Igreja de S. Pedro – Alenquer

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Igreja de S. Pedro em Alenquer. Há provas documentais da existência desta igreja nos meados do século XIII. Pelo testemunho do seu pároco, datado de 1758, sabemos que o edifício foi completamente arrasado pelo terramoto de 1755. Poucos anos depois estava reconstruído e de novo aberto ao público. No entanto, em 1873, Guilherme Henriques dá testemunho de que a igreja «tinha um ar de desolação e que estava rapidamente caindo em ruínas.»

Em 1940 sofre novas obras e é ali integrada uma velha capela quinhentista vinda da arruinada igreja da Várzea. Para essa capela passou o túmulo de Damião de Goes. Para ela foram transferidos todos os componentes da velha igreja da Várzea ligados ao cronista e à sua mulher. Na parede do lado esquerdo encontra-se uma pedra com os brasões de Damião de Goes e de sua mulher Joana de Hargen; na parede oposta há outra lápide com inscrição que tem ao alto e ao centro a escultura da cabeça do cronista falecido em 1574. No pavimento está a sua laje tumular.

Também a janela com pequenos colunelos e vitral amarelado veio da Igreja da Várzea; o próprio pavimento da capela teve a mesma proveniência. Num pequeno altar está a magnífica escultura do «Ecce Homo» que, segundo a tradição, foi trazida para Portugal por este ilustre alenquerense.

Para além desta capela, há ainda na igreja outras peças de muito interesse e valor. Começamos por referir o tecto de madeira da capela-mor com uma boa pintura do século XVIII sob o tema «Santíssima Trindade».

É ainda digno de referência o belo conjunto que se encontra no altar lateral esquerdo composto por um «Cristo Crucificado» (séc. XVIII) de grandes dimensões, uma «Pietá» de pedra policromada atribuível ao séc. XVI e uma imagem do século XVII, em madeira, com a representação do «Senhor Morto». Na sacristia há um arcaz curiosamente decorado com valiosos painéis do século XVI: «A Anunciação», «Um Apóstolo», «Um Santo», «Dois Santos». Um pequeno painel «S. Pedro e o Anjo», pintado há alguns anos pelo artista Álvaro Duarte de Almeida, faz também parte deste conjunto.

Há ainda, noutros lugares desta igreja, algumas pinturas de cavalete. De entre estas destacaremos a «Ultima Ceia» pintada sobre tábua (séc. XVI/XVII) e duas outras telas de boa factura. Todos estes quadros têm molduras em talha dourada de muito boa qualidade. No baptistério encontra-se um bela pia baptismal quinhentista, de formato octogonal, com decoração relevada. No exterior, junto às paredes da Igreja, estão arrumados alguns restos de lajes tumulares, certamente retirados do pavimento no restauro efectuado na década de sessenta.

Morada:Largo de São Pedro
2580 ALENQUER
Distrito: Lisboa
Concelho: Alenquer
Freguesia: Santo Estevão