Olheiras: o que fazer para acabar com elas!

Revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista) a 19 novembro 2018 - Publicado a 9 de janeiro de 2015

Quando elas surgem, as mulheres logo pensam em correr para uma solução quase infalível: o uso de corretivo. No entanto, no mundo moderno existem outras soluções para tratar as incômodas olheiras e que podem ser tão ou mais eficazes do que o cosmético citado.

Olheiras, o que fazer para acabar com elas

Oriundas devido à obstrução dos vasos sanguíneos que perpassam a área circundada pelos olhos, ou em decorrência da ampliação da produção de melanina, as olheiras também aparecem como resultado de fadiga, exposição excessiva da pele aos raios ultravioleta, envelhecimento natural da pele, noites de sono insatisfatório, e reações alérgicas, fatores que certamente intensificam a gravidade do problema.

Entretanto, devido ao avanço tecnológico, as olheiras podem ser suplantadas das mais diversas maneiras, seja através de uma cirurgia plástica, da adoção de compostos químicos (como a carboxiterapia, que consiste na aplicação de dióxido de carbono na região demarcada pelas olheiras), ou até de intervenções realizadas com aparelhos emissores de raios laser.

E quem preferir métodos menos agressivos pode experimentar uma série de produtos cosméticos, ou compressas preparadas no conforto do próprio lar. Estudos apontam que as técnicas buscadas para acabar com as olheiras devem ser convergentes com a raiz do problema. Daí a importância de se consultar com um dermatologista. Desse modo, é possível ter um diagnóstico preciso e adotar o tratamento mais adequado para solucionar o transtorno.

Causas mais comuns do surgimento de olheiras

Segundo os dermatologistas, há vários fatores que podem culminar no desenvolvimento das olheiras. Mas, os mais observados nas clínicas são: excesso de melanina, herança genética, e formação de bolsas de gordura. No primeiro caso, quem tem um organismo que produz quantidades desequilibradas de melanina tem propensão a desenvolver espécies de manchas na região ocupada pelas olheiras.

Essa característica é típica em determinadas populações, tais como a indiana e a árabe. Já com relação à herança genética, existe certa aglutinação de vasos sanguíneos situados na área das pálpebras. Isso faz com que a pele local assuma uma tonalidade próxima de um vermelho escuro.

Esse estado de cores se torna ainda mais intenso durante o período menstrual, ou em decorrência da fadiga. Enquanto isso, as bolsas de gordura, que possuem a função de gerar proteção ao globo ocular, iniciam um processo que culminará em sua queda. Podendo ocorrer a partir dos 37 anos, essa queda é denominada proeminência.

Medicamentos naturais e métodos caseiros para tratar olheiras

Pode até ser que o corpo humano funcione como uma máquina, mas de tempos em tempos ela necessita ser recarregada. Em outras palavras, quem possui um ritmo de vida muito ativo e com poucos momentos de descanso tem grandes chances de piorar o quadro quando o assunto são as olheiras.

Quando acumulado, o cansaço amplia a dimensão das pálpebras, o que evidencia mais ainda as olheiras. Segundo os esteticistas, em situações como essa é bem provável que o uso de uma simples máscara, ou compressa, seja o suficiente para aliviar a congestão provocada no entorno dos olhos.

O referido método também se mostra extremamente útil durante as típicas olheiras que irrompem durante a TPM, fase marcada pelo acúmulo de líquidos. Acompanhe algumas sugestões dessas soluções naturais e caseiras na sequência.

Chá de camomila (com saquinho)

Essa infusão precisa conter uma quantidade generosa da referida erva a fim de que a bebida fique bem concentrada. Após esfriar, leve ao congelador sem remover o saquinho. Retire o chá do congelador. Aplique o saquinho sobre as pálpebras, retirando-o após um período de 10 a 15 minutos.

Mergulhe o saquinho na xícara de chá e reinsira-o sobre as pálpebras. No momento da aplicação, é importante que o corpo esteja na posição horizontal, mantendo a cabeça levemente inclinada. Esse posicionamento é determinante para atingir os objetos traçados, já que ele induz o retorno dos vasos sanguíneos à sua dimensão natural, o que ameniza o edema.

Receita de máscara caseira

Para preparar uma máscara caseira, mescle 1 xícara (chá) leite, 1 colher (sopa) de amido de milho, idêntica quantidade de mel. Coloque a mistura no fogo e mexa até engrossar. Depois, despeje-a em um recipiente e aguarde até atingir uma temperatura morna.

Quando a mistura estiver nessa temperatura, espalhe uma camada espessa sobre toda a área recoberta pelas pálpebras e pelos olhos. Por fim, acrescente pedaços de algodão umedecido sobre a máscara. Permaneça deitado durante cerca de 15 minutos. Posteriormente, lave a região com água em abundância e aplique um creme com função hidratante.

Cosméticos incrementados com vitaminas

Cabe ressaltar que a origem das olheiras têm raízes profundas, em partes localizadas bem abaixo da epiderme. Logo, a utilização de cremes é uma alternativa paliativa. Dentre os principais compostos ativos voltados para a diminuição do inchaço e descongestionamento dos vasos sanguíneos estão a cafeína, a rutina, a vitamina K1, e o gingko biloba. Já as substâncias destinadas a clarear a pele são o ácido ascórbico (vitamina C), o mequinol, o arbutim, e a hidroquinona.

Tratamentos estéticos disponíveis

Preenchimento com ácido hialurônico

O ácido hialurônico é normalmente empregado visando ampliar o volume dos lábios, mas ele também é eficaz para acabar com as olheiras. Para isso, esse ácido cria um distanciamento entre os vasos sanguíneos e a epiderme, o que reduz sensivelmente a aparência escurecida e característica das olheiras.

Preenchimento de olheiras com Ácido Hialurônico antes e depois

Além disso, o ácido hialurônico é capaz de atenuar o nível translúcido da pele sobre as pálpebras (impedindo a exibição dos minivasos existentes e bem visíveis na região, especialmente em pessoas de pele clara) e estimular o organismo a produzir mais colágeno.

Preenchimento de olheiras com Ácido Hialurônico antes e depois 2

Por último, os benefícios proporcionados pelo ácido hialurônico se estendem até a conquista do equilíbrio entre as olheiras e as maçãs do rosto, propiciando ao rosto uma aparência bem mais harmônica. Quanto ao procedimento, antes de receber a introdução do respectivo ácido, a epiderme é devidamente anestesiada com cremes específicos.

Preenchimento de olheiras com Ácido Hialurônico antes e depois 1

O método é recomendado às pessoas que detenham globos oculares profundos (que formam um sombreamento natural sobre a pálpebra inferior), ou um volume limitado de tecido adiposo na mesma área. O procedimento é composto por uma única sessão.

Laser

Outra alternativa para eliminar as olheiras é utilizar o laser. Essa variante de tratamento é mais indicada para olheiras que tenham surgido como consequência da síntese elevada de melanina. Neste caso, a função do laser é a de aniquilar apenas a melanina excedente.

Dessa forma, as olheiras acabam sendo clareadas. O nível de escurecimento determinará a quantidade de sessões necessárias para a correção do problema. O clareamento proporcionado possui uma durabilidade bem extensa, e as primeiras impressões positivas já podem ser visualizadas imediatamente depois de finalizada a sessão inicial. E embora a área tratada apresente uma ardência e vermelhidão, esses efeitos colaterais são totalmente passageiros, dissipando-se ao longo de poucas horas.

Existem determinados equipamentos, como o laser Starlux IR, que possuem ponteiras muito potentes e que, além de um ter um poder de penetração maior e exibir um nível elevado de efetividade quanto ao clareamento das manchas, ainda induz o organismo a produzir mais colágeno. O tratamento a laser direcionado às olheiras exige que o paciente se submeta ao procedimento durante 3 ou 5 vezes.

Carboxiterapia

antes e depois

antes e depois

Esse tratamento realiza a introdução de dióxido de carbono (CO2) na pele. Em se tratando das olheiras, o profissional incumbido do processo utiliza uma microagulha, posicionando-a sobre ambas as pálpebras. O CO2 ajuda a aprimorar o funcionamento da circulação sanguínea. Com isso, a região ocupada pelas olheiras passa a receber dosagens superiores de oxigênio.

O aumento do volume da oxigenação no local proporciona o rejuvenescimento das células de colágeno, além de contribuir para diminuição da concentração de toxinas e pigmentos responsáveis pelo aparecimento das olheiras. A carboxiterapia é ideal para as pessoas que possuam olheiras e flacidez na pele das pálpebras.

Injeções de vitamina K1

Existem circunstâncias nas quais o tratamento com raios laser é ineficaz. Isso acontece quando os vasos sanguíneos presentes nas pálpebras são muito delgados, impossibilitando o alcance do laser. Para situações como essa, uma boa alternativa são as injeções de vitamina K1.

Ela desenvolve um revestimento sobre os vasos sanguíneos, que tem a função de protegê-los. Isso evita que a pele das pálpebras fiquem roxas. Antes de o paciente ter contato com as agulhas a pele recebe um creme com efeito anestésico. Ao todo, a técnica reproduz aproximadamente oito injeções da referida vitamina, que são posicionadas em toda a região recoberta pelas manchas.

O tratamento é concluído após a segunda ou terceira sessão, sendo que cada uma delas dura cerca de 15 minutos. Além disso, as sessões devem ter um distanciamento de duas semanas entre elas. Apesar do método apresentar o inchaço como um incômodo efeito colateral, a área tratada retorna ao normal em um ou dois dias.

Uma das vantagens da aplicação de vitamina K1 é a velocidade com que os resultados são conquistados, já que ao término da primeira sessão o paciente pode perceber alguma diferença.

Intervenção cirúrgica

Existem determinados casos que requerem uma intervenção cirúrgica para solucionar o problema. É o que acontece quando há bolsas de gordura intensas situadas na pálpebra inferior, ou quando essa região apresenta excesso de melanina. Em ambas as situações a melhor, e às vezes única alternativa, é a realização de uma cirurgia plástica denominada blefaroplastia.

Nesse procedimento, após aplicação de uma anestesia local o cirurgião efetua uma incisão bem próxima aos cílios inferiores. Durante o pós-cirúrgico, o paciente é orientado a inserir compressas geladas nas pálpebras, que devem permanecer na região por 24 horas, a fim de evitar a ocorrência de edemas.

Além disso, no decurso do período de convalescença, que pode durar um mês ou se estender até 2 meses, é necessário a utilização de óculos escuros em tempo integral. A fase de recuperação pós-cirurgia também é marcada pelo aspecto excessivamente roxo das pálpebras. Finalmente, os resultados serão notados a partir do 30º dia subsequente ao procedimento.

Alimentação inadequada contribui bastante para a formação de olheiras

Muitas pessoas têm o hábito de recorrer a alguma das soluções apresentadas acima sem se ater aos motivos exatos que ocasionaram a formação das olheiras. Neste ponto, o descuido com a alimentação é quase um erro inevitável. É importante que você conheça melhor seu organismo, pois o aparecimento de olheiras pode estar diretamente interligado a uma dieta desequilibrada.

Com exceção dos fatores hereditários de determinadas populações, como a indiana e a árabe, o surgimento das olheiras pode ter sua causa amparada em algumas hipóteses. Conheça-as e saiba como a alimentação pode ajudar a lidar com o problema.

Estresse

A tensão diária inerente à vida moderna pode provocar diversos distúrbios internos no organismo. Um desses transtornos é o aumento súbito da produção de protóxido de nitrogênio (óxido nitroso). Esse composto faz com que os vasos sanguíneos das pálpebras se tornem mais evidentes, conferindo um destaque negativo à essa região do rosto. Visando inibir essa consequência, vale a pena investir no consumo de chá verde, rúcula, agrião, couve-flor, e amêndoas.

Reações alérgicas

Indivíduos que possuem alergias, como rinite ou sinusite, tendem a ter os olhos constantemente irritados, o que causa coceiras exageradass no local. Ocorre que esse hábito pode desencadear a dilatação, ou ruptura, dos microvasos sanguíneos situados nas imediações das pálpebras. Por essa razão, é prudente analisar a possibilidade de alergia a determinados alimentos e substâncias, como soja, glúten, ou proteína do leite.

O poder da quinoa

Eleito um dos melhores cereais para emagrecer, a quinoa detém elevadas concentrações de diversos nutrientes. A soma deles é tão benéfica ao organismo que a quinoa chegou a ser eleita pela ONU (Organização das Nações Unidas) como um alimento completo.

Uma das riquezas da quinoa são os fitoestrógenos, substâncias que promovem o equilíbrio dos índices de hormônios. Outras fontes alimentares que contêm esses elementos em grande quantidade são a soja, o feijão, e o trigo integral.

Continuação » 22 Tratamentos Caseiros para Eliminar Olheiras