Insuficiência Respiratória – Tratamento, O que é?

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

O que é a Insuficiência Respiratória?
É a incapacidade do aparelho respiratório de realizar as suas duas principais funções: a de oxigenar o sangue e a de eliminar o dióxido de carbono. O oxigénio entra pela boca, vai até aos pulmões e daqui passa para o sangue, sendo então distribuído a todas as partes do corpo para que este funcione adequadamente. A utilização do oxigénio pelos vários órgãos e sistemas do corpo irá produzir um gás – o dióxido de carbono – que é transportado até aos pulmões para então ser eliminado para a atmosfera com a respiração. Quando existe incapacidade do aparelho respiratório para oxigenar o sangue, o tratamento da insuficiencia respiratoria consiste em fornecer oxigénio. Quando também existe incapacidade em eliminar o dióxido de carbono, o tratamento é a ventilação.

O que é a Ventilação Não Invasiva (VNI)?
Consiste na utilização de um apoio à respiração em situações de dificuldade respiratória (falta de ar). Os doentes são candidatos a este apoio quando têm insuficiência respiratória.

Quais as doenças que poderão necessitar de tratamento com Ventilação Não Invasiva VNI?
As doenças que evoluem para insuficiência respiratória são as doenças do pulmão de que são exemplo as pneumonias graves e a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), e as doenças que afectam os músculos da respiração impedindo uma entrada e saída de ar em quantidade adequada. A decisão médica de iniciar este tratamento baseia-se não apenas nos sintomas e sinais de doença, mas também nas análises ao sangue que detectam níveis muito baixos de oxigénio e níveis muito altos de dióxido de carbono.

Como funciona a Ventilação Não Invasiva?
Cada vez que respiramos, o pulmão recebe e elimina uma certa quantidade de ar – cerca de 400 ml nas mulheres e cerca de 500 ml nos homens. Nas doenças que evoluem para insuficiência respiratória, o pulmão não é capaz de receber e eliminar a quantidade de ar necessária a “limpar” o organismo do dióxido de carbono que é produzido. A VNI é uma máquina que gera ar. O ar entra no sistema respiratório através de uma máscara que é colocada à volta do nariz e da boca do doente (ou só do nariz). Com este tratamento, o doente consegue respirar de forma mais ampla, mobilizando a quantidade de ar suficiente para eliminar o dióxido de carbono.

Em doenças muito graves, a insuficiência respiratória só pode ser corrigida com a ventilação mecânica invasiva, que consiste na substituição do funcionamento do sistema respiratório por uma máquina que ventila através de um tubo que é colocado dentro da garganta do doente. Esta forma de tratamento é realizada nas unidades de cuidados intensivos, com o doente medicado para dormir, dado ser muito mais incómoda e desconfortável se tivesse que receber este tratamento acordado.

A utilização da Ventilação Não Invasiva também pode dar algum desconforto? Qual?
Na maior parte dos casos a VNI é bem tolerada, sem desconforto para o doente. Muitos doentes referem alívio do cansaço respiratório enquanto fazem este tratamento. Contudo, nas fases iniciais de adaptação ao equipamento, pode surgir algum tipo de desconforto: Distensão do estômago por entrada de ar na boca, que em vez de progredir apenas para a traqueia e pulmões, é também deglutida e entra no estômago. A passagem do ar pela boca e nariz também pode secar as mucosas e o nariz pode ficar obstruído. A máscara da VNI pode deixar passar ar para fora e esta fuga de ar, quando dirigida para os olhos, pode levar a irritação ocular.

Como é que o doente pode evitar a distensão abdominal provocada pela VNI?
Melhorando a sincronia entre a respiração do doente e a ajuda do aparelho. Por vezes a distensão melhora quando se reduz um pouco a pressão de ar gerada pelo equipamento.

Que deve o doente fazer quando a zona de contacto da máscara na face se encontra vermelha e dorida ou mesmo ferida no local de pressão exercida pela máscara do ventilador?
Para evitar lesões da pele pode aplicar-se uma placa adesiva nos locais da face em contacto com a máscara onde a pressão é maior. Pode também ser aplicado um creme hidratante na face após retirar a máscara. Se existem já lesões na face, o doente deve procurar o seu médico assistente que indicará o uso de outro tipo de máscara com outros pontos de aplicação da pressão. Existem muitas máscaras disponíveis o que permite escolher a que fornece maior conforto ao doente.

Quando o doente viaja para fora do país pode levar o ventilador?
Sempre que um doente se desloca para fora do país, deve informar a empresa fornecedora da VNI. Esta irá contactar a empresa correspondente do país de destino, para que o doente possa aí receber assistência técnica, caso venha a necessitar. O seu tratamento com VNI não deve ser interrompido. É desejável também que o doente se faça acompanhar de um relatório médico. No caso de viajar de avião, o doente também pode levar o seu equipamento e até receber tratamento com a Ventilação Não Invasiva durante a viagem. Para tal o relatório clínico com as particularidades da ventilação deve ser entregue previamente nos serviços médicos da companhia aérea, para que se providencie a viagem nas condições adequadas.