Inositol: Componente Orgânico do Complexo B

INOSITOL – Vitaminas do complexo B

O Inositol foi identificado pela primeira vez, há mais de um século e um meio atrás, pelo químico alemão Josef Sherer (1850.1851). O inositol é um composto hidrossolúvel, outro componente do complexo B e um Lipotrópico. É quantificado em miligramas (mg). Combina-se com a colina para formar a lecitina. Metaboliza as gorduras e o colesterol.

Não foram estabelecidas necessidades mínimas diárias, mas o adulto médio consome cerca de um grama por dia. Tal como a colina, o inositol é também bastante importante para a nutrição das células cerebrais.

Para que serve o inositol, e o que tem de bom

suplemento-de-inositol

Ajuda a baixar os níveis de colesterol. Evita a queda de cabelo e dá-lhe um aspecto saudável. Contribui para prevenir o eczema. Promove a redistribuição das gorduras do corpo. Produz um efeito calmante no organismo.

Outros usos terapêuticos

Alguns estudos (não todos) sugerem que doses elevadas de inositol podem ser úteis no tratamento da depressão. Este composto orgânico também tem sido estudado para o tratamento do transtorno bipolar, transtorno do pânico, bulimia e transtorno obsessivo compulsivo, no entanto as evidências permanecem inconclusivas.

Outros usos incluem-no no tratamento do Alzheimer, Distúrbio do déficit de atenção, tratamento do Transtorno Disfórico Pré Menstrual e no tratamento da neuropatia diabética.

Atualmente está a ser investigado o seu uso no tratamento do câncer, devido ás suas propriedades preventivas.

Outros usos

O Inositol é utilizado à vários anos como um adulterador (ou agente de corte) em muitas drogas ilegais, tais como a cocaína, metanfetamina, e, por vezes, heroína. Supõe-se que esta utilização esteja ligada às propriedades de solubilidade do inositol, da textura da substância em pó, ou pelo sabor adocicado reduzido (50%) em comparação com os açúcares mais comuns.

Doenças causadas pela deficiência de inositol no organismo

Atualmente não existem estudos científicos que forneçam provas suficientes que associem o déficit desta substância sobre quaisquer questões de saúde. Mas sim, a ausência desta substância pode conduzir ao desenvolvimento de alguns problemas de saúde, entre eles:

Esterilidade: acredita-se que o inositol favorece a criação de esperma.

Problemas de pele: Esta vitamina está envolvida na renovação da pele, e a sua falta pode causar dermatite (eczema).

Problemas de cabelo: A falta de inositol produz fraqueza no cabelo, e pode ser responsável pela perda de cabelo, em alguns casos.

Doenças oculares: A ausência desta vitamina, pode ser responsável por algumas doenças dos olhos, como a cegueira noturna.

Problemas nervosos: Equilíbrio químico de cobre e zinco nas células nervosas. A falta desta vitamina pode desencadear a produção excessiva de cobre, responsável por vários problemas nervosos como (insônia, ansiedade, depressão, estresse, …) e aumento de problemas neurais em pacientes com diabetes.

Constipação intestinal: A falta de inositol pode levar ao relaxamento excessivo dos músculos do intestino. Este relaxamento é o responsável pela prisão de ventre.

Sintomas de falta de inositol no organismo

Colesterol elevado, problemas de cabelo (ex: queda de cabelo).

As melhores fontes naturais de inositol são o fígado, levedura de cerveja, sementes de lima secas, mioleira e coração de boi, melão cantalupo, toranja, passas, gérmen de trigo, melaços não refinados, amendoim e repolho.

Existem vários suplementos disponíveis que contêm inositol

Tal como a colina, seis cápsulas de lecitina numa base de semente de soja, contêm aproximadamente 244 miligramas de inositol e colina, cada.

Está disponível em pós de lecitina que se misturam facilmente com líquidos, sucos. A maioria dos suplementos do complexo B contém aproximadamente 100 mg de colina e inositol.

As doses diárias mais usadas são de 250 a 500 mg.

Até hoje ainda não se conheceram efeitos tóxicos com o uso deste componente vitamínico.

Inimigos

Água, sulfamidas, estrogénios, a transformação ou confecção dos alimentos, álcool, café e alguns fármacos.

Conselhos de uso

Tome o inositol juntamente com colina e as outras vitaminas do complexo B.

Se beber muito café, provavelmente terá necessidade de suplementos de inositol.

Se tomar lecitina, sugiro que faça um suplemento de cálcio quelatado, para manter o equilíbrio do cálcio e do fósforo no seu organismo, visto que o inositol e a colina aumentam os níveis de fósforo.

Uma boa forma de aumentar ao máximo a eficácia da vitamina E é ingerir inositol e colina em quantidades suficientes.