Joanete: Sintomas, Causas, Tratamento e Cirurgia

Atualizado e Revisado por Dr. Hugo Rossoni (Reumatologista - CRM-TO 3873 / RQE Nº: 1688) a 30/09/2019. Publicado originalmente em 26 de setembro de 2019

Referido na literatura médica como hallux valgus, o joanete é um inchaço ósseo doloroso que ocorre principalmente na articulação do dedão do pé (o dedo grande). Várias causas podem estar na sua origem. Pode ocorrer por origens hereditárias, uma lesão óssea mal cicatrizada, ou devido a uma inflamação da articulação, embora a causa mais comum do joanete seja o uso diário de calçado inadequado (sapatos de salto alto demasiados estreitos na região dos dedos, por exemplo).

Caminhar descalço, realizar exercícios especiais, e usar calçado adaptado, são medidas eficazes para evitar esta e outras deformidades nos pés.

Para corrigir a deformidade, existem intervenções cirúrgicas disponíveis, recomendadas para eliminar a causa, e não por razões estéticas.

Definição

O joanete (hallux valgus) é uma deformidade do pé que se produz quando a posição normal da região média do dedo grande do pé (hallux) se desvia para fora (do latim valgus = torto), dando a impressão que a bolsa sinovial formou um “ nódulo ”, uma proeminência óssea (exostose) no metatarso, conhecida como pseudoexostose (do grego pseudo = falso).

Com esse efeito, a cabeça do primeiro metatarso (Ver Imagem) sofre um desvio para dentro (rotação interna), separando-se da linha média do corpo, pressionando a pele.

Na maioria das vezes, o joanete é acompanhado pelo pé chato (plano valgo), pois ambas as deformidades se influenciam negativamente.

Incidência do hallux valgus

O joanete e outras deformidades dos pés, ocorre com maior frequência em civilizações ocidentais, especialmente em pessoas que fazem uso diário de calçado apertado e estreito,  principalmente sapatos de salto alto.

Pelo contrário, culturas onde se usam sapatos abertos (por exemplo, sandálias) geralmente não desenvolvem o problema.

A deformidade desenvolve-se ao longo dos anos e, por esse motivo, é mais frequente em idades avançadas.

Causas

As causas do joanete podem ser várias. Uma lesão óssea mal cicatrizada, ou uma inflamação da articulação, são causas comuns.

No entanto, como referido no texto anterior, a origem mais comum é o uso diário contínuo de sapatos inadequados.

Quando o sapato é muito estreito, pode forçar a cabeça do dedo grande em direção aos restantes, mudando a trajectória dos músculos, que normalmente puxam o dedo para mantê-lo reto.

Nestes casos, o pé tende a flexionar e girar para dentro ao caminhar (pronação), e a ponta estreita do sapato não permite fazer força para contrariar isso.

Por esse motivo, o dedão do pé se desvia constantemente da sua posição normal.

O componente hereditário também não deve ser excluído: em mais de metade dos casos, existem parentes da pessoa afetada que também sofrem de hallux valgus.

Joanete, Sintomas, Causas, Tratamento E Cirurgia

Sintomas de Joanete

Normalmente os sintomas são apenas estéticos, pois se o desvio não for muito pronunciado, muitas vezes não causa desconforto.

Visualmente, percebe-se a articulação do primeiro dedo desviada para fora, enquanto a cabeça do primeiro metatarso gira para dentro (fazendo uma rotação interna).

A deformidade leva a bursa (bolsa sinovial) a produzir a impressão de que um “ nódulo ” ou uma proeminência óssea se formou no metatarso.

Quando causa desconforto, a dor geralmente inicia na base do dedão do pé, onde está localizada a pseudoexostose.

A pele e a bolsa sinovial são castigadas mecanicamente por essa pressão, que, em consequência, pode levar a irritação, inflamação, e até infecção bacteriana na bolsa sinovial (bursite), podendo em alguns casos evoluir para uma doença crônica.

A articulação metatarsofalângica também se vê afetada pela deformidade, pois muitas vezes começa a doer, perder mobilidade, e desgasta progressivamente, podendo levar ao desgaste da articulação (osteoartrite).

Os sintomas pioram com o passar dos anos. As dores e inflamações permanecem, e o dedão do pé chega a evidenciar uma rotação interna de até 90 graus.

Em casos extremos, chega até a sobrepor o segundo e o terceiro dedos.

Diagnóstico

O diagnóstico do joanete é feito com base nos sintomas e sinais identificados durante o exame físico.

Na base do dedão do pé (denominada eminência plantar), vê-se claramente uma pequena saliência na cabeça do metatarso em direção ao lado interno (pseudoexostose), levando o calçado a pressionar a região.

O desconforto provocado por essa pressão, permite detectar rapidamente o joanete, juntamente com a aparência local, que geralmente se apresenta deteriorada, avermelhada e inflamada.

Com a ajuda da radiografia (raio-X), o médico consegue-se avaliar o estado do osso. O pé chato, que muitas vezes acompanha o hallux valgus, é facilmente identificado através deste exame.

Em estágios mais avançados, também é possível identificar a presença de osteoartrite metatarsofalângica.

Tratamento do Joanete

O tratamento do joanete visa aliviar a dor, corrigir o desvio, e melhorar a funcionalidade do pé.

O tratamento conservador (sem recorrer a cirurgia) apenas impede o agravamento da condição (quando realizado em estágios iniciais).

Geralmente o tratamento de eleição é a intervenção cirúrgica.

Tratamento conservador

Quando a deformidade é moderada, o tratamento conservador consegue eliminar a pressão do pé, principalmente na eminência plantar.

O paciente é recomendado a andar descalço e usar sapatos abertos que não exerçam pressão sobre o membro.

O uso de palmilhas especiais pode ajudar a estabilizar o pé.

O tratamento conservador pode ainda ser complementado com exercício físico baseado em fisioterapia e exercícios focados nos pés.

Quando a cabeça do metatarso, devido à pseudoexostose, deteriora a irrita a pele, pode ser aplicado tratamento anti-inflamatório (tópico ou oral), como o diclofenaco, por exemplo. No caso de inflamações graves onde não exista infecção, podem ser aplicadas infiltrações com corticosteroides.

Cirurgia

Em alguns casos, a única forma de tratar o joanete de forma eficaz é através de cirurgia.

No entanto, é importante tomar a decisão cuidadosamente, atendendo às recomendações médicas.

A cirurgia do joanete apenas está indicada quando a deformidade causa grande desconforto ao paciente.

Por exemplo: quando a pressão no local é tão intensa que reduz a qualidade de vida do indivíduo (devido à dor e limitação em desenvolver atividades comuns).

Por outro lado, a intervenção não é recomendada se o motivo for puramente estético, pois o procedimento pode afetar a estabilidade do pé e influenciar negativamente a qualidade de vida do paciente.

Existem cerca de 150 técnicas cirúrgicas usadas para este tipo de cirurgia. A escolha depende, por um lado, do tipo de desconforto, e por outro, da experiência do cirurgião.

Técnica de Keller-Brandes

Este procedimento é realizado em pacientes entre os 30 e 40 anos que possuem um joanete grave associado a artrose na articulação metatarsofalângica (planta do pé).

Durante o procedimento, o cirurgião remove dois terços da articulação metatarsofalângica do dedo grande e esculpe a saliência da face interna do metatarso.

Esta técnica tem uma desvantagem a nível estético porque, normalmente, o segundo dedo fica mais longo que o dedão do pé.

Após a intervenção, é importante manter o pé elevado e aplicar gelo, acompanhado de tratamento anti-inflamatório.

Por vezes é recomendado o uso de uma tala noturna durante os próximos três meses.

Dependendo do caso, geralmente, cerca de seis semanas após a intervenção a recuperação funcional permite uma vida praticamente normal.

Técnica McBride

A técnica McBride pode ser a escolha nos casos em que o desvio do dedo ainda consegue compensar-se a si mesmo, não há presença de osteoartrite, ou o quando o risco da intervenção é mínimo.

Geralmente é um método cirúrgico usado principalmente em pacientes jovens.

O objetivo da intervenção é corroer a projeção produzida pelo hallux valgus, deslocar, e fortalecer os músculos individuais do dedo (abdutores).

O tratamento pós-operatório é o mesmo aplicado na técnica de Keller Brandes.

Um joanete acompanhado de alterações artríticas na articulação, principalmente em pacientes jovens, pode receber auxílio através do método Kramer, e pela osteotomia de base do primeiro metatarso.

Prevenção

Existem algumas medidas eficazes na prevenção de joanetes.

Recomenda-se o uso de sapatos adequados, com espaço suficiente para os dedos, e sem salto.

É importante prestar atenção especial às crianças, já que o calçado infantil é muitas vezes pequeno, e pode originar os primeiros sintomas de um desvio no dedo.

Caminhar descalço de vez em quando, assim como fazer ginástica e exercícios específicos para os pés, é altamente recomendável, além de fortalecer a imunidade.

Dúvidas frequentes

É possível corrigir o joanete sem cirurgia?

Os joanete, quando ocorrem são permanentes, a menos que sejam corrigidos cirurgicamente. (Fonte)

Existem tratamentos caseiros que aliviem a dor naturalmente?

Algumas instruções podem ajudar:

  • Estique os dedos dos pés. Tire os sapatos durante algum tempo e mexa os dedos sempre que puder (no trabalho ou em casa), para reduzir a pressão nos dedos dos pés.
  • Afaste os dedos dos pés. Use espaçadores nos pés enquanto dorme ou ao usar sapatos para reduzir a pressão nos dedos.
  • Mergulhe os pés em água morna com sal Epsom para acalmar e reduzir a inflamação.
  • Aplique gelo no pé. Use compressas de gelo para reduzir o inchaço e inflamação sempre que ocorrer desconforto.
  • Eleve os pés enquanto estiver sentado para reduzir o inchaço e a dor.
  • Descanse os pés várias vezes ao dia, especialmente se estiver de pé o dia inteiro.
  • Massaje o pé e mova manualmente o dedo grande do pé para manter os tecidos macios e o dedo flexível. Rolar uma bola de tênis sob o pé é uma boa forma de massagem.
  • Tome analgésicos. Obtenha aconselhamento médico sobre o uso de medicação anti-inflamatória não esteroide para reduzir a inflamação e a dor. O ibuprofeno é um exemplo.
  • Se necessário, tente perder peso. (Fonte)

Como impedir o agravamento do problema?

Em casos leves, o uso de palmilhas ortopédicas pode ajudar. Em casos avançados é importante consultar um podólogo para adquirir uma palmilha personalizada a cada caso.

Qual é a diferença entre hallux rigidus e hallux valgus?

  • Hallux refere-se ao dedo grande do pé.
  • Rigidus indica que o dedo é rígido.

O hallux rigidus é um distúrbio da articulação (uma forma de artrite degenerativa), localizado na base do dedo grande. Geralmente causa dor e rigidez na articulação e, com o tempo, torna cada vez mais difícil dobrar ou movimentar o dedo. (Fonte)

A cirurgia de joanete é dolorosa?

A cirurgia do joanete é tão dolorosa como outras cirurgias.

O que acontece é que em cirurgias dos membros inferiores existe um aumento na dor durante o pós-operatório, porque o pé está localizado abaixo do nível do coração, e o sangue ao circular pela região pode causar uma sensação latejante. (Fonte)

Quanto tempo leva um paciente a caminhar normalmente após a cirurgia?

É importante usar as muletas de acordo com as indicações do cirurgião (normalmente durante cerca de duas semanas), podendo ir até às seis semanas, dependendo do tipo de operação.

Depois disso, o indivíduo pode aumentar gradualmente a quantidade de peso que coloca no pé e a distância que percorre, como parte do processo de recuperação. (Fonte)

Quanto tempo demora a recuperação total após a cirurgia?

Apesar de muitas vezes a recuperação pós cirúrgica demorar cerca de seis a oito semanas, a recuperação total pode durar uma média de quatro a seis meses.

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Referências
  • Sobotta. Atlas de anatomía humana; Paulsen, Friedrich, Waschke, Jens; 2012; Elsevier.
  • Medicina de Familia. Principios y práctica; Robert B. Taylor; 2006; Masson.
  • Atención Primaria. Conceptos, organización y práctica Clínica; A. Martín Zurzo, J.F Cano Pérez; 2003; Elsevier.
  • Bunions. American Academy of Orthopaedic Surgeons. http://orthoinfo.aaos.org/topic.cfm?topic=a00155. Verificado a 24 de Agosto 2019.
  • Ferrari J. Hallux valgus deformity (bunion). http://www.uptodate.com/home. Verificado a 24 de Agosto 2019
  • Bunions. American Podiatric Medical Association. http://www.apma.org/Learn/FootHealth.cfm?ItemNumber=979. Verificado a 24 de Agosto 2019
Autores
Dr. Hugo Rossoni (Reumatologista - CRM-TO 3873 / RQE Nº: 1688)

Dr. Hugo Rossoni - Reumatologista - CRM-TO 3873 - RQE Nº: 1688

Dr. Hugo Rossoni é graduado em medicina pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal - 2009.

Consultar » Currículo Lattes.

É especialista em clínica médica pelo Hospital de Base do Distrito Federal - 2013

Especialista em reumatologia pelo Hospital Geral de Fortaleza - 2015

Presidente da Sociedade de Reumatologia do Tocantins

Preceptor do internato e residência de clínica médica do Hospital Geral de Palmas - TO

Preceptor da residência de reumatologia do Hospital Geral de Palmas - TO

Pode encontrar o Dr. Hugo Rossoni Facebook, LinkedIn ou Buscar no Google.

Última atualização da página em 30/09/19