Kate Winslet

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

Kate Elizabeth Winslet nasceu em Reading, Inglaterra, a 5 de Outubro de 1975. Os pais de Kate, Sally Anne, empregada de balcão e Roger John Winslet, um construtor de piscinas, eram atores amadores. Os seus avós maternos, Linda e Archibald, fundaram o Reading Repertory Theatre e o seu tio Robert Bridges, também foi um conhecido ator inglês.

Kate Winslet Antes e Depois e Biografia

Kate tem três irmãos: Anna, Beth e Joss. Apenas Joss, escolheu optar por um caminho diferente da representação. Kate iniciou os seus estudos de representação com apenas onze anos de idade, no Redroofs Theatre School. Com doze anos de idade, Winslet surgiu pela primeira vez na televisão, ao participar num anúncio para cereais infantis.

1990

Em 1991 Winslet entrou na série juvenil de fição científica, “Dark Season”, da BBC. No ano seguinte, surgiu no telefilme “Anglo-Saxon Attitudes”, na comédia “Get Back” e num episódio da série dramática “Casualty”.

Também em 1992, Kate concorreu ao casting para o filme “Heavenly Creatures”, realizado por Peter Jackson. Winslet destacou-se entre 175 raparigas e conseguiu o papel. Este filme marcou também a estreia de Kate Winslet como cantora e o resultado foi tão positivo, que a sua canção integrou a banda sonora do filme. Esta obra mereceu a aprovação da crítica e valeu alguns prémios a Kate, entre os quais o Empire Award e um Prémio do Círculo de Críticos de Londres Para Melhor Atriz do Ano.

Posteriormente Winslet fez uma audição para um pequeno papel no filme “Sense and Sensibility” (uma adaptação de um livro de Jane Austen), mas acabou por ser escolhida para dar vida à personagem Marianne Dashwood, uma das mais relevantes da trama.

Por forma a encaixar no papel, o realizador Ang Lee, pediu que Kate praticasse t’ai chi, tivesse aulas com um professor de piano e lesse livros de Austen. “Sense and Sensibility” tornou-se um enorme sucesso entre a crítica e o público, alcançando excelentes resultados de bilheteira.

Pelo seu desempenho, Kate recebeu um prémio BAFTA e um Screen Actors’ Guild Award, para além de ter sido nomeada para Óscar e um Globo de Ouro.

Em 1996, Kate Winslet foi protagonista de “Jude” de “Hamlet”. “Jude” foi bem aceite pela crítica mas teve um desempenho comercial fraco. Em “Hamlet”, a atriz voltou a brilhar e recebeu o seu segundo Empire Award.

Em 1996, Kate foi escolhida para o principal papel feminino em Titanic. O papel foi antes proposto a Gwyneth Paltrow, Claire Danes e Gabrielle Anwar, que o recusaram. Enquanto isso, Winslet lutava diariamente pelo papel, tentando fazer pelo menos o casting.

A sua persistência fez com que James Cameron a convidasse para ir fazer o tão desejado casting a Hollywood. Apesar de ter ficado impressionado com o casting, Cameron continuava a ter dúvidas sobre a adequabilidade de Winslet para aquele papel.

Depois de ter contracenado com DiCaprio no casting, Winslet terá ficado tão impressionado que terá dito a Cameron, que mesmo que este não a escolhesse, deveria escolher DiCaprio para o papel. Ao longo das semanas seguintes, Kate Winslet levaria a cabo uma autêntica campanha de auto-promoção, junto de Cameron, até que finalmente, foi escolhida para protagonizar o filme.

Rodeado de más expetativas, “Titanic” surpreendeu toda a indústria do cinema, ao tornar-se o filme mais lucrativo de sempre, com receitas de 2, 7 biliões de dólares a nível mundial. Winslet transformou-se de imediato numa estrela internacional e foi nomeada para vários prémios, vencendo um European Film Award.

Em 1998, a atriz surgiu apenas em “Hideous Kinky”, um filme de baixo orçamento, filmado antes do lançamento de “Titanic”. Recusou depois papéis de protagonista em filmes como “Shakespeare in Love” (1998) e “Anna and the King” (1999), optando por participar noutro filme de baixo orçamento “Holy Smoke!” (1999).

A sua preferência por filmes artísticos, em detrimento de grandes projetos fez com que os seus agentes a pressionassem, o que por sua vez levou Kate a afirmar publicamente que não participou em “Titanic” para conseguir participar em filmes maiores nem para receber cheques maiores.

2000

Nos anos seguintes participou em “Quills” (2000), “Enigma” (2001) e “The Life of David Gale” (2003). Em 2001, Winslet gravou a canção “What If”, para o filme de animação “Christmas Carol: The Movie”. Esta canção seria depois lançada como single, com os lucros a reverterem a favor de instituições de solidariedade escolhidas por Kate.

Entre 2004 e 2011, participou em vários filmes: “Pride” (2004), “Eternal Sunshine of the Spotless Mind” (2004), “Finding Neverland” (2004), “Romance & Cigarettes‎” (2005), “Flushed Away” (2006), ” The Holiday” (2006), “All the King’s Men” (2006), “Little Children” (2006), “Deep Sea 3D” (2006), “The Reader” (2008), “Revolutionary Road” (2008), “Carnage” (2011) e “Contagion” (2011). Entre estes, é necessário destacar “The Reader”, filme que valeu a Winslet o seu primeiro Óscar.

Durante a rodagem de “Dark Season”, Kate conheceu o ator e escritor Stephen Tredre com quem manteve uma relação de quatro anos e meio. Mesmo após a separação, Kate e Stephen mantiveram-se próximos, até à morte de Tredre em 1997.

A 22 de Novembro de 1998, Winslet casou com o realizador Jim Threapleton, que conheceu na filmagem de “Hideous Kinky”, um ano antes. Desta união resultou uma filha, Mia Honey Threapleton, que nasceu a 12 de Outubro de 2000 em Londres. Winslet e Threapleton divorciaram-se no final de 2001.

Após o término desta relação, Winslet começou a namorar com o também realizador Sam Mendes, com quem casou a 24 de Maio de 2003. O casal teve um filho, Joe Alfie Winslet Mendes, nascido a 22 de Dezembro de 2003, em Nova Iorque. O casal separou-se em Março de 2010. Atualmente, a atriz namora com o modelo inglês Louis Dowler.

2010

Winslet tem estado sob escrutínio por parte da imprensa cor-de-rosa, devido às suas grandes flutuações de peso. Kate já afirmou por diversas vezes, que não permite que seja Hollywood a decidir qual é o peso que deve ter e que as mulheres devem aceitar a sua aparência com orgulho. Kate Winslet irá ser imortalizada em 2012, com uma estrela no Passeio da Fama de Hollywood, a honra máxima para uma atriz.