O que são estatinas? Efeitos colaterais, Indicações, Quem deve tomar?

As estatinas são uma classe de medicamentos frequentemente prescrita pelo médico para ajudar a reduzir os níveis de colesterol no sangue, permitindo desta forma reduzir o risco de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e até morte por doença cardíaca (em cerca de 25% a 35%).

Eles conseguem este benefício através do bloqueio da ação de uma enzima presente no fígado, necessária para produzir colesterol.

Entenda que, o colesterol é necessário para o funcionamento normal das células e do corpo, mas, quando em níveis muito elevados, pode levar à aterosclerose – condição na qual as placas que contêm colesterol se acumulam nas artérias e bloqueiam o fluxo sanguíneo.

Ao baixarem os níveis de colesterol no sangue, as estatinas reduzem o risco de dor no peito (angina de peito), ataque cardíaco e AVC. Neste artigo vamos ficar a entender como as estatinas funcionam, quem as deve tomar e os riscos e benefícios associados.

Fatos rápidos:

  • As estatinas são usadas para diminuir os níveis de colesterol no sangue.
  • As estatinas funcionam através da inibição de uma enzima chamada HMG-CoA redutase.
  • As pessoas com doenças relacionadas ao ateroma (placas que se formam nas paredes das artérias), diabetes e histórico familiar de ataques cardíacos, são-lhes muitas vezes prescritas estatinas.
  • As pessoas com doença hepática devem avaliar os riscos e benefícios do medicamento cuidadosamente com o médico.

As Estatinas São Uma Classe De Medicamentos Frequentemente Prescrita pelo Médico Para Ajudar A Baixar Os Níveis De Colesterol No Sangue

O que são estatinas?

As estatinas são um tipo de medicamento que bloqueia a ação de uma enzima hepática que ajuda a produzir colesterol. Normalmente são prescritas para baixar os níveis de colesterol no sangue, e alguns dos seus tipos incluem:

  • atorvastatina
  • cerivastatina
  • fluvastatina
  • lovastatina
  • mevastatina
  • pitavastatina
  • pravastatina
  • rosuvastatina
  • sinvastatina

A atorvastatina e a rosuvastatina são as mais potentes, enquanto a fluvastatina é a menos potente. Estes medicamentos são vendidos sob várias marcas, incluindo:

  • Lipitor (atorvastatina)
  • Pravachol (pravastatina)
  • Crestor (rosuvastatina)
  • Zocor (sinvastatina)
  • Lescol (fluvastatina)
  • Vytorin (uma combinação de sinvastatina e ezetimiba)

Efeitos secundários

A maioria das pessoas que as usam têm poucos ou nenhuns efeitos colaterais. Os efeitos colaterais de menor grau incluem:

  • dor de cabeça
  • sensação de picadas de alfinetes e agulhas
  • dor abdominal
  • inchaço
  • diarreia
  • sensação de doença
  • erupção

Alguns tipos de estatinas podem causar problemas de memória. Pesquisadores da Universidade de Bristol, na Inglaterra, descobriram que duas estatinas geralmente prescritas – a pravastatina (Pravachol) e a atorvastatina (Lipitor) – reduziram o desempenho de reconhecimento e memória de trabalho, num estudo realizado em animais.

Sabe-se também que o medicamento pode aumentar o risco do indivíduo desenvolver cataratas. Uma equipa de pesquisa do San Antonio Military Medical Center, TX, relatou no JAMA Ophthalmology que o uso de estatinas aumentou o risco de catarata em 27%.

Os dois efeitos colaterais mais graves, e ambos relativamente raros, são a insuficiência hepática e a lesão muscular esquelética.

Esse dano muscular geralmente apresenta-se como uma dor muscular, que é muitas vezes aliviada após o paciente mudar para outro tipo de estatina. Em alguns casos, embora raros, pode ocorrer um tipo grave de miopatia, chamada de rabdomiólise.

O que é a rabdomiólise?

A rabdomiólise geralmente inicia com dor muscular e pode piorar á medida que a degradação muscular evolui significativamente, o paciente experimenta insuficiência renal, ou morre.

A condição é mais comum quando as estatinas são usadas em combinação com outras drogas de alto risco, ou outros medicamentos que aumentam os níveis de estatinas no sangue.

Quem não deve tomar estatinas?

As pessoas com doença hepática devem falar com o médico sobre os riscos e benefícios antes de iniciar qualquer terapia com a droga. Nos casos de doença hepática estável e crônica, doses baixas de estatina podem ter um benefício maior do que o risco.

No caso de doença hepática progressiva, não se recomendada o uso do medicamento.

Além disso, as mulheres grávidas, lactantes, ou aquelas que pretendem engravidar, não devem tomar estatinas.

Geralmente, recomenda-se não combinar as estatinas com os seguintes medicamentos:

  • inibidores da protease (tratamento da SIDA)
  • eritromicina
  • itraconazol
  • claritromicina
  • diltiazem
  • verapamil
  • fibratos (que também diminuem os níveis de LDL)

As pessoas que tomam o medicamento devem evitar o consumo de toranja, tal como o suco da fruta, devido aos efeitos potencialmente perigosos de interação com a droga.

As Mulheres Grávidas Não Devem Tomar Estatinas

Indicações e Usos

As estatinas inibem uma enzima chamada HMG-CoA redutase, que controla a produção de colesterol no fígado. O medicamento bloqueia a enzima, retardando assim o processo de produção de colesterol.

Muitas vezes inicia-se o tratamento com estatinas para reduzir o nível de colesterol para menos de 5 milimoles por litro (mmol / L), ou 30 a 60%. Quando esse objetivo não é atingido, muitas vezes realiza-se o aumento da dose.

O tratamento geralmente continua mesmo após o nível de colesterol alvo ser atingido, agindo como preventivo contra a aterosclerose.

Quem deve tomar estatinas?

As estatinas podem ser prescritas nos seguintes casos:

  • Doenças relacionadas ao ateroma, como doença cardíaca, acidente vascular cerebral e aterosclerose.
  • Diabetes, uma vez que aumenta o risco de desenvolver uma doença relacionada ao ateroma.
  • Quando os níveis de colesterol LDL estão elevados (190 miligramas por decilitro (mg / dL) ou superior).
  • Risco de doença cardiovascular em 7,5 por cento ou mais.

O nível elevado de colesterol é a razão mais comum pela qual a pessoa recebe a prescrição de estatinas, mas elas também reduzem o risco de doenças cardíacas, prevenindo a aterosclerose.

A formação de placas de aterosclerose (ateromas) pode ocorrer mesmo quando o colesterol está baixo no sangue. E, nestes casos, o medicamento podem ser usado para tratar indivíduos que já têm aterosclerose ou estão em maior risco de desenvolvê-la, mesmo que não tenham níveis elevados de colesterol.

Para mais informações sobre os riscos e benefícios das estatinas, consulte o seu médico.

Ver referências +