Ir ao ginecologista pela primeira vez

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 12 dezembro 2018

A primeira visita a menina nunca esquece – Ir ao ginecologista pela primeira vez ainda é tabu

Sabe aquela história de que o primeiro sutiã a gente nunca esquece? Com a primeira consulta ao ginecologista também, mas com uma diferença, o primeiro sutiã a mãe tem prazer em comprar, mas quando a filha fala que vai marcar uma consulta no ginecologista começam as primeiras desconfianças e os questionamentos, pois há um mito cultural de que só as garotas com atividade sexual é que devem ir a esse especialista.

Bobagem!!! Essa consulta é obrigatória para o desenvolvimento global da menina. Não existe idade certa para isso, geralmente se dá com a primeira menstruação, mas existem casos em que isso acontece precocemente (até aos nove anos de idade). Portanto, assim que ela sentir que seu corpo está mudando, é recomendável que a mãe a leve ao médico sem receios.

Essa passagem pode ser absolutamente tranquila na vida de uma garota, se todos os tabus que se mantêm vivos até os dias de hoje forem desmistificados. A descoberta da sexualidade na adolescência, muitas vezes não é tão bem compreendida pelos pais e, portanto, o diálogo sobre as dúvidas acaba se transformando num assunto proibido, com a desculpa de que a filha é muito menina e ainda não está na hora de se falar sobre isso.

O hábito de ir ao ginecologista deve ser desenvolvido, pois só assim a garota poderá tirar suas dúvidas e aprender a observar melhor o seu ciclo menstrual, as características do fluxo vaginal ou corrimento, a intensidade da cólica, a TPM e a higiene íntima. É importante salientar que a observação e o cuidado com o corpo são atitudes preventivas que aumentam a segurança e garantem à mulher o domínio de sua saúde física. O importante é escolher um profissional a partir de referências de pessoas de sua confiança, para que na hora da consulta você se sinta segura.