Óleos Essenciais para Câncer

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692). Publicado em 5 de outubro de 2017

De todos os estudos incluídos na literatura médica, os que aqui lhe apresentamos são apenas uma amostra dos que sugerem que os óleos essenciais podem ser úteis na prevenção do câncer.

Os Melhores Óleos Essenciais Para Doentes Com Câncer

Óleos de citrinos

O mais proeminente e notável componente dos óleos de citrinos (laranja, limão, tangerina, lima e toranja, etc…) é o d-limoneno, que se confirmou ser um agente anticancerígeno.

De acordo com o National Library of Medicin, PubChem:

“O d-limoneno é um suplemento que contém um monoterpeno cíclico natural e o componente principal dos óleos extraídos de cascas dos citrinos, com potencial na prevenção de tumores.

Embora os mecanismos de ação ainda não estejam bem esclarecidos, o limoneno e os seus metabolitos, que incluem o ácido perilico, o ácido dihidroperilico, o uroterpenol e o limoneno-1,2-diol, podem prevenir o crescimento tumoral através da inibição da sinalização dependente da p21 e induzir a apoptose através da indução da via de sinalização do fator de crescimento transformante beta.

Salvia esclareia

O principal componente do óleo essencial de salvia esclareia (Salvia sclarea), o esclareol, tem demonstrado efeitos anticancerígenos preventivos promissores.

Segundo vários estudos realizados desde 1999, o óleo tem-se revelado efeitos profundos na prevenção de linhas celulares cancerígenas.

Incenso, Olíbano (Frankincense)

Oleo De Olibano Franquincenso

De entre os óleos essenciais que podem ajudar a prevenir o câncer, o incenso (olíbano) de nome científico (Boswellia sacra, B. carterii, B. frereana e B. serrata) é o mais controverso de todos. (3)

Lavanda

Os radicais livres formados pelos químicos, pelos poluentes, pelo estresse e pelas toxinas são os culpados pela cascata de lesões celulares, inibição do sistema imunitário e ilimitados riscos inesperados – incluindo o câncer e as doenças crónicas.

Resumindo, os radicais livres são os supervilões e os antioxidantes os super-heróis.

O próprio corpo produz antioxidantes na forma de enzimas como a catalase (CAT), a glutationa peroxidase (GSH-Px), o superóxido dismutase (SOD) e outras.

Infelizmente, o nosso organismo está constantemente exposto à agressão dos radicais livres que esgotam a produção natural de antioxidantes e nos obrigam a recorrer a suplementos.

O óleo essencial de lavanda pode ser um suporte antioxidante eficaz para a prevenção do câncer.

Conheça melhor o óleo de lavanda aqui.

Mirra

O papel que o óleo essencial de mirra desempenha nas terapias anticancerígenas naturais tem sido um tópico popular no seio da comunidade científica, de forma particular sobre a forma como interage com os óleos essenciais de incenso.

Foi publicado na Oncology Letters, em 2013, um dos mais completos estudos sobre este tópico, no qual os investigadores descobriram o seguinte:

“Os efeitos dos dois óleos essenciais, administrados de forma independente ou misturados, foram analisados através do ensaio de MTT em cinco linhas celulares: MCF-7, HS-1, HepG2, HeLa e A549.

Os resultados indicaram que as linhas celulares MCF-7 e HS-1 mostraram uma sensibilidade aumentada aos óleos de mirra e de incenso, em comparação com as restantes linhas celulares.

Além disto, os efeitos anticancerígenos da mirra foram acentuadamente superiores aos do incenso.

Contudo, não foram identificados efeitos sinérgicos significantes.” (17)

Não pense que os investigadores estão a avaliar a junção do incenso e da mirra como terapêuticas completares por causa da história dos Reis Magos.

As resinas das árvores do incenso e da mirra têm vindo a ser tradicionalmente prescritas em simultâneo pela medicina tradicional chinesa, há já muitos anos.

Usadas inicialmente para tratar doenças inflamatórias e hemorragias, as terapias combinadas com incenso e mirra são excecionalmente eficazes no alívio do inchaço e da dor.  (18)

Apesar dos investigadores não terem observado um efeito sinérgico relativamente ao cancro, “um estudo anterior identificou que a combinação de óleos de incenso e de mirra exibe um efeito sinérgico em infeções inofensivas provocadas por Cryptococcus neoformans e por Pseudomonas aeruginosa”. (1920)

Hortelã-verde e Hortelã-pimenta

Hortela Pimenta

Em 2014, a revista BioMed Research International publicou um artigo que revelou que a hortelã-verde e a hortelã-pimenta são altamente eficazes no controlo dos efeitos colaterais comuns que as pessoas que estão a receber tratamentos médicos anticancerígenos sofrem, especialmente os vómitos e as náuseas.

Através de dados retirados diretamente do estudo, descobrimos que estes óleos, assim como alguns outros, podem ajudar numa grande variedade de problemas de saúde com os quais os doentes oncológicos têm que lidar:

“Os doentes oncológicos sofrem de diferentes efeitos colaterais que podem ser reduzidos preferencialmente através de métodos alternativos.

Os óleos essenciais são usados em aromaterapia para reduzir a agonia dos doentes com câncer cerebral. [21]

O óleo essencial é eficaz na depressão e na redução da ansiedade dos doentes com câncer. [22]

Os doentes oncológicos submetidos a quimioterapia, um dos métodos de tratamento do cancro mais frequentes, estão sujeitos a vários efeitos colaterais. [23]

Os mais frequentes são as náuseas e os vómitos.

A Mentha spicata [hortelã-verde] e a Mentha x piperita [hortelã-pimenta] mostraram-se eficazes a superar essas condições eméticas (náuseas e vómitos induzidos por quimioterapia, CINV), enquanto reduzem os gastos com tratamentos dos doentes oncológicos submetidos a quimioterapia. [24].

Há relatos de que os óleos essenciais de Leptospermum scoparium [Manuka myrtle] e Kunzea ericoides [Karo Greenfingers] ajudam a prevenir a mucosite nos doentes com câncer da cabeça e pescoço submetidos a radioterapia, quando são utilizados na preparação dos elixires orais. [25].

Alguns doentes oncológicos que possuem úlceras tumorigénicas metastáticas na pele desenvolvem necrose e odor fétido [26].

Estes doentes que sofrem de mau odor apresentaram melhoria do seu estado através do tratamento dessas úlceras com uma mistura de óleos essenciais que contêm eucalipto, melaleuca, citrinos, limão, folhas de cravo e tomilho, com uma base de etanol a 40% [27].

O óleo essencial de lavanda é amplamente utilizado em aromaterapia e é considerada benéfico na redução do sofrimento dos doentes com câncer [28].

Assim, os óleos essenciais são preparações valiosas na redução dos efeitos colaterais e do sofrimento dos doentes oncológicos.”

Conheça Os Melhores Óleos Essenciais para Neuropatia em Pessoas com Diabetes

Tomilho

A revista Molecules publicou, em 2010, um estudo que avaliou a forma como as células cancerígenas conseguiam resistir à administração de dez poderosos óleos essenciais.

O tomilho foi incluído neste estudo e destacou-se como o óleo essencial mais benéfico contra o cancro da próstata, o carcinoma pulmonar e o câncer de mama. (29)

Sendo uma das principais ervas que facilitam a ligação ao estrogénio, o óleo de tomilho pode ajudar a equilibrar e a regular as hormonas. (30)

Tal como observado anteriormente com a salva esclareia, o tomilho não é o único óleo essencial com potencial estrogénico conhecido pelo seu potencial antitumoral.

É interessante referir que, uma vez que o câncer retém frequentemente os recetores de estrogénio e pode ser “alimentado” por qualquer composto estrogénico.

Em teoria, pessoas com risco de desenvolver certos tipos de câncer são muitas vezes aconselhadas a evitar os estrogénios.

Com as potentes propriedades anticancerígenas que demonstrámos em alguns dos estudos acima referidos, é muito provável que brevemente descubramos que as plantas e as comidas “causadores de câncer”, que as pessoas evitam consumir atualmente, podem ser a chave que os nossos corpos necessitam para desbloquear potenciais mecanismos de defesa contra o cancro que todos nós possuímos de forma inata.

Descubra o Melhores Óleos Essenciais Analgésicos

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692)

Enfermeiro - Coren nº 491692

O Reinaldo Rodrigues formou-se em agosto de 2016, pela Universidade Padre Anchieta, em Jundiai. Fez curso de especialização em APH (Atendimento Pré-Hospitalar), pela escola 22Brasil Treinamentos, em Barueri, curso de 200 horas práticas, com foco em acidentes de trânsito.

Trabalha como Cuidador de Idosos há 5 anos, e possui experiência em aspiração de vias aéreas, banho de aspersão, curativos, tratamento e prevenção de Lesão por Pressão, gerenciamento de Equipe de cuidadores com elaboração de escalas. Treinamento e acompanhamento de cuidadores nas casas dos pacientes.

Também pode encontrar o Reinaldo no Linkedin.

Última atualização da página em 30/10/19