Optimismo

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Um célebre estudo elaborado pela Clínica Mayo no princípio dos anos 50 do século passado revelou que as pessoas optimistas vivem em média cerca de mais 8 anos do que os pessimistas. Mais recentemente, também foi demonstrado que os optimistas têm 50% menos probabilidades de morrer prematuramente. Os idosos optimistas possuem um sistema imunitário melhor do que os pessimistas. Logo, ter esperança pode contribuir para afastar as doenças. O optimismo ajuda-o a enfrentar a doença, enquanto os pessimistas tendem a pensar “tudo o que fizer é indiferente” e são mais passivos em relação à sua saúde. As investigações têm revelado que o optimismo é muito útil nas doenças cardíacas, p. ex., visto que reduz a pobabilidade de sofrer de angina de peito e de ataque cardíaco. Segundo a mesma lógica, a esperança é uma arma poderosa para os doentes oncológicos e pode contribuir bastante para aumentar o seu tempo de vida.

Como tornar-me optimista?

O que deve evitar:

. Aprenda a reconhecer e a abandonar as formas negativas de pensar.
. Evite concentrar-se apenas em coisas negativas e personalizá-las (acusar-se pelas coisas más que acontecem).
. Evite o catastrofismo (esperar sempre o pior) e a polarização (considerar sempre que as coisas são boas ou más, ignorando os diversos matizes de ambas.

O que deve fazer:

. Esforce-se bastante por ter uma atitude mais positiva perante a vida.
. Procure as coisas boas, por muito insignificantes que sejam, e acarinhe-as.
. Tente subvalorizar as coisas más – lide com elas e continue a viver.
. Procure a companhia de pessoas optimistas e deixe que a atitude delas o influencie!