Metildopa

Revisado por Equipe Editorial a 11 setembro 2018

Nesta matéria vai ficar a saber o que é a Metildopa? Bula, Efeitos Colaterais, Indicações e quais as Contra-Indicações do medicamento.

Conhecer os medicamentos que tomamos e que nos recomendam é, não só uma obrigação cívica, como uma obrigação para connosco e para com a nossa saúde.

A auto-medicação é desaconselhada por médicos e especialistas e nem por isso deixa de haver casos onde as coisas não correm pela perfeição. Para pessoas com problemas de hipertensão arterial, a medicação e os fármacos são elementos que não devem faltar para controlar o problema.

Um dos medicamentos que ajuda a controlar a hipertensão arterial é a Metildopa, comercialmente, conhecida como Aldomet.

Para além de intervir no controle da hipertensão arterial, a Metildopa interfere com a resistência vascular (aumenta-a). Apesar disso, não altera muitas condições do sistema circulatório.

Benefícios, Contra Indicações e Efeitos Colaterais da Metildopa

Os seus benefícios são variados, mas existem algumas contra-indicações que devem ser respeitadas.

Deve tomar o medicamento com cuidado, caso apresente dificuldade ao respirar, se tiver problemas de rins ou fígado e evitar ao máximo, caso esteja grávida com risco b, ou em fase de amamentação.

Os efeitos do medicamento vão para além daquilo que acontece no sistema cardiovascular.

A metildopa provoca sonolência, boca seca, aumento do peito, formigamento, dor ou fraqueza em mãos e pés, diarréia, depressão, ansiedade, batimentos cardíacos leves, vómitos, nariz entupido, inchaço dos membros, problemas de fígado, nariz entupido ou febre.

Outros efeitos colaterais:

  • pele pálida ou amarelada, febre, confusão ou fraqueza;
  • náusea, dor no estômago superior, coceira, perda de apetite, urina escura, fezes cor de barro, icterícia (amarelamento da pele ou dos olhos);
  • erupção cutânea, nódoas negras, formigueiro grave, dormência, dor, fraqueza muscular;
  • sensação de falta de ar;
  • inchaço nas mãos, tornozelos ou pés;
  • hematomas fáceis, sangramento anormal (nariz, boca, vagina ou reto), manchas roxas ou vermelhas pontiagudas sob a pele; ou
  • movimentos musculares que o paciente não consegue controlar.

Alguns efeitos colaterais menos graves podem incluir:

  • sonolência, tontura, fraqueza;
  • dor de cabeça;
  • ganho de peso;
  • dor ou inchaço nas articulações, dor muscular;
  • boca seca;
  • vômito, dor de estômago;
  • língua inchada;
  • prisão de ventre, diarréia, inchaço, gás;
  • humor deprimido, pensamentos incomuns, pesadelos;
  • dormência ou sensação de formigamento;
  • nariz entupido;
  • perda da menstruação; ou
  • inchaço ou descarga da mama.

Como a metildopa apresenta várias contra-indicações, há que tomar com precaução. O limite para um adulto é de três gramas por dia, devendo ser tomada sempre no mesmo horário.

Como é conhecida por provocar sonolência, o ideal é tomar a metildopa à noite, um pouco antes de se deitar. É administrada por via oral, devendo sempre ser tomada juntamente com um copo de água.

Não parta ou mastigue a metildopa e se sentir dores no estômago antes, tome o medicamento acompanhado de algum alimento. Não tome qualquer comprimido caso esteja sobre o efeito de bebidas alcóolicas.

A metildopa emagrece?

Não, muito pelo contrário. O medicamento dificulta a perda de peso uma vez que causa a retenção de líquidos, levando a um ganho acentuado no peso.

Referências 

https://medlineplus.gov/druginfo/meds/a682242.html