Inflamação no ovário: Sintomas, o que pode ser e como tratar

A inflamação no ovário, descrita em medicina como ovarite ou ooforite, é a inflamação aguda, crônica ou autoimune de um ou ambos os ovários. Quando acomete os dois ovários recebe o nome de ooforite bilateral e pode ocorrer de forma independente ou juntamente com a inflamação de outros órgãos, dando origem a patologias como a doença inflamatória pélvica (processo inflamatório na região superior do aparelho reprodutor feminino (ovários, trompas de falópio, útero e ligamentos) e anexite ou salpingite (inflamação das tubas uterinas). Veja o que pode causar dor nos ovários.

Geralmente é causada ​​por infecções, mas também pode ocorrer devido a um mau funcionamento do sistema imunológico que ataca os próprios ovários (autoimune).

As bactérias mais frequentemente encontradas são as Streptococcus, Staphylococcus, E. colie e gonococos e tem como principais sintomas: muito desconforto e incômodo, febre alta, dor ao urinar, dor na relação sexual, dor na região inferior da barriga, alterações no ciclo menstrual, além de, em alguns casos, prejudicar a possibilidade da mulher engravidar. A sua maior incidência ocorre em mulheres entre os 25 e 35 anos.

Como Identificar E Tratar A Inflamação No Ovário

Como saber se o ovário está inflamado?

É importante a mulher ficar atenta a alguns sintomas, sabendo que esses mesmos sinais também podem ser alertas para outras doenças, como a inflamação nas tubas uterinas e também, a endometriose. Caso exista alguma suspeita, é importante a mulher consultar o ginecologista para receber o devido diagnóstico e tratamento. Os principais sintomas de inflamação do ovário incluem:

  • Dor na região inferior da barriga e ovários
  • Dor no abdômen
  • Febre alta acima de 37,5º C
  • Mal-estar
  • Dor de cabeça
  • Dor nas costas: é possível a inflamação disseminar-se para outras áreas do corpo e causar dor em outras regiões, como o cóccix ou as costas.
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Diarreia
  • Enjoos
  • Dor ao urinar
  • Ardor ao urinar
  • Desconforto
  • Nervosismo e palpitações
  • Secreção vaginal
  • Sangramento vaginal excessivo
  • Alterações no ciclo menstrual
  • Dor durante a relação sexual
  • Dificuldade para engravidar

A inflamação dos ovários por vezes é confundida com um processo inflamatório que ocorre no útero, por isso é importante conhecer aqui quais os sintomas mais frequentes nesta situação.

Principais causas da inflamação

A inflamação nos ovários tem como causa principal as bactérias, que podem ser dos tipos: estreptococos, estafilococus, gonococos ou bacilos do grupo coli. O processo inflamatório pode atingir apenas um ou os dois ovários, sendo neste último caso denominada de ooferite bilateral. A inflamação pode ser aguda, crônica (quando é recorrente), autoimune, ou ser proveniente de alguma complicação anterior de um quadro de caxumba (papeira).

Outras causas incluem:

  • Frio
  • Aborto
  • Infecções sexualmente transmissíveis
  • Candidíase
  • Câncer
  • Problemas relacionados com o puerpério (fase pós-parto)
  • Alergia a medicamentos administrados por via vaginal sob a forma de óvulos.

Classificação da inflamação (aguda, crônica ou autoimune)

A inflamação recebe o nome de aguda quando ocorre de forma isolada e tem como causa as bactérias que atingem um ou ambos os ovários. O tratamento geralmente é feito através de anti-inflamatórios e antibióticos.

A inflamação crônica ocorre quando a mulher tem casos repetidos de infecções, podendo ter origem em inflamações localizadas nas trompas de Falópio. Em situações graves, o ginecologista pode optar por realizar uma cirurgia para remover os ovários.

A ooferite autoimune, como o seu nome indica, se trata de um descontrole do sistema imunológico, onde o próprio organismo, ao invés de ser protegido pelas células, acaba sendo atacado por elas. Nesse caso, as células do ovário são destruidas, fazendo com que a mulher se torne infértil.

Como é feito o diagnóstico

Tendo em vista o fato de não haver sintomas clínicos concretos que permitam ao médico um diagnóstico exato apenas com história clínica, quando existe suspeita de inflamação no ovário podem ser solicitados alguns exames para facilitar o diagnóstico, bem como para desconsiderar outras possíveis doenças:

  • Exame de sangue (hemograma completo) – realizado para avaliar a saúde geral da mulher.
  • Exame de urina – exame com finalidade de diagnóstico de estado fisiológico ou patológico.
  • Velocidade de hemossedimentação – exame que mede o grau de sedimentação dos glóbulos vermelhos em um espaço de tempo.
  • Avaliação microbiológica – exame para analisar fungos vírus, protozoários e bactérias.
  • Ultrassonografia pélvica – é uma técnica de diagnóstico por imagem que possibilita de maneira não invasiva, o reconhecimento de órgãos, diante de emissão e recepção de ecos. Permite que se avalie de forma integral o útero e os ovários.
  • Radiografia simples do abdome – é um meio de diagnóstico de imagem que utiliza radiação X e possibilita observar em totalidade a região abdominal.
  • Laparoscopia – é um procedimento cirúrgico, feito sob anestesia geral, muito pouco invasivo.

Como tratar a inflamação?

O tratamento da inflamação nos ovários normalmente é farmacológico, mediante a administração de medicamentos antibióticos e anti-inflamatórios que eliminam a infecção e ajudam a reduzir a inflamação, e remédios para os enjoos e para a dor, porém, todos eles devem ser prescritos pelo ginecologista.

Os medicamentos antibióticos prescritos poderão ser a amoxicilina ou a azitromicina, que serão utilizados por um período de 8 a 14 dias. O medicamento anti-inflamatório prescrito poderá será o ibuprofeno.

Para os enjoos pode ser indicada a metoclopramida.

Para as dores podem ser indicados analgésicos, como o Paracetamol.

Em processos inflamatórios crônicos, ou quando mulher tem as tubas uterinas inflamadas, por vezes existe a necessidade de internação hospitalar para serem administrados medicamentos intravenosos (através da veia). Em situações mais graves, o ginecologista pode decidir que o melhor para a paciente é realizar uma cirurgia, que pode exigir a remoção de um ou ambos os ovários.

Remédios caseiros

Como método preventivo ou enquanto aguarda pela consulta, a mulher pode tomar algumas atitudes. Na sequência descrevemos alguns remédios caseiros que podem ser usados em casa:

  • Evite o frio e a umidade;
  • Massageie a região inferior das costas, coxas, nádegas e estômago para soltar os músculos tensos e reduzir a dor;
  • O exercício e alguns alongamentos podem ajudar a reduzir a dor desencadeada pela inflamação e aliviar a tensão muscular;
  • Aplique calor na região: O calor aumenta o fluxo sanguíneo e ajuda a reduzir o desconforto. Tente colocar uma almofada de aquecimento no estômago ou na região lombar durante 20 minutos. É seguro repetir o método várias vezes ao dia, desde que a almofada não esteja quente demais para originar queimaduras na pele;
  • Técnicas de relaxamento: O estresse e a ansiedade podem agravar a dor. A meditação, o ioga e a respiração profunda, podem ajudar a reduzir a ansiedade e consequentemente, a intensidade da dor;
  • Realize uma dieta rica em vegetais e frutas;
  • Tome suco de uva, laranja e maçã;
  • Realize um banho morno diário imergindo as pernas e a barriga por 10 minutos. O calor pode ajudar a reduzir a dor. Adicione sais de Epsom (sulfato de magnésio) à água do banho para conseguir um maior alivio das dores;
  • Beba 2 litros de água diariamente;
  • Cataplasma de argila no abdômen;
  • Chá de camomila;
  • Chá de tanchagem;
  • Chá de jurubeba;
  • Chá de cavalinha;
  • Chá de gengibre;
  • Chá de folhas de goiabeira;
  • Suco de chicória.

Tenha em mente que alguns destes tratamentos caseiros, principalmente os que envolvem tomar banho, não devem ser usados ​​se a mulher estiver grávida. Portanto, antes de realizar qualquer ação, é importante consultar o médico.

Caso a paciente esteja tomando algum medicamento é importante consultar o médico antes de adicionar qualquer erva ou suplemento à sua alimentação, já que algumas plantas podem interagir com algum medicamento que esteja tomando ou provocar efeitos colaterais.

Fatores de risco e como prevenir

A inflamação, seja de um ou ambos os ovários, ocorre com maior frequência em mulheres jovens que ainda não passaram por uma gravidez. As relações íntimas com diferentes parceiros, o tabagismo e as duchas vaginais são alguns fatores de risco para desenvolver ooforite.

Embora não seja comum, o uso do DIU (Dispositivo Intrauterino) também pode ser uma das causa de inflamação não apenas do ovário, mas também das trompas e do útero.

higiene íntima adequada, assim como evitar umidade na região genital, é essencial para prevenir infecções e inflamações.

Dúvidas comuns

A inflamação no ovário pode causar Infertilidade?

A infertilidade, também conhecida como infecundidade ou esterilidade, quando ocorre em decorrência de uma inflamação no ovário, sim, pode levar a mulher a perder a fertilidade. Cabe salientar que é uma situação muito rara. Quando ocorre, geralmente tem causas autoimunes – em que o sistema imunológico fica descontrolado e por engano, acaba destruindo as células do ovário, fazendo com que a mulher não possa mais engravidar.

É possível ocorrer na menopausa?

Sim é possível. Embora não seja comum porque na menopausa os ovários já não têm função regular, processos inflamatório nos ovários podem ocorrer em qualquer etapa da vida da mulher.

É um sintoma comum durante a gravidez?

Não é comum acontecer na gravidez, mas a mulher pode perceber os ovários inflamados, devido às alterações hormonais do organismo e ao próprio estado de gestação.

VOLTAR PARA »

Referências
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Inflamação no ovário: Sintom…