Menopausa: o que é, etapas, sintomas, afrontamentos e tratamentos

O que é? A menopausa é o fim do estágio fértil da mulher, consequência do envelhecimento natural dos ovários e da cessação de sua função reprodutiva e hormonal. Ou seja, ela ocorre devido ao término da função dos ovários, quando os óvulos estão esgotados. Essa interrupção da função ovariana leva a uma redução acentuada dos níveis de estrogênio e progesterona (hormônios produzidos pelos ovários), responsável pelo aparecimento de alguns sintomas que incluem, afrontamentos, secura vaginal, ardência nos genitais, diminuição da libido, entre outros.

Em aproximadamente 90% das mulheres ela ocorre entre os 48 e os 54 anos.

Menopausa

Sintomas

Seus principais sintomas são:

Alterações na forma do corpo: As alterações metabólicas associadas a este estágio na vida da mulher levam ao aumento da gordura corporal, processo que acelera se a mulher levar uma vida sedentária. A manifestação destas mudanças varia de acordo com a mulher: em algumas mulheres apenas ocorre um aumento do peso, enquanto em outras, a gordura é distribuída em zonas do corpo específicas. Estas mudanças aumentam o risco de diabetes e problemas cardiovasculares.

Insônia e ondas de calor: Estes são os dois principais sintomas e podem durar até cinco anos. Nesta fase a mulher começa a ter calores e ansiedade acompanhados de sudorese e palpitações. Estas ondas de calor são sofridas por 20% das mulheres e o seu tratamento é simples. Os sintomas ocorrem devido ao estresse emocional, mudanças bruscas de temperatura, consumo de álcool e excesso de apetite.

A insônia está relacionada aos afrontamentos, e o seu tratamento ajuda a melhorar a qualidade do sono.

Ciclos irregulares: Este sintoma é frequente na fase pré-menopausa e se mantém até a última menstruação. A partir desse momento, começa a menopausa. São geralmente o último sinal de alerta sobre a sua chegada a esta fase da vida. No entanto, dependendo da mulher, o ciclos menstruais irregulares podem começar a ocorrer alguns anos antes.

A osteoporose: A descalcificação dos ossos que leva à redução da massa óssea é intensificada pela perda da ação protetora que os hormônios femininos (estrogênios) exercem sobre eles. Para prevenir possíveis fraturas ósseas, os especialistas recomendam a realização da densitometria óssea do quadril e da coluna lombar em mulheres que têm menopausa precoce (antes dos 40 anos).

Alterações no estado de ânimo: Cansaço, depressão, falta de concentração e energia, irritabilidade, ansiedade ou agressividade. Estes são alguns dos estados pelos quais a mulher pode passar durante esta fase.

Secura vaginal: Durante esta fase diminui o estrogênio, que consequentemente diminui a lubrificação vaginal. Algumas pesquisas associam a prevalência do ressecamento vaginal à menopausa. Além disso, a secura pode tornar o intercurso doloroso para a mulher.

Etapas

Este período é marcado por três etapas:

Pré-menopausa: período reprodutivo antes da menopausa.

Perimenopausa: Estágio em que os efeitos biológicos, clínicos e endócrinos que se aproximam da menopausa começam a ocorrer. A perimenopausa estende-se até o primeiro ano após o início da menopausa.

Pós-menopausa: É o período que começa desde a última menstruação para a frente.

Fatores que influenciam a menopausa

O estilo de vida da mulher reflete-se na menopausa. As mulheres que levam um estilo de vida mais saudável atrasam o surgimento desse estágio. No entanto, existem outros fatores que podem influenciar e provocar a menopausa precoce:

O sedentarismo: A ausência de atividade física é uma das principais causas que podem acelerar o início da menopausa. Se a mulher mantiver uma vida ativa e praticar exercício várias vezes por semana, além de atrasar o início, obtém outros benefícios, como a prevenção da osteoporose, a diabetes e a redução de fatores de risco cardiovascular.

Tabaco: O tabaco está ligado à redução do estrogênio. Se a mulher for fumante durante muito tempo, pode desenvolver menopausa até três anos mais cedo do que as mulheres não fumantes. Além disso, fumar piora outras condições, como a osteoporose, e aumenta o risco de fraturas ósseas.

Menopausa precoce

Embora a idade em que a menopausa geralmente inicia seja entre os 48 e os 54 anos, em alguns casos pode aparecer antes dos 40 anos. Nestas situações ela recebe o nome de “menopausa precoce”. Este estágio produz-se quando há uma diminuição na atividade dos ovários. Pode ser causada por uma cirurgia ovariana ou como resultado da quimioterapia ou radioterapia. No entanto, também pode causas genéticas.

Que tratamentos existem

É aconselhável que todas as mulheres que cheguem a este estágio consultem um especialista para avaliar a necessidade do início da terapia de substituição hormonal.

Terapia de Reposição Hormonal

Como a maioria dos sintomas deste estágio estão relacionados a uma redução dos níveis de estrogênio no sangue, muitas vezes é recomendada a terapia de reposição hormonal com base em estrogênio ou derivados.

As formas mais comuns de administração de estrogênio são a via transdérmica, através de adesivos, e a via oral.

Todas as mulheres que não lhes foi removido o útero, devem receber progesterona, já que tem um efeito muito importante na prevenção do aparecimento da hiperplasia e câncer do endométrio.

A terapia de reposição hormonal está contra indicada em casos de:

  • Doença hepática ativa.
  • Patologia da vesícula biliar.
  • Histórico de trombose venosa profunda em relação ao estrogênio.
  • Sangramento vaginal anormal, sem diagnóstico preciso.
  • Histórico de ter sofrido um câncer dependente de estrogênio, como o câncer de mama ou câncer endometrial.

Os benefícios da terapia de reposição hormonal incluem:

A curto prazo, aliviará as ondas de calor e a sudorese, os desconfortos geniturinários, as mudanças emocionais e a libido. Não terá grandes repercussões nas mudanças no nível da mama e da pele.

A longo prazo, diminui o risco de doença cardiovascular e osteoporose. Também melhora o perfil lipídico no sangue.

Efeitos colaterais: Geralmente ocorrem devido à toma de progesterona, e normalmente são, dor de cabeça, sensibilidade mamária e desconforto no baixo ventre.

Alimentos recomendados

A nutrição adequada durante esta fase ajuda a manter o organismo em forma e reduzir os fatores de risco que favorecem o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e osteoporose. Alguns desses alimentos incluem:

Cereais e seus derivados: pão, massas, arroz, legumes … Recomenda-se o consumo 4 a 6 porções diárias.

Frutas e vegetais: são a base da dieta juntamente com os cereais e são essenciais para a contribuição de fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos. Recomenda-se o consumo de cinco porções por dia.

Produtos lácteos: devido ao aumento do colesterol que geralmente ocorre na menopausa, é melhor tomá-los desnatados (leite, iogurte e queijo). O consumo diário deste grupo de alimentos deve ser aumentado para 3-4 porções por dia.

Proteína: carne, peixe e ovos devem ser consumidos com moderação. É preferível escolher o peixe em vez da carne e consumir peixe azul duas vezes por semana (atum, sardinha, cavala, salmão, anchova).

Gorduras: óleos de origem vegetal, como o azeite, o girassol ou o milho, fornecerão as gorduras insaturadas necessárias. O azeite de oliva deve ser a escolha para cozinhar e temperar. No caso de gostarmos de barrar no pão, a margarina é preferível à manteiga pela sua contribuição em ácidos graxos insaturados. Os frutos secos fornecem gorduras insaturadas e componentes fitoquímicos muito interessantes, portanto, um punhado deles entre as refeições ou em saladas pode ser uma boa opção.

Soja: A soja é particularmente rica em compostos vegetais chamados isoflavonas. Estudos indicam que o consumo de soja reduz os sintomas da menopausa. Isso ocorre devido às isoflavonas, que têm um efeito semelhante ao estrogênio feminino.

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.