Moçambique

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Viajar para a Africa do Sul

” Nós em Moçambique ” por Anabela Almeida – Destino: Moçambique e Kruger Park na África do Sul.

Uma viagem a África, seja pelo fascínio dos lugares, seja pelo clima ou pelas cores e sabores, fica sempre gravada numa espécie de memória visual, que dura, perdura e prevalece como se fosse agora à pouco……

Guia de Viagem

Itinerário:

Esta viagem feita a Moçambique, com um pulo à África do Sul, que quatro amigos decidem fazer, efectuou-se porque um a sonhara a vida toda, outro sofria de uma estranha atracção pelo Continente Africano … O itinerário da viagem foi sendo decidido e alterado pelo grupo . Logo à chegada a Maputo começamos a descobrir que não era importante estar naquele País como turistas de hotel e piscina, mas como pessoas a viver experiências genuínas para conhecer, e perceber a essência daquele lugar.

A viagem de avioneta para Bazaruto proporcionou-me uma sensação inesquecível: senti-me a Meryl Strep em África Minha…; foram três dias de águas quentes, dunas, Land Rover’s, corais, peixes coloridos e flamingos ao despertar … Nesta mesma ilha Verdadeiros Turistas torravam na praia e largavam USD’s em passeios e programas; nós andávamos varias horas a pé descobrindo a Ilha, a Escola, as pessoas, as crianças.

Os homens iam exercitando o cálculo mental dos custos/hora cada vez que visitava-mos um local paradisíaco, digno de magnatas de petróleo, e que as mulheres eram tratadas como rainhas, que estavam muito “lustrosas” , blá, blá…..conversa de beatas(os) ! , mas íamos combinando que para os amigos tudo o documentado nas fotos se passava no Sul de Espanha!!

O regresso a Maputo, capital e maior cidade de moçambique, de carro pela costa, com pernoita em Inhambane ( Praia do Tofo) proporcionou um contacto directo com a realidade e paragens sucessivas para compras. A chegada ao hotel foi um pouco constrangedora, não para nós, mas para os empregados. O Que fazer com tantos cachos de bananas, cocos, mandioca, cestos, colheres, os arcos, flechas, almofarizes, …. A custo lá se convenceram que tinham, que levar tudo aquilo para os quartos !!

Um pulinho á África austral, ficou-nos muito bem! É claro que fomos visitar os animais selvagens ao Kruger Park, e é claro que eles são reais e lindíssimos! Fiquei indignada com os safaris nocturnos, com os focos de luzes a perturbar o seu descanso…. Aproveitamos para dar mais uma machadada no programa e visitar um mais pouco da África do Sul , com visita ao Blyde River Canyon e às LISBON FALLS , na zona de Graskop – em Nelspruit (Mbombela), localizada na zona nordeste da africa do sul.

Ilha Inhaca
Situada a cerca de 25 milhas ( 40 km ) ao largo de Maputo, a Ilha Inhaca é um destino de sonho, repleto de belas praias, as melhores do Canal de Moçambique, recifes de coral, um farol histórico, um museu de biologia marinha e grandes áreas de floresta protegida. Facilmente acessível a partir da capital, Maputo, é o local preferido para mergulhadores e praticantes de snorkeling , que partem á descoberta pelos recifes de Santa Maria, ou em redor dos destroços submersos. O recife de Santa Maria tem uma corrente de vento forte, que corre paralela à costa e é fantástico para mergulho. Como tantas de Moçambique, a ilha inhaca é um paraíso natural de praias deslumbrantes e recifes de coral.

Transporte: A ilha inhaca é facilmente acessível a partir de Maputo: através de barco ou um vôo de 15 minutos.

O que mais gostei desta nossa viagem a Moçambique: Da simplicidade, de descobrir as pessoas, de conhecer o funcionamento das Escolas, da terra vermelha, das árvores, de observar a chegada de um professor de matemática, à Ilha de Inhaca com os sapatos na mão e asa calças arregaçadas, de conversar com as crianças moçambicanas, de observar pássaros maravilhosos, de descobrir Moçambique com ligação à História que aprendi em Portugal, de conhecer uma Irmã espanhola com 70 anos a investir o seu trabalho gracioso numa aldeia, de perceber que Moçambique só é igual às fotos das revistas se formos nós a tirá-las!

Como chegar a moçambique: Lisboa–Maputo: Boeing 767. Maputo: se tiver alguém conhecido com carro faz um jeitão, senão taxi. Em caso de muito desespero: chapas !!
Maputo-Vilanculos-Bazaruto: “avião” Casa Aviocar 212 + Avioneta. Bazaruto: Land Rover, Dhow e a pé .Vilanculos–Inhambane-Maputo: Musso 4×4
Maputo – Kruger NP- Blyde River Canyon – Maputo: carrinha Hyundai, carro Mercedes, Nissan4x4 – versão safari , etc. Maputo/ ilha Inhaca: Lancha rápida. Ilha Inhaca: Tractor

Onde ficar alojado:

MAPUTO: Ficámos no Hotel Pestana Rovuma. Restaurante Costa do Sol.
BAZARUTO: Escolhemos o hotel Pestana Bazaruto Lodge. Restaurante para variar só o do Indigo Bay – viva o Massadas.
INHAMBANE: Hotel Marinhos.
KRUGER: Malelane Gate Resort.
ILHA INHACA: Pestana Inhaca Lodge ****

Qual é a melhor época do ano para viajar para Moçambique: Julho a Setembro é a melhor altura do ano pois a actividade dos mosquitos, inerente à Malária é bastante menor na época seca e o Inverno do Índico é cá um Inverno!!