Perigos Tóxicos em Casa

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

É frequente que nas nossas casas tenhamos muitos produtos tóxicos, muitos deles que à partida podemos nem saber que o são.

Contudo, é natural que a maioria das embalagens com produtos que apresentem algum nível de toxicidade tenham avisos claros sobre essa situação.

O perigo aumenta ainda mais quando colocamos produtos tóxicos em embalagens que seriam tipicamente de outros produtos, pelo que esta prática deverá ser evitada ao máximo.

Embora os perigos afectem todos os residentes da nossa casa, deveremos ter uma atenção ainda mais especial quando temos crianças pequenas, já que podem inadvertidamente ingerir produtos tóxicos e com consequências potencialmente graves.

É importante que tenhamos a noção que muitos destes produtos poderão mesmo colocar a nossa vida em risco, e por isso devemos precaver-nos, saber os produtos tóxicos que temos em casa e onde, e saber como poderemos agir em casos de intoxicação e envenenamento.

Existem desde logo duas formas caseiras para situações potenciais de emergência: o carvão activado ou o xarope preparado à base de Ipeca.

Vejamos então as substâncias que poderemos ter em casa e que exigem uma desintoxicação e podem ser perigosas:

  • Perfumes;
  • Tintas para a marcação de roupas;
  • Tintas para a marcação de objectos;
  • Bebidas alcoólicas (em crianças poderão causar graves problemas);
  • Água de colónia;
  • Amaciadores da roupa;
  • After shaves;
  • Insecticidas;
  • Spray para o cabelo ou lacas;
  • Cera ou gel para o cabelo;
  • Álcool etílico;
  • Desodorizantes;
  • Naftalina;
  • Produtos contraceptivos;
  • Anilina;
  • Querosene;
  • Tintas para o cabelo;
  • Tintas para tecidos;
  • Tónicos capilares;
  • Palitos de fósforo;
  • Óleos diversos (bronzeadores, por exemplo);
  • Álcool metílico;
  • Água boricada.

Qualquer uma destas substâncias poderá ser venenosa e provocar consequentemente envenenamento, quando ingerida a partir de uma determinada quantidade.

Devemos sempre procurar desde logo a ida ao hospital referindo qual a substância ingerida, ou procurar desde logo uma linha de apoio telefónica. Esta segunda opção poderá ser preferível em situações nas quais a acção rápida é fulcral, dado que nos poderão indicar desde logo como agir, para que possamos ser rápidos e eficazes.