Porque o Pênis Fica Meio Mole e Não Endurece Direito? Disfunção erétil? Saiba o que fazer!

Imaginemos o sexo como uma via de mão dupla: precisa-se proporcionar prazer para assim recebê-lo em troca.

Entretanto, é impossível alcançar o prazer quando uma das partes está infeliz consigo mesma devido a algum problema físico ou emocional.

Porque O Pênis Fica Meio Mole E Não Endurece Direito

Apesar de corriqueira, a disfunção erétil é o pesadelo de grande parte dos homens. Vista como tabu ainda nos dias de hoje, muitos deixam de procurar ajuda por se sentirem envergonhados. Mas, não se abale! A disfunção erétil não significa o fim da sua vida sexual.

A seguir, você entenderá como esse problema ocorre e acompanhará excelentes dicas para superá-lo:

O que é a disfunção erétil?

A disfunção erétil é a incapacidade de fazer perdurar uma ereção. Em síntese, o pênis perde sua rigidez, o que acaba impossibilitando a penetração e, até mesmo, o sexo oral.

Ainda que os mais afetados sejam os homens na faixa dos 70 anos, estima-se que, pelo menos, 12% dos homens abaixo de 60 anos também sofrem com essa condição.

Desde dificuldades na emissão de sinais nervosos à dilatação das artérias, a disfunção no mecanismo erétil pode ser fruto de problemas tanto físicos como psicológicos.

Causas da disfunção erétil

Por mais que estejam ligadas integralmente à disfunção erétil, poucas são as causas que se relacionam diretamente com o pênis. Além do mais, certos fatores são mais comuns a uma determinada faixa etária do que outros.

Para facilitar o entendimento, dividiremos as causas em dois grupos:

Psicológicas

Estresse: homens que vivem sob estresse constante liberam mais hormônios que o normal na corrente sanguínea. Esses hormônios dificultam a circulação de sangue dentro dos tubos que compõem o pênis.

Ansiedade: a ansiedade é um estado mental e corporal inerente ao ser humano. Porém, quando intensa, pode ser prejudicial. Esse é o caso; homens que sofrem de ansiedade tendem a liberar alto grau de adrenalina na corrente sanguínea, o que faz com que os vasos sanguíneos fiquem mais estreitos e o sangue tenha mais dificuldade de chegar ao pênis.

Depressão: engana-se quem pensa que a depressão é o mal do século; ela atinge a humanidade desde os seus primórdios. A perda de interesse pelo que antes era atraente aliada à tristeza e ao desânimo durante as atividades do dia a dia prejudicam a libido do homem. Consequentemente, a ereção fica comprometida.

Físicas

Problemas vasculares: hipertensão, derrame cerebral, arteriosclerose (endurecimento das veias), colesterol elevado e os demais problemas cardíacos são os grandes inimigos da ereção. Isso porque toda condição que atrapalhe o fluxo de sangue dentro das veias também prejudica a rigidez do pênis.

Problemas neurológicos: esclerose múltipla, lesões na medula espinhal e degeneração dos nervos podem tanto impedir a chegada de impulsos nervosos até o pênis quanto avariar os nervos do próprio pênis.

Diabetes: quem é portador de diabetes – independentemente do tipo – é ‘’presenteado’’ com diversos fatores que podem ser nocivos a outras funções do organismo. Com a ereção, isso não poderia ser diferente: o diabetes compromete o funcionamento dos nervos e vasos sanguíneos que auxiliam na rigidez do pênis.

Hormônios: de longe os hormônios são, sem dúvida, os reguladores mais importantes das nossas funções biológicas. A testosterona é um hormônio masculino e seu desequilíbrio pode ser o estopim para as disfunções sexuais que comprometem a vida do homem.

Medicamentos: antidepressivos, anti-hipertensivos, ansiolíticos, medicamentos contra diabetes – assim como o próprio diabetes – propiciam a disfunção erétil.

Drogas e álcool: um quadro clínico – sendo ele grave ou não – pode dizer muito a respeito do estilo de vida que uma pessoa leva. Nesse caso, homens que fazem uso de bebidas alcoólicas e/ou entorpecentes estão mais propensos a sofrer com a disfunção erétil. Isso ocorre devido ao relaxamento excessivo dos músculos e a alterações no sistema vascular que circunda o pênis.

Cirurgias: cirurgias na próstata e no abdômen – que agregam intestino grosso e reto, por exemplo – aumentam as chances do homem sofrer com a falta de ereção, já que, mais uma vez, os nervos e vasos sanguíneos acabam lesionados nesse processo.

Obesidade: pessoas obesas estão mais propensas a sofrer com problemas cardiovasculares – problemas esses que já foram citados no primeiro item dessa lista – , o que contribui significativamente para o distúrbio.

Sintomas

A disfunção erétil pode se manifestar de diversas maneiras e causar situações constrangedoras no homem que já se encontra com a sua autoestima abalada. Fique por dentro dos sintomas:

O pênis não endurece. Dificuldade em alcançar a ereção

O clima está totalmente favorável ao homem, alvo dos estímulos e carícias mais improváveis vindas de sua (seu) companheira (o). Entretanto, isso não é o suficiente para que ocorra uma ereção — na maioria dos casos.

Ereção fraca

Nesse caso, o pênis consegue chegar a um grau intermediário de ereção, mas não prospera. O que isso quer dizer? Bom, isso significa que o homem, apesar de ter conseguido alcançar uma ereção intermediária, é incapaz de ter sangue suficiente circulando na região para manter o pênis ereto por mais tempo.

Ereção tardia

Como o próprio nome já diz, a ereção tardia demora para acontecer. Apesar de duradoura, custa para o homem alcançá-la.

Ausência de ereções espontâneas

Não é necessário ser – ou ter sido – um aluno nota 10 em biologia para entender que ereções durante o sono e ao despertar são totalmente normais.

Um homem, cuja saúde sexual está em perfeitas condições, consegue ter uma ereção que dura, aproximadamente, 20% do seu tempo total de sono.

Por outro lado, o homem que sofre de disfunção erétil pode apresentar menos tempo de ereção durante o sono. Em alguns casos, essa manifestação é nula.

Troca de parceiros

Esse distúrbio não se limita a relacionamentos monogâmicos. Homens que não têm parceira (o) fixa (o) ou são adeptos de relacionamentos poligâmicos também sabem o que é conviver com disfunção sexual.

A sensação de culpa em não conseguir manter a ereção com alguns parceiros, mas conseguir com outros, põe em cheque o relacionamento, fomentando brigas e inseguranças.

Ejaculação precoce

Você deve estar pensando: como um indivíduo pode ter ejaculação precoce em uma relação, se ele apresenta dificuldade em manter o pênis duro? Uma ejaculação precoce ocorre pouco tempo após uma ereção (que custou a acontecer) ou até mesmo em uma ereção parcial.

Broxei, e agora? Fracassei como homem?

Disfunção Erétil E Depressão

Calma! “Broxar” é algo que pode acontecer a qualquer momento na vida de um homem. Engana-se quem acredita que um homem se tornará menos homem por causa disso.

Desde muito cedo, a sociedade cobra do homem uma postura que denote extrema virilidade. Para a maioria, iniciar a vida sexual precocemente é sinônimo de orgulho. Porém, isso não denota experiência e, muito menos, masculinidade.

Vivendo sob a perspectiva de uma ideia errônea — alimentada principalmente pela indústria de filmes pornográficos — o homem está mais propenso a ter interferências em sua atividade sexual.

Mas fique atento à frequência com que isso acontece. “Broxar” uma vez ou outra é normal. Entretanto, se isso ocorre 1 vez a cada 4 relações sexuais é um indício de que algo precisa ser feito.

Diagnóstico e O que fazer quando o pênis não endurece

Tratamento Para Pênis Fica Mole Que Não Endurece

Existem tratamentos eficientes para a disfunção erétil. Ainda que o diagnóstico seja feito pelo próprio indivíduo, é fundamental que se consulte um especialista na área (urologista) para descobrir a raiz do problema.

Primeiramente, é realizada uma avaliação física e psicológica, na qual o paciente conversará com o médico e responderá alguns questionários. É imprescindível ter um panorama do estilo de vida do indivíduo.

A partir de um conhecimento, mesmo que superficial, sobre a saúde e o desempenho sexual do paciente, o médico pedirá exames complementares – exames de sangue, de urina e ecodoppler peniano — para analisar o quadro clínico com mais precisão e indicar o tratamento mais eficaz.

Quer descobrir os possíveis métodos para driblar a disfunção erétil? Continue lendo:

Abandono dos maus hábitos

Parar de beber, fumar e usar drogas não é uma tarefa fácil. Mas lembre-se: esses hábitos não agregam nada à nossa vida. Portanto, se você sofre de disfunção erétil e faz uso dessas substâncias, o primeiro passo é largá-las.

Prática de exercícios

Deixe o sedentarismo de lado! A prática de exercícios – sob orientação médica – é benéfica como um todo.

Terapia

Cuidar da saúde mental é essencial. Um corpo doente pode ser o reflexo de uma mente perturbada. Não tenha vergonha de procurar acompanhamento psicológico. Em muitos casos, as consultas com psicólogos podem ser aliadas aos tratamentos feitos por psiquiatras.

Medicamentos por via oral

Não é preciso nem dizer: evite a automedicação. No entanto, é interessante saber quais tipos de medicamentos a pessoa que apresenta esse problema deve tomar.

Os vasodilatadores, que inibem a fosfodiesterase 5, otimizam a ação do óxido nítrico no corpo. Os músculos ficam mais relaxados e os vasos sanguíneos se dilatam para que o sangue possa passar com maior fluidez.

Injeção peniana

Geralmente, essa injeção é utilizada por homens que já fizeram uso de medicamentos orais, mas não obtiveram sucesso. A aplicação – na base do pênis – pode ser feita pelo próprio paciente. A injeção promete estimular a ereção e mantê-la ao longo da relação.

Bomba peniana

Normalmente encontrada em sex shops, a bomba de vácuo peniana proporciona uma ereção momentânea ao homem.

A pressão negativa que a bomba exerce sobre o membro faz com que os corpos cavernosos dele sejam preenchidos de sangue, o que mantém a ereção.

Terapia intra-uretral

Esse método consiste em inserir a cápsula do medicamento indicado na uretra. O medicamento garante a eficiência em manter a ereção, já que aumenta o fluxo sanguíneo no corpo.

Prótese peniana

Alternativa de último caso, quando os demais tratamentos não apresentaram resultados significativos. Por ser irreversível, a inserção da prótese peniana exige cuidados. Dependendo do quadro clínico do paciente e de sua condição financeira, pode-se escolher entre próteses maleáveis, articuláveis e infláveis.

Alimentação

Para garantir uma boa vida sexual, é importante ficar atento à alimentação. Existem alguns alimentos que propiciam a vascularização e a liberação de testosterona. Alguns deles são:

  • Ostras;
  • Chocolate amargo;
  • Nozes;
  • Café;
  • Pimentas (caiena, habanero, jalapão e chili);
  • Azeite de oliva;
  • Aspargo;
  • Banana;
  • Linhaça;
  • Noz-moscada.

Agora que você já está por dentro das possíveis causas e tratamentos para a disfunção erétil, não hesite em consultar um profissional.

Além de colocar em risco o seu relacionamento afetivo, ela pode ser sinal de problemas mais sérios. Portanto, sem tabus! Vença o orgulho e o machismo e procure por ajuda.

Descubra 18 Remédios Naturais para Quando o pênis não endurece