Menarca: o que é, quando acontece, sintomas e mudanças no corpo

Conteúdo revisado por Drª Camille Rocha Risegato. Última Atualização: 23/06/21

O que é? Menarca é o nome associado à primeira menstruação que a menina tem, que geralmente decorre entre os 10 e os 16 anos. O evento deve-se à ativação dos ovários e à produção de hormônios (estrogênio e progesterona) que eles liberam. É também o momento em que se começam a desenvolver outros aspetos do corpo, tais como, os seios, os pelos pubianos e os pelos das axilas.

Continua depois da Publicidade

É aqui que se dá a transição para a vida adulta, considerada a puberdade, na qual, entre outros fatores, a mulher já é capaz de ter filhos.

Menarca

Quando ocorre?

Não é possível determinar quando vai acontecer ao certo, embora geralmente ocorra durante os dois anos seguintes ao início do desenvolvimento dos seios. No início do século XX, a menarca costumava ocorrer em média aos 16 ou 17 anos. Atualmente ocorre por volta dos 12 anos. Os fatores socioeconômicos, hereditários, nutricionais ou o próprio estilo de vida da menina, também podem fazer com que a menarca ocorra mais cedo ou mais tarde.

A idade em que a mãe da menina teve a primeira menstruação pode ser uma ajuda a determinar quando o evento poderá ocorrer. Cerca de 50 a 75 por cento das mulheres têm o primeiro período na mesma idade que as suas mães.

Geralmente a idade em que a menarca ocorre não tem nenhuma influencia no desenvolvimento da mulher, mas alguns estudos afirmam que a menarca precoce (que ocorre antes do tempo) pode aumentar o risco de câncer de mama, infarto do miocárdio, afetar a função pulmonar ou aumentar a possibilidade de obesidade.

Geralmente, a mulher está ciente da sua primeira menstruação quando encontra manchas de sangue em sua roupa íntima, no entanto, por vezes elas acompanham a presença de desconforto abdominal na região suprapúbica ou nas laterais no abdômen.

A partir deste momento a mulher inicia o processo de menstruação que ocorre a cada 28 dias, embora nos primeiros anos possa ocorrer alguma irregularidade nos ciclos. Dependendo da mulher, é possível que durante os primeiros meses haja um maior ou menor intervalo entre as menstruações, período que geralmente estabiliza após dois anos desde o início da menarca. A quantidade de sangue expelida também pode variar muito e, tal como a oscilação dos intervalos entre as menstruações, pode demorar algum tempo até normalizar.

Uma vez estabilizada, a menstruação continuará durante grande parte da vida adulta da mulher, até uma idade próxima dos 50 anos onde ocorrerá a menopausa ou o final da menstruação.

Por vezes a menina não tem o primeiro período até aos 16 anos. As causas podem ser várias. Este evento recebe o nome de amenorreia e entre os motivos que podem levar ao seu atraso estão, problemas hormonais, órgãos reprodutivos, distúrbios alimentares ou exercício físico em excesso.

Sintomas e causas de menarca precoce

Ela é classificada como precoce (quando ocorre antes dos 8 anos), ou tardia (quando ocorre após os 14 anos). Os principais sintomas da menarca precoce (geralmente antes dos 8 anos) incluem:

  • Sangramento vaginal;
  • Inchaço corporal;
  • Pelos púbicos;
  • Aumento dos seios e dos quadris;
  • Dor localizada na região abdominal;
  • Sintomas de humor como tristeza, irritação ou aumento da sensibilidade.

Por vezes ocorre também a saída de um corrimento vaginal branco ou amarelado alguns meses antes da menarca.

As causas que podem levar a primeira menstruação a ocorrer muito cedo são:

  • Em cerca de 80% dos casos desconhece-se a causa;
  • Obesidade infantil leve a moderada;
  • Exposição da menina a plásticos ou resinas contendo bisfenol A desde o nascimento;
  • Algumas lesões do sistema nervoso central, como a meningite, paralisia, encefalite, e até mesmo um cisto cerebral;
  • Síndrome de McCune-Albright (SMA);
  • Lesões nos ovários como cistos foliculares ou neoplasia;
  • Tumores na glândula supra-renal produtores de estrogênio;
  • Hipotireoidismo primário grave.

Além disso, a exposição da menina a hormônios como o estrogênio desde cedo, pode aumentar a probabilidade da menarca precoce. As circunstâncias que podem expor a menina a esse hormônio incluem, o uso da pílula anticoncepcional pela mãe durante a gravidez e/ou amamentação, e a utilização de pomadas como as usadas para a separação dos pequenos lábios vaginais, em caso de fimose feminina.

Cuidados a ter nesta fase

É importante educar a menina sobre o que é a menstruação, já que o sangramento pode causar um grande choque quando ocorre pela primeira vez, ao não entender a sua origem e as mudanças que o corpo sofre.

Continua depois da Publicidade

Da mesma forma, é importante a educação sobre os cuidados que a menstruação requer, já que é algo com o qual a mulher terá que conviver durante grande parte da sua vida. Desta forma, deve ser explicado não apenas por que o sangramento é produzido, mas também como deve ser realizado o uso do absorvente íntimo e os hábitos de higiene necessários.

Além disso, a partir da menarca a mulher já é considerada fértil e com capacidade de reproduzir, sendo extremamente importante a orientação sobre questões como a sexualidade ou os métodos contraceptivos.

Efeitos e mudanças no corpo

O início da menarca faz parte da puberdade da mulher e, além de representar a primeira menstruação e dar início ao seu período fértil, implica também uma série de sintomas e mudanças em todo o corpo, que incluem:

  • Aumento da massa corporal e óssea.
  • Aparecimento da acne.
  • Secreção de estrogênio pelo ovário.
  • Expansão da pélvis e aumento regional do tecido adiposo.
  • Crescimento do endométrio.
  • Flutuação nos níveis hormonais.
  • Desenvolvimento dos seios.
  • Crescimento dos pelos nas axilas e no púbis.

Como é o crescimento após a menarca

Existem alguns mitos sobre o quanto a mulher pode crescer após a primeira menstruação. Isso porque a sua chegada faz com que os ossos nesta fase atinjam o tamanho que terão para sempre. Geralmente, o crescimento após o primeiro período é de 5 a 7 centímetros ou mais. Embora seja um fator que dependa muito da dieta e do exercício realizado pela menina.

Autores
Drª Camille Rocha Risegato

Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093

Dra Camille Vitoria Rocha Risegato - CRM SP nº 119093 é formada há 14 anos pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques, Rio de Janeiro.

> Consultar CRM (Fonte: https://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_medicos&Itemid=59)

Dra Camille mudou-se para São Paulo onde realizou e concluiu residência médica em Ginecologia e Obstetrícia (RQE nº 25978) no Centro de Referência de Saúde da Mulher no Hospital Pérola Byington em 2007.

Em 2008 se especializou em Patologia do Trato Genital Inferior nesse mesmo serviço. Ainda fez curso de ultrassonografia em ginecologia e obstetrícia na Escola Cetrus.

Trabalha em setor público e privado, atendendo atualmente em seu consultório médico particular situado na Avenida Leoncio de Magalhães 1192, no bairro do jardim São Paulo, zona norte de São Paulo.

Também pode encontrar a Dra Camille no Linkedin, Facebook e Instagram

.
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

Encontrou um erro? Está faltando a informação que está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


    Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
    Última atualização da página em 23/06/21