José Sócrates

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, mais conhecido por José Sócrates é um político português. Nasceu no Porto mas foi registado em Vilar de Maçada, Alijó, a 6 de Setembro de 1957. Filho de Fernando Pinto de Sousa e de Maria Adelaide de Carvalho Monteiro, Sócrates tem dois irmãos mais novos, António Carvalho Pinto de Sousa e Ana Maria Carvalho Pinto de Sousa, falecida em 1988.

José Socrates Antes e Depois – 1984 (27 anos) – 2009 (52 anos)

José Sócrates passou a infância e a adolescência na Covilhã, onde ficou a viver com o seu pai depois deste se separar de sua mãe. Frequentou a Escola Secundária Frei Heitor Pinto e posteriormente prosseguiu os estudos no Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, onde fez o bacharelato como engenheiro técnico civil. Esteve depois matriculado durante cinco anos na Universidade Lusíada, em Direito, mas optou por desistir do curso.

Nos anos 80, Sócrates começou a exercer a função de Engenheiro Civil, trabalhando em diversos projetos privados. Nesta fase trabalhou sobretudo com emigrantes e as construções concentravam-se, sobretudo, na zona da Covilhã. O seu trabalho não era grandemente apreciado pelos serviços camarários e chegou a ser alvo de duas repreensões por unanimidade por parte da Câmara Municipal da Covilhã, para além de ser ameaçado com a possibilidade de sofrer sanções legais. Depois de se ter tornado deputado, assinou pelo menos 21 projetos, quando ilegalmente já estava impedido de o fazer.

Entretanto, já se havia iniciado na vida política, tendo sido um dos fundadores da Juventude Social Democrata da Covilhã. Deixaria a estrutura um ano após a sua criação, devido à sua mudança para Coimbra. Em 1981, decidiu deixar o Partido Social Democrata e filiar-se no Partido Socialista (PS). Dois anos depois tornou-se presidente da concelhia socialista da Covilhã e presidente da federação distrital de Castelo Branco, cargo que manteve até 1995.

Entretanto tornou-se ainda Engenheiro Técnico para a Câmara Municipal da Covilhã, cargo que manteve até 1991, data em que foi afastado devido à fraca qualidade dos seus projetos e ao não acompanhamento das obras de construção. Em 1987 foi eleito deputado à Assembleia da República, pelo círculo eleitoral de Castelo Branco. Curiosamente, a sua primeira intervenção de relevo no parlamento foi em defesa de um projeto-lei que tinha como objetivo permitir a prática do nudismo em Portugal.

No período entre 1989 e 1996 foi membro da Assembleia Municipal da Covilhã. Em 1991, ganhou maior importância na estrutura do Partido Socialista, ao ser designado porta-voz das questões ambientes e ao passar a integrar o Secretariado Nacional do Partido Socialista.

Com a chegada ao poder de António Guterres, ocupou o cargo de secretário de Estado Adjunto do ministro do Ambiente. Dois anos depois, tornou-se ministro-adjunto do Primeiro-Ministro, tendo sob a sua tutela as pastas da Toxicodependência, Juventude e Desporto. Sócrates seria um dos responsáveis por conseguir trazer a realização do Campeonato Europeu de Futebol de 2004 para Portugal.

No segundo mandato de Guterres, assumiu o cargo ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território. O seu mandato ficaria marcado pela questão da coincineração e mais tarde, pelo licenciamento do Freeport. Com a chegada ao poder do Partido Social Democrata, Sócrates voltou a ocupar o seu lugar no parlamento, ao mesmo tempo que se tornou comentador político na Rádio Televisão Portuguesa (RTP).

Em 2004, Ferro Rodrigues abandonou o cargo de secretário-geral e Sócrates candidatou-se ao lugar, tendo como oposição dois nomes fortes do partido, Manuel Alegre e João Soares. José Sócrates acabou por ser eleito com grande vantagem, tendo mais de 80% dos votos. Apenas um ano depois realizaram-se eleições legislativas, e Sócrates conseguiu conduzir o PS a uma vitória expressiva, alcançado mais de 45% dos votos, contra apenas 28% do PSD. José Sócrates tornou-se assim no Primeiro-Ministro de Portugal.

Já nas eleições legislativas de 2009, o PS logrou conseguir manter-se no poder, mas viu a sua margem de vitória reduzir substancialmente. O PS obteve 36,55% dos votos e o PSD, 29,11%. O governo de Sócrates tentou introduzir reformas e reduzir a burocracia, através da implementação de programas como a Empresa na Hora, o PRACE (Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado) e o Simplex (Programa de Simplificação Administrativa e Legislativa).

Outra das bandeiras de Sócrates foi a introdução do Plano Tecnológico, que visava tornar o país mais competitivo, modernizando a economia. Este pressuposto assentava em três traves mestras: conhecimento, tecnologia e inovação. Uma das faces mais visíveis deste programa foram os portáteis para crianças “Magalhães”, assim batizados em honra do navegador português Fernão de Magalhães.

Foi também durante o governo de Sócrates que foram aprovadas leis que geraram amplos debates a nível nacional. Um dos exemplos foi a legalização do aborto. Depois de ter sido efetuado um referendo, em que a maioria dos votantes se mostrou favorável à lei, mas que não teve a participação necessária para ser juridicamente vinculativo, o governo decidiu avançar mesmo com a alteração. Foi também o governo de Sócrates que aprovou a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A 22 de Março de 2011, o IV Programa de Estabilidade e Crescimento foi rejeitado na Assembleia da República e o governo viu-se obrigado a pedir ajuda ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira. No dia seguinte José Sócrates apresentou o seu pedido de demissão. Foram então marcadas novas eleições legislativas. Sócrates voltou a candidatar-se, mas foi derrotado por Pedro Passos Coelho.

José Sócrates é bastante discreto na sua vida familiar. Casou-se com Sofia Costa Pinto Fava, engenheira de profissão, de quem se divorciou no final da década de 90. O casal tem dois filhos adolescentes, José Miguel Fava Pinto de Sousa e Eduardo Fava Pinto de Sousa.

Em 2011 passou por momentos familiares difíceis. O seu pai faleceu em Julho, aos 84 anos de idade, vítima de uma hemorragia cerebral. Poucas semanas depois, foi António, o seu irmão que faleceu, enquanto esperava para receber um transplante de um pulmão compatível. Sócrates esteve na Corunha, onde o seu irmão estava internado, a acompanhá-lo durante as suas últimas semanas de vida.

Sócrates é também conhecido por ser um amante de jogging, já tendo participado em provas como a Meia Maratona de Lisboa.