O Que fazer em caso de Afogamento

Revisado por Equipe Editorial a 22 outubro 2018

Os afogamentos ocorrem em todas as idades, no entanto, saiba que o seu risco é maior entre os 1 e os 5 anos. Uma criança pequena pode afogar-se em dois ou três minutos numa pequena quantidade de água, até mesmo numa banheira.

Nunca deixe a criança chapinhar ou brincar na proximidade de um ponto de água sem estar vigiada. Vede as piscinas privadas, ou cubra-as.

Nos adultos, o cansaço e as más disposições são as causas mais frequentes do acidente: não abuse das suas forças, não nade sozinho e respeite as zonas de praias vigiadas.

O que fazer em caso de afogamento?

• Retire a vítima da água o mais rapidamente possível sem correr riscos, tanto em relação a si como em relação a ela. Não se atire à água sem medir os riscos. Se não nada bem mande primeiro uma bóia, um objecto flutuante, ou uma corda improvisada.

• Peça ajuda.

• Se a vítima está consciente ajude-a a tossir e a evacuar a água das vias respiratórias.

• Dispa-a e coloque-a de costas, de cabeça para baixo, se estiver numa superfície inclinada, cobrindo-a para a aquecer e chame um médico.

• Se a vítima não falar nem respirar deite-a sobre as costas, incline-lhe a cabeça para traz e mantenha-lhe o queixo elevado. Efectue a respiração boca a boca e chame os primeiros socorros.

• Se constatar que o coração da vítima parou de bater, proceda da mesma maneira que anteriormente descrevemos, alternando porém a respiração boca a boca com a massagem cardíaca (só para quem tiver formação de primeiros socorros). Chame os primeiros socorros.

O que não deve fazer em caso de afogamento

Agarrar com demasiada força uma pessoa que esteja descontrolada e que procure agarrar-se a si. Procure acalmá-la, pedindo-lhe que pare. Se não conseguir retirar a vítima da água peça ajuda.