Microcefalia

Revisado por Equipe Editorial a 1 outubro 2018

A microcefalia é uma doença caracterizada pelo desenvolvimento insuficiente do crânio e do cérebro. As crianças com microcefalia têm um cérebro menor do que é comum na sua idade, o que limita a sua aprendizagem e o desenvolvimento cognitivo.

cabeca-de-menino-com-microcefalia

A microcefalia é, normalmente, diagnosticada quando a criança tem cerca de 15 meses. Se nessa idade, o tamanho da cabeça da criança for inferior a 42 centímetros, então é possível que se trate de microcefalia.

Este problema surge como consequência do desenvolvimento incorreto do crânio da criança. No momento do nascimento, os ossos do cérebro de um bebé estão separados e quando estes se unem demasiado rapidamente, o cérebro fica condicionado e impedido de se desenvolver como suposto.

A microcefalia pode provocar diversas consequências nas crianças, incluindo dificuldades intelectuais, atraso mental, paralisia e convulsões.

Face à ausência de um tratamento para a microcefalia, os médicos geralmente sugerem apenas a adoção de algumas medidas que ajudam a atenuar alguns dos sintomas provocados pela doença.

Causas da microcefalia

A microcefalia pode surgir devido a causas genéticas, ambientais ou mesmo devido a comportamentos das progenitoras durante a gravidez. Entre as causas já identificadas de microcefalia podemos incluir:

  • Diversas doenças genéticas (como, por exemplo, Trissomia 13 ou 18, ou Síndrome de Down);
  • Meningite;
  • Ingestão de álcool durante a gestação;
  • Intoxicação por substâncias como cobre ou mercúrio
  • Má nutrição
  • Síndrome de Rett;
  • Diversas infeções durante a gravidez (como toxoplasmose, citomegalovírus e rubéola).

A microcefalia pode ser diagnosticada através da observação presencial (medição da cabeça), ou através de exames como ressonância magnética ou tomografia computorizada.

Tratamento para microcefalia

foto-de-bebe-com-microcefalia

Como já referido, não existe um tratamento concreto para a microcefalia, sendo apenas recomendadas diversas ações que têm como principal objetivo atenuar alguns dos sintomas da doença.

Em situações em que os médicos identificam a doença numa fase ainda precoce (no primeiro ou segundo mês de vida), é possível realizar uma cirurgia corretiva.

Esta cirurgia é feita para evitar que ossos do crânio se unam demasiado cedo, evitando a compressão do cérebro e consequentemente, impedindo que o seu normal crescimento seja limitado.

Uma vez que a microcefalia raramente é identificada numa fase tão precoce, este procedimento cirúrgico é raro.

Nas situações em que a microcefalia apenas é diagnosticada mais tarde (ou seja, na maioria dos casos), o tratamento foca-se em atenuar as limitações que a doença provoca no desenvolvimento da criança.

Fotos de microcefalia

foto de microcefalia