Osteomielite Infecciosa

OSTEOMIELITE INFECCIOSA – SINTOMAS, CAUSAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
Em geral, ocorre infecção por disseminação hematogênica do osso; as metáfises dos ossos longos e as vértebras são mais frequentemente acometidas.
Os principais sintomas são Dor vaga subaguda e hipersensibilidade do osso ou do dorso, com pouca ou nenhuma febre em adultos; apresentação mais aguda em crianças.
Os microrganismos incluem Staphylococcus aureus, estafilococos coagulase-negativos, estreptococos do grupo A, bastonetes
Gram-negativos, infecções anaeróbicas e polimicrobianas, tuberculose, brucelose, histoplasmose, coccidioidomicose e blastomicose.
As hemoculturas podem ser negativas; biopsia do osso é diagnóstica.
As radiografias no início da evolução são frequentemente negativas, mas a periostite pode ser detectada de 2 a 3 semanas após o início da evolução, seguida por desmineralização periarticular e erosão óssea.
A cintigrafia óssea com radionuclídio possui sensibilidade de 90% e pode ser positiva dentro de dois dias após o início dos
sintomas, porém não fornece qualquer informação sobre o patógeno.

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Artrite bacteriana aguda
. Febre reumática
. celulite
. Mielomamúltiplo
. Sarcoma de Ewing
. Neoplasia metastática

OSTEOMIELITE INFECCIOSA TRATAMENTO
Antibióticos intravenosos após a obtenção de culturas apropriadas.
O ciprofloxacino oral, 750 mg 2 vezes/dia, durante 6 a 8 semanas, pode ser eficaz na osteomielite limitada.
Em pacientes idosos, tratar com antibióticos de amplo espectro, como para a bacteriemia por microrganismos Gram-negativos
em consequência de infecções urinárias, biliares, intestinais e do trato respiratório inferior.
Desbridamento se a resposta aos antibióticos não for satisfatória.

Dica
Na osteomielite crôníca: uma vez osteomielite, sempre osteomielite.
Referência
Lew DP, Waldvogel FA: Osteomyelitis. Lancet 2004