, bem como de exames complementares (radiografias, exames ao sangue, etc.) e usam outras terapias quando necessário. A verdade é que o homeopata também recomenda uma cirurgia, quando ela é realmente necessária. Inclusive muitos remédios homeopáticos são utilizados para minimizar os efeitos traumáticos da cirurgia, bem como os efeitos indesejáveis da anestesia. Ou seja, o homeopata é um especialista como outro qualquer, apenas vê o seu paciente noutro ângulo.

A homeopatia não actua em qualquer caso

Mito – A homeopatia actua em todas as situações, não existindo nenhuma contra-indicação para a sua utilização. No entanto, a sua dosagem deve ser adequada a cada indivíduo. A homeopatia defende que as pessoas não se devem auto-administrar com um determinado medicamento só porque alguém conhecido diz ter obtido bons resultados com ele. Não se esqueça que os remédios utilizados na homeopatia não são para este ou aquele quadro clínico, mas sim para um determinado indivíduo com um quadro clínico específico. É justamente por isso que muitas pessoas que já fizeram uso da medicação homeopática não ficaram satisfeitas com o resultado. A “culpa” não é do método terapêutico, mas sim das prescrições realizadas sem a correcta individualização do quadro e do paciente.