-->Maus hábitos combinados aumentam risco de morte - Educar Saúde

Maus hábitos combinados aumentam risco de morte

Publicado em 07/05/2010. Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 12 dezembro 2018

Maus hábitos combinados aumentam risco de morte

Tabagismo, falta de exercício físico, má alimentação e consumo excessivo de álcool estão entre os comportamentos analisados num estudo que evidencia o risco para a saúde associado à sua coexistência num mesmo indivíduo.

O tabagismo, a má alimentação, o sedentarismo e o consumo de alcool são quatro comportamentos que, quando combinados, podem estar associados ao aumento do risco de morte, revelou um estudo publicado na edição de 26 de Abril de uma das revistas do JAMA, a Archives of Internal Medicine.

Segundo os investigadores, a maioria dos estudos analisam estes comportamentos para identificar efeitos independentes. No entanto, muitas opções de estilo de vida podem coexistir no mesmo indivíduo. “Para compreender inteiramente o impacto destes comportamentos na Saúde Pública é necessário examinar tanto o seu impacto individual como o impacto combinado no estado de saúde”, explica Elisabeth Kvaavik, da Universidade de Oslo, na Noruega.

No âmbito deste estudo foram entrevistadas 4 886 pessoas com idade igual ou superior a 18 anos. Calculou-se a pontuação do comportamento em saúde atribuindo um ponto para cada mau procedimento: fumar, consumir frutas e hortaliças menos de três vezes por dia, praticar menos de duas horas de actividade física por semana e consumir semanalmente 14 ou mais unidades de álcool (nas mulheres) e 21 ou mais unidades (nos homens).

Durante um período de follow up de 20 anos, 1 080 participantes morreram (dos quais 431 de doenças cardiovasculares, 318 de cancro e 331 por outras causas). Os indivíduos com os quatro comportamentos prejudiciais à saúde, quando comparados aos participantes que não os apresentavam comulativamente, mostraram ter um risco aumentado de morte por doença cardiovascular ou oncologica três vezes superior e quatro vezes mais elevado, quando se tratavam de outras causas. Em termos globais, a diferença da esperança média de vida nos dois grupos variava em 12 anos.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692)

Enfermeiro - Coren nº 491692

O Reinaldo Rodrigues formou-se em agosto de 2016, pela Universidade Padre Anchieta, em Jundiai. Fez curso de especialização em APH (Atendimento Pré-Hospitalar), pela escola 22Brasil Treinamentos, em Barueri, curso de 200 horas práticas, com foco em acidentes de trânsito.

Trabalha como Cuidador de Idosos há 5 anos, e possui experiência em aspiração de vias aéreas, banho de aspersão, curativos, tratamento e prevenção de Lesão por Pressão, gerenciamento de Equipe de cuidadores com elaboração de escalas. Treinamento e acompanhamento de cuidadores nas casas dos pacientes.

Também pode encontrar o Reinaldo no Linkedin.