Petiscar: será perigoso?

Petiscar: será perigoso?

Os cientistas não estabeleceram nenhuma ligação entre o hábito de petiscar e a obesidade, talvez porque, muito simplesmente, quem petisca reajusta o número de calorias com as consumidas durante as refeições, de maneira a que o total calórico diário esteja de acordo com as suas necessidades.
Quanto às cáries dentárias, quando se têm bons hábitos de higiene oral os estudos demonstram que, regra geral, os petiscos, e mesmo duas ou três bebidas açucaradas fora das refeições, não terão quaisquer efeitos nefastos.
Os peritos descobriram igualmente que, para certas pessoas, o hábito de petiscar representa uma parte importante do contributo nutritivo essencial em cada dia. Por exemplo, um estudo realizado em Edimburgo, com um grupo de crianças de 7-8 anos, revelou que o hábito de petiscar representava, para este grupo, cerca de um quarto da energia necessária por dia, representando também um contributo importante para as suas necessidades de proteínas, glúcidos, gorduras e fibras. Pôde também observar-se que 15% das necessidades de cálcio e um quinto das necessidades de vitamina C eram provenientes dos “petiscos” consumidos entre refeições.
Para muitas pessoas, “petiscar” é um meio prático e agradável de completar as suas necessidades alimentares. Agora sabe-se também que, de acordo com um estilo de vida são e activo, podemos encontrar benefícios neste hábito.