O desporto Cura

O desporto Cura

Conheça os desportos adequados para algumas condições físicas que afligem muitas pessoas, e que podem ser minimizadas. O desporto cura, disso não existem dúvidas. Mas para isso acontecer tem que ser o desporto ideal, porque se não o for, os resultados podem ser desastrosos. Conheça que desportos devem ser praticados para algumas doenças e condições humanas.

Obesidade

É uma das consequências da falta de exercício. Para quem já tenha uns «quilitos» a mais, os desportos indicados são os seguintes:

Ciclismo e natação, uma vez que o peso corporal suportado é mínimo.
Desportos aeróbicos, pelo baixo risco de lesões nas cartilagens. No entanto a corrida não é aconselhada.
São de evitar os desportos de grupo, uma vez que o obeso poderá desanimar por não acompanhar os restantes.

Asma e alergias

O desporto fortalece o organismo e aumenta a resistência às patologias. Nestes casos em particular os desportos indicados são os seguintes:

Desportos aeróbicos, como a natação e a corrida. Isto porque ajuda a «educar» a respiração.
Actividades praticadas ao ar livre, evitando no entanto locais onde se acumule pó ou pólen.
O desporto não deve ser praticado de forma intensa logo de início, uma vez que isso poderá levar ao surgimento de crises de asma ou alérgicas.

Hipertensão arterial

No caso da hipertensão ser ligeira os desportos praticados podem incluir actividades mais dinâmicas, como a corrida, o futebol, o basquetebol, etc., desde que monitorizado por um médico. Nos casos mais graves de hipertensão são indicadas actividades como andar, realizar alongamentos ou praticar hidroginástica.

Varizes

Mais frequente nas mulheres, esta insuficiência venosa deve-se, principalmente, às muitas horas passadas de pé. Assim, um desporto adequado é a natação, isto porque a posição horizontal permite uma menor pressão venosa nas pernas. Podem ser também praticados desportos mais «mexidos», como o ciclismo e a corrida, desde que o risco de queda não seja elevado.

Exemplos de renome

A doença não tem, necessariamente, que ser um impeditivo para praticar desporto. Vejamos alguns casos de sucesso na história desportiva mundial:

Johnny Weissmuller – teve poliomielite e problemas cardíacos na infância. Na idade adulta conquistou cinco medalhas olímpicas de natação.
Wilma Rudolph – vítima de poliomielite na infância, foi a velocista sensação nos Jogos Olímpicos de Roma, em 1960.
Gail Devers – medalha de ouro em Barcelona, 92, sofreu de uma disfunção na tiróide ano e meio antes da competição.
Carlos Lopes – fundista e detentor da primeira medalha de ouro olímpica para Portugal, sofria de uma anomalia cardíaca.