Mértola

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

Quando o Alentejo era um importante couto mineiro das civilizações mediterrânicas e o Guadiana uma decisiva rota comercial, Mértola foi uma grande capital. Assim aconteceu durante as ocupações romana e árabe, e disso há testemunhos abundantes.

Exemplos não faltam: o núcleo de uma habitação romana nas caves da Câmara; a Igreja de Santa Maria, antiga mesquita; estruturas romanas e árabes na zona do castelo, onde se guardam colecções arqueológicas do período visigótico; a Basílica Paleo-Cristã.

Mas nem só de história se alimenta o visitante. A vila, exposta em anfiteatro sobre o rio, é encantadora. Os artesãos (tecelagem, joalharia, etc.) retomaram actividade. Há passeios de barco no Rio Guadiana, e de tudo se pode informar no posto de turismo.

Estando em Mértola, pode viajar pela memória secular dos tempos do minério visitando, na margem esquerda do Guadiana, as minas de São Domingos e o antigo porto mineiro do Pomarão.

Para norte, a partir de Mértola, a queda de água do Pulo do Lobo (margem direita), a partir da povoação de Corte de Gafo de Baixo.