Pneumonia: Causas, Tipos, Sintomas e Tratamentos

O nome “pneumonia” refere-se a uma inflamação aguda e infecciosa do parênquima pulmonar que afeta os espaços alveolares e o interstício (espaço entre os alvéolos) dos pulmões. Na doença, estes espaços podem ser preenchidos com líquido ou pus, originando tosse com muco, secreções purulentas, febre, e falta de ar.

Quando os alvéolos de um ou mais lóbulos pulmonares são afetados pela inflamação, é referida como pneumonia lobular. Quando a inflamação está localizada em múltiplos lóbulos ao mesmo tempo, o paciente apresenta broncopneumonia. Além disso é considerada unilateral (quando afeta apenas um pulmão) ou bilateral (quando ambos os pulmões contraíram a doença).

Trata-se portanto de uma doença respiratória muito grave que pode ser causada por vários microrganismos e ocorre em todas as idades. Geralmente é resultado de uma infecção, no entanto também pode ser causada por danos químicos do fluido inalado ou de algum gás tóxico.

A inflamação pulmonar pode ser causada por vários tipos de micro-organismos, incluindo bactérias, vírus e fungos. Também pode ser uma complicação provocada um processo inflamatório do trato respiratório superior ou uma doença fatal.

Pneumonia, Causas, Tipos, Sintomas E Tratamentos

Tipos

Viral

Os vírus representam cerca de um terço dos casos em adultos e 15% em crianças. Os agentes virais mais comuns incluem: rinovírus, coronavírus, vírus influenza, vírus sincicial respiratório (VSR), adenovírus e vírus parainfluenza.

O vírus Herpes simplex raramente origina pneumonia, exceto em grupos específicos como recém-nascidos, pacientes com câncer, pessoas que receberam um transplante de órgãos e indivíduos com queimaduras significativas.

As pessoas com infecções virais podem ser infectadas secundariamente com Streptococcus pneumoniae, Staphylococcus aureus ou Haemophilus influenzae, especialmente na presença de outros problemas de saúde.

Cada vírus é mais prevalente em determinada época do ano. Mais de metade de todos os casos de pneumonia virais ocorrem durante a temporada das gripes.

O vírus pode chegar aos pulmões por diferentes caminhos. A infecção pelo vírus sincicial respiratório (VSR) geralmente ocorre ao tocar os olhos ou o nariz após contato com objetos contaminados.

A infecção por outros vírus muitas vezes ocorre pelo contato com gotículas virais através do nariz ou boca. A entrada do vírus nos pulmões pode levar a diferentes graus de morte celular.

Bacteriana

As bactérias são a causa mais comum de pneumonia, com a espécie Streptococcus pneumoniae presente em quase 50% dos casos. Outras bactérias incluem: Haemophilus influenzae (20% dos casos), Chlamydophila pneumoniae (13%) e Mycoplasma pneumoniae (3%); Staphylococcus aureus, Moraxella catarrhalis, Legionella pneumophila e bacilos Gram-negativos.

A disseminação da bactéria é facilitada na presença de fatores de risco. O alcoolismo está associado à Streptococcus pneumoniae, organismos anaeróbios e Mycobacterium tuberculosis; o fumo causa infecção por Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae, Moraxella catarrhalis e Legionella pneumophila.

A maioria das bactérias chega aos pulmões por inalação (da garganta ou do nariz).

Por químicos

A pneumonia química é um tipo raro que, ao contrário da inflamação dos pulmões causada por uma bactéria ou vírus, é desencadeada pela inalação de venenos ou toxinas. As substâncias que podem causar irritação são várias, e apresentam sintomas diferentes dependendo da gravidade da condição.

Algumas manifestações a estar atento incluem tosse seca; tosse úmida com muco (verde, amarelo claro, com sangue); formigamento na região do rosto ou garganta, náuseas, dificuldade ou dor ao respiração, dor abdominal, dor de cabeça e Fadiga.

As manifestações variam sempre dependendo do produto químico ao qual o organismo foi exposto.

Por Fungos

A pneumonia causada por fungos não é muito comum, e ocorre maioritariamente em pessoas com o sistema imunológico debilitado devido à AIDS, uso de drogas imunossupressoras ou outros problemas de saúde. As espécies fúngicas mais comuns são a Histoplasma capsulatum, Blastomyces, Cryptococcus neoformans, Pneumocystis jiroveci e Coccidioides immitis.

Causas

A inflamação dos pulmões pode ter várias origens. As mais comuns são bactérias e vírus, presentes no ar que inspiramos, ou fungos que podem ser encontrados no solo ou nas fezes de aves, por exemplo.

A pneumonia é geralmente classificada de acordo com o tipo de micro-organismo causador e como é adquirida.

Contágio entre população

Pode adquirir-se pneumonia através do contágio entre a população, realizando qualquer atividade diária (na escola, trabalho ou faculdade). A causa mais comum é a bactéria Streptococcus pneumoniae e a segunda o Mycoplasma pneumoniae, caracterizadas por sintomas como o resfriado comum.

Adquirida em ambiente hospitalar

A permanência hospitalar oferece um maior risco de pneumonia. Independentemente do hospital ser um “local que siga todas as normas de higiene”, as bactérias presentes são muitas vezes impossíveis de erradicar completamente.

Ocorre geralmente 48 horas após a internação hospitalar. É mais comum em pessoas com mais de 70 anos e é maioritariamente causada por bactérias como a Escherichia, Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella sporogenes e Staphylococcus aureus / MRSA.

Pneumonia por aspiração

A pneumonia por aspiração é muitas vezes causada pela inalação de substâncias estranhas, como conteúdo gástrico após o vômito, por exemplo. Beber muito álcool também pode aumentar o risco, já que, quando o indivíduo perde a consciência e vomita pode aspirar esse fluido para os pulmões. A doença de Parkinson é também uma das doenças que podem causar pneumonia por aspiração.

Devido a baixa imunidade

Quando uma doença como a AIDS ou algum tipo de tumor ou câncer enfraquece o sistema imunológico do indivíduo, os micro-organismos que não são prejudiciais a pessoas saudáveis ​​podem ser uma ameaça potencialmente fatal para essas pessoas. No entanto, essa baixa imunidade também pode ser provocada pelo uso de alguns medicamentos.

O tratamento com corticosteroides ou quimioterapia por exemplo, que enfraquece o sistema imunológico, é em grande parte prejudicial. No entanto, isso não significa que estas terapias não funcionem como deveriam, na verdade elas salvam vidas!

A inflamação dos pulmões também pode ser provocada por um vírus como a Influenza (H5N1), Síndrome respiratória aguda grave (2 infecções também perigosas em pessoas saudáveis), ou por condições como a tuberculose.

Sintomas de pneumonia

Os sintomas de pneumonia são semelhantes aos presentes em outras infecções, podendo variar de leves a graves, dependendo de fatores como o micro-organismo causador, idade e a saúde geral do paciente.

O paciente pode ter sintomas de febre, falta de apetite, sudorese, tremores, dores musculares e articulares e dor de cabeça. Nas infecções pneumocócicas ou estafilocócicas, a doença pode agravar em questão de horas – enquanto a pneumonia induzida por micoplasma pode prolongar-se por várias semanas.

As pneumonias atípicas têm um curso mais lento. O quadro clínico geralmente é mais brando que o bacteriano, no qual os sintomas se desenvolvem gradualmente. Febre alta e calafrios são comuns em jovens com pneumonia pneumocócica, um terço dos quais desenvolve herpes nos lábios.

A tosse ocorre em todos os pacientes, e outro dos sintomas é a falta de ar. Por vezes o paciente também manifesta dor nos pulmões ao inalar o ar.

Os sinais e sintomas mais comuns incluem:

  • Febre, suando e tremendo.
  • Temperatura inferior à temperatura normal do corpo (em pessoas com mais de 65 anos e pessoas com problemas de saúde em geral ou com o sistema imunológico enfraquecido).
  • Tosse, que pode produzir muco espesso e pegajoso.
  • Dor no peito ao respirar ou tossir.
  • Falta de ar.
  • Fadiga e dores musculares.
  • Náusea e vômito ou diarreia.
  • Dor de cabeça.

As pessoas de idade avançada podem ter mudanças súbitas de consciência.

Inflamação dos pulmões em crianças

Muitas vezes é causada por uma infecção que ocorre primeiro no sistema respiratório superior. Geralmente inicia com um resfriado que dura de dois a três dias. Cerca de uma em cada 300 crianças contrai pneumonia por ano.

É importante consultar o médico caso a criança tenha febres muitos altas e comece a hiperventilar (respirar muito rapidamente). O processo inflamatório é bem mais perigoso em crianças do que em outras faixas etárias e o tipo de terapia aplicado depende da causa. Os antibióticos são eficazes em bactérias, mas não em vírus. Em bebês e crianças, os principais sintomas incluem:

  • Vômito;
  • Temperatura elevada;
  • Tosse;
  • Bebê inquieto, cansado ou sem energia;
  • Falta de ar;
  • Alimentação difícil.

Quando consultar o médico?

É importante consultar o médico na presença dos seguintes sintomas:

  • Dificuldades respiratórias;
  • Dor no peito;
  • Temperatura persistente acima de 39 ° C ou mais;
  • Tosse que não passa,
  • Tosse com pus.

É especialmente importante procurar atendimento médico nos seguintes casos:

  • Quando o paciente é uma criança com menos de dois anos de idade;
  • Quando o indivíduo tem mais de 65 anos;
  • Tem outros problemas de saúde ou um sistema imunológico debilitado;
  • Se foi submetido a quimioterapia ou está tomando medicamentos que suprimem o sistema imunológico.

Em alguns pacientes, principalmente idosos e pessoas com insuficiência cardíaca ou doença pulmonar, a pneumonia pode rapidamente por em risco a vida. Uma das razões pelas quais a pneumonia muitas vezes leva à morte é por geralmente ser o resultado de outra doença grave. O tipo mais perigoso é aquele causado por vírus.

Tratamento

O tratamento da pneumonia envolve tratar a infecção e prevenir qualquer complicação. Como pode piorar em poucas horas, é recomendado tratamento hospitalar.

Casos leves muitas vezes podem ser tratados em casa com medicação. Embora os sintomas possam ser aliviados em poucos dias ou semanas, a fadiga pode durar um mês ou mais. O tratamento específico depende do tipo, gravidade, sintomas, idade, presença ou não de doenças crônicas e saúde geral do paciente.

Algumas opções de tratamento incluem:

Antibióticos – São usados ​​para tratar a pneumonia bacteriana. O processo de “identificar o tipo de bactéria e escolher o melhor antibiótico” por vezes é demorado. Os sintomas geralmente melhoram dentro de três dias. Geralmente dura o dobro do tempo para os fumantes. Se os sintomas não melhorarem, o médico pode recomendar outro antibiótico mais eficaz. O tratamento antibiótico também ajuda a reduzir a hipótese de recorrência.

Medicamentos antivirais – São usados no tratamento da pneumonia viral. Pode ser esperada uma melhoria geral dos sintomas no prazo de uma a três semanas.

Antifúngicos – São usados ​​para tratar a pneumonia causada por fungos.

Aspirina, ibuprofeno e outros medicamentos – São usados para reduzir a febre.

Remédios para a tosse – São indicados ​​para aliviar a tosse. No entanto, não é uma boa ideia tratar completamente a tosse, pois o ato de tossir ajuda a limpar os pulmões. Apenas devem ser administrados de acordo com as instruções do médico.

Uma pessoa saudável pode curar a condição em 2 a 3 semanas. No entanto, a cura completa pode levar vários meses ou terminar em morte em fumantes que não abandonam o cigarro, e pessoas mais sensíveis por outras razões.

Prevenção

Os pacientes com doenças respiratórias crônicas, idosos e crianças, correm maior risco de contrair a doença. Durante os meses de inverno, quando a exposição a infecções respiratórias é maior, são necessárias precauções. Realizar atividades ao ar livre, ventilar bem o quarto, evitar o contato com pessoas suspeitas de infecção respiratória e manter uma boa higiene das mãos, são algumas medidas de prevenção. Conheça outras medidas preventivas abaixo.

A prevenção visa melhorar a resistência do corpo e prevenir doenças infecciosas agudas. Inclui vacinação, tratamento de doenças existentes e alguns hábitos simples:

Vacinação

A vacinação previne algumas pneumonias bacterianas e virais em crianças e adultos. As vacinas contra a gripe são moderadamente eficazes contra a influenza A e B. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda a vacinação anual da gripe (adequada à idade) a partir dos 6 meses. Por serem um grupo de risco, é especialmente indicada em pessoas com mais de 65 anos e indivíduos com doenças crônicas.

Algumas formas de pneumonia adquiridas em ambiente hospitalar podem ser prevenidas pela vacina pneumocócica conjugada (em pacientes <2 anos), pela vacina contra influenzae B (HIB) em pacientes <2 anos, e pela vacina contra a influenza (em pacientes> 65 anos). As vacinas contra pneumococos, HIB e influenza também estão recomendadas em pacientes de alto risco.

Outros métodos preventivos incluem:

  • Medidas gerais que fortaleçam a imunidade (alimentação saudável, atividade física regular);
  • Parar de fumar: O tabagismo parece ser o maior fator de risco para o desenvolvimento de pneumonia pneumocócica em adultos.
  • Lavar as mãos regularmente e sempre que tossir (evite tapar a boca com a mão sempre que tossir ou espirrar).
  • O contágio também pode ser evitado por pacientes que usam máscara cirúrgica protetora.
  • O tratamento adequado de doenças subjacentes (como HIV / AIDS, diabetes mellitus e desnutrição) pode reduzir o risco da condição.
  • Amamentação: Em crianças menores de 6 meses, a amamentação reduz o risco e a gravidade da doença.
  • Higiene: Em idosos com deficiência física, a higiene bucal adequada pode reduzir o risco de pneumonia por aspiração.

Dúvidas frequentes

Quanto tempo leva para os pulmões curarem depois da pneumonia?

Grande parte dos casos de pneumonia desaparece em uma ou duas semanas, embora a tosse possa durar várias semanas. Em casos graves, a recuperação total pode demorar mais tempo. (fonte)

A inflamação pode desaparecer por conta própria?

A inflamação que ocorre com a pleurisia (inflamação da pleura) pode originar dor durante a respiração e levar ao acúmulo de grandes quantidades de líquido no saco pleural. A pleurisia pode desaparecer por conta própria, mas também pode piorar, levando á necessidade de drenar o líquido pleural presente em redor dos pulmões. (fonte)

Quais são os sinais de perigo?

Os sinais de alerta que merecem atenção médica incluem:

  • Tosse, que pode produzir muco esverdeado, amarelo ou até mesmo com sangue
  • Febre, sudorese e calafrios
  • Falta de ar
  • Respiração rápida e superficial
  • Dor penetrante ou aguda no peito que piora ao respirar profundamente ou tossir
  • Perda de apetite, baixa energia e fadiga
  • Náuseas e vômitos, especialmente em crianças pequenas
  • Confusão, especialmente em pessoas idosas. (fonte)

Um raio X do tórax mostra a inflamação, caso esteja presente?

Sim. Ao permitir que o médico visualize os pulmões, coração e vasos sanguíneos, a radiografia de tórax ajuda a determinar a presença de pneumonia. Ao interpretar o raio-x, o radiologista irá procurar por manchas brancas que sinalizem uma infecção pulmonar. (fonte)

Qual é a complicação mais comum?

As possíveis complicações da pneumonia podem incluir: Bacteremia e choque séptico. A bacteremia é uma complicação grave na qual as bactérias do local inicial da infecção se espalham para o sangue, podendo levar ao choque séptico, uma complicação potencialmente fatal. (fonte)

Pode originar danos permanentes nos pulmões?

Sim. Trata-se de uma infecção grave que pode danificar alguns tecidos pulmonares permanentemente. Ao não deixar que os pulmões expandam completamente enquanto respira, pode afetar a quantidade de oxigênio que entra e a quantidade de dióxido de carbono que sai do corpo, levando a que o indivíduo se sinta cansado facilmente e, por vezes, com falta de ar. (fonte)

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Referências
Autores
Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541)

Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541

A Dra Gizele Ferreira Cunha é Graduada em Medicina pela Universidade de Ribeirão Preto - SP - 2004. Além disso possui:

- Especialização em Alergia e Imunologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2009.

- Especialização em Pneumologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2007.

- Especialização em Pediatria pela Universidade de Ribeirão Preto - 2006 .

Endereço: Avenida Senador César Vergueiro, 571 - Ribeirão Preto - SP - Email: cviver@bol.com.br - Telefone: (16) 33291337

Também pode encontrar a Drª Gizele no Linkedin e Facebook

Última atualização da página em 28/08/19