Pênis Torto

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Sou estudante de medicina, e tenho um problema para o qual preciso de ajuda. Em algumas posições não consigo realizar o ato sexual porque tenho o pênis torto, curvado para cima. Não sei se o meu problema tem tratamento. Necessito orientação a este respeito.

Resposta:

A perturbação de que padece não é infrequente como parece pensar, pois trata-se de uma das duas situações:

  1. Curvatura congênita do pênis
  2. Doença de Peyronie

Ambas se classificam como alterações orgânicas que interferem com a resposta sexual, especificamente dentro das alterações genitais (infecções, traumatismos, tumores, malformações congénitas, processos degenerativos e outros), que podem afectar de diversas formas a função sexual.

A abordagem aprofundada destes temas cabe à Urologia e à Ginecologia.

A curvatura congênita do pénis ou (pênis curvo congênito) é, como o nome indica, uma malformação congênita. É uma situação geralmente resolvida com sucesso através de intervenção cirúrgica. Esta malformação acontece em 6 em cada 1000 crianças do sexo masculino.

A doença de Peyronie ou (Síndrome de La Peyronie) é de etiologia pouco conhecida e caracteriza-se pelo aparecimento de uma placa fibrosa na túnica albugínea dos corpos cavernosos, que conforme progride se pode acompanhar de dor e curvatura e/torção do pénis em erecção.

Foi descrita por François Gigot de la Peyronie em 1743 e denomina-se também de I.P.P. (Induratio Penis Plasticae). Desde que La Peyroni a descreveu desenvolveram-se alguns progressos no estudo das suas causas, que se relacionam com a confluência de numerosos factores, num “terreno predisposto”, entre os quais:

  1. Fator infeccioso como uretrite, sífilis;
  2. Fator traumático com microtraumatismos de repetição;
  3. Fator vascular, vasculite no contexto de arterioesclerose,
  4. Fator farmacológico como betabloqueantes e barbitúricos;
  5. Fator endocrinológico com defeito metabólico suprarenal,
  6. Fator enzimático por defeito da monoaminooxidase (MAO).

A doença de Peyronie aparece com mais frequência entre a 4ª e 6ª década de vida, e os motivos que trazem a pessoa à consulta podem ser o encurtamento do pênis durante a ereção, dor durante a ereção, dificuldade de penetração e dificuldades na ereção em diferentes graus de intensidade.

Este síndrome caracteriza-se por uma curvatura do pênis que à medida em que se agrava dificulta a penetração podendo até causar dor ao par, sendo mais difícil numas posições do que noutras.

Para um diagnóstico adequado deve agendar consulta para que seja possível identificar corretamente a situação.

Esta doença tem tratamento, sendo maior a probabilidade de sucesso, quanto mais cedo for diagnosticada e iniciar o seu tratamento que pode ser farmacológico e/ou cirúrgico.