-->Pressão vaginal durante a gravidez: Causas e como aliviar - Educar Saúde

É normal sentir pressão vaginal durante a gravidez?

Publicado em 23/07/2018. Revisado por Dr Wesley Timana (Ginecologista e Obstetra - CRM-PR -30998) a 6 dezembro 2018

Durante a gravidez, muitas mulheres sentem pressão ou peso em redor da vagina. Trata-se de um evento normal que pode ocorrer no primeiro, segundo ou terceiro trimestre.

O útero da mulher grávida expande do tamanho de uma laranja para o tamanho de uma melancia ou maior. O corpo da gestante não precisa apenas fornecer espaço e nutrientes ao feto, como também terá que produzir um órgão inteiramente novo na forma de uma placenta.

Com tantas mudanças a acontecer, não é de surpreender que muitas mulheres notem mudanças súbitas e incomuns na forma como sentem o corpo.

A pressão na vagina, na região pélvica ou no abdômen inferior, é uma situação comum nos três trimestres da gravidez.

Continue a ler o artigo saber mais sobre as causas e os sintomas da pressão vaginal durante cada estágio da gravidez, bem como as opções de tratamento e possíveis complicações.

Causas da pressão vaginal e pélvica durante a gravidez

A Mulher Gravida Sentou Se Na Cama E Experimenta Dor E Pressão Vaginal

A sensação de pressão na vagina é uma experiência extremamente comum na gravidez.

Algumas mulheres podem sentir uma pressão intensa na vagina, outras terão uma dor incômoda em toda a pélvis, ou sentirão como se um peso estivesse caindo sobre toda a parte inferior do corpo.

No final da gravidez, essa pressão ocorre geralmente devido ao peso do bebê pressionando o assoalho pélvico, mas muitos outros fatores podem causar pressão pélvica durante a gestação.

Abaixo, discutimos as diferentes causas da pressão vaginal de acordo com o trimestre em que a mulher está:

Primeiro trimestre

Na maioria das mulheres, o primeiro trimestre é muito cedo para originar ganhos de peso que causem pressão vaginal.

Em vez disso, o hormônio relaxina é normalmente o responsável.

Trata-se de um hormônio que ajuda a relaxar os músculos, facilitando a passagem do bebê pela área pélvica durante o parto.

No entanto, os níveis de relaxina são mais altos no início da gravidez. Níveis elevados deste hormônio podem ajudar o óvulo fertilizado a implantar-se no revestimento do útero.

Em algumas mulheres, a relaxina pode causar dores musculares ou tensão, incluindo na ou em redor da vagina.

De acordo com estudos realizados em modelos animais, a relaxina também pode enfraquecer os ligamentos que sustentam a pélvis.

Isso pode levar a uma sensação de pressão, como se algo estivesse empurrando a vagina para baixo.

Segundo e terceiro trimestres

No segundo e terceiro trimestres, a combinação de um assoalho pélvico enfraquecido e o aumento do peso colocando pressão sobre a pelve pode causar pressão na vagina.

O assoalho pélvico é um músculo que suporta os órgãos da pélvis, incluindo o útero, a vagina, a uretra e a bexiga.

A gravidez pode enfraquecer o assoalho pélvico.

As mulheres que deram à luz anteriormente podem ter danos no assoalho pélvico, o que pode enfraquecer ainda mais esse músculo numa gravidez subsequente.

O peso extra provocado pela gravidez torna-se muitas vezes mais perceptível no segundo trimestre.

Conforme a gravidez progride, o útero coloca cada vez mais pressão na parte inferior do corpo.

À medida que o assoalho pélvico enfraquece, essa pressão pode causar uma sensação de plenitude na vagina ou dor generalizada e pressão nos quadris e pelve.

Em algumas mulheres nos últimos estágios da gravidez, a pressão na pelve pode ser um sinal precoce de trabalho de parto.

Se também ocorrer cãibra no estômago ou uma sensação de pressão no útero, pode significar que a mulher está prestes a dar à luz.

Problemas comuns em todos os trimestres

Mulher Gravida Preocupada Sentada No Sofá

Alguns fatores podem causar sensação de pressão vaginal ou pélvica em todos os estágios da gravidez. Esses incluem:

Prisão de ventre

Muitas mulheres lutam contra a prisão de ventre durante a gravidez. A prisão de ventre pode causar a sensação de plenitude ou pressão na vagina, especialmente quando as fezes são duras ou vários dias se passaram desde a última evacuação.

Beber muita água e comer frutas e outros alimentos ricos em fibras pode ajudar a aliviar a constipação intestinal.

Infecções da bexiga

Em algumas mulheres, a pressão ou a dor podem significar uma infecção da bexiga. As mulheres são mais propensas a desenvolver infecções da bexiga durante a gravidez.

Se a pressão vaginal ou pélvica ocorrer juntamente com a dificuldade de ir ao banheiro, dor ao urinar ou febre, é essencial consultar o médico.

As infecções da bexiga são fáceis de tratar, mas, sem tratamento, podem piorar e aumentar o risco de problemas de saúde durante a gestação.

Prolapso de órgãos pélvicos

Quando a pressão vaginal é intensa, pode ser um sinal de prolapso de órgãos pélvicos.

O evento ocorre quando os órgãos na ou perto da pelve se movem para baixo, às vezes na vagina ou no reto.

O prolapso dos órgãos pélvicos é tratável, mas pode causar incontinência, dor intensa e complicações graves.

As mulheres que de repente sentem uma pressão intensa, têm dificuldade em controlar o intestino ou a bexiga ou percebem que algo parece estar empurrando a vagina para dentro, devem consultar o médico.

Colo do útero fraco

Algumas mulheres têm um colo do útero fraco, por vezes chamado de incompetência cervical ou insuficiência cervical.

Algumas gestantes com a condição podem ter um aborto espontâneo ou entrar em trabalho de parto prematuro porque o colo do útero não é forte o suficiente para suportar o útero.

Na maioria dos casos, um colo do útero fraco é tratável com intervenção precoce.

As mulheres que sentem uma pressão vaginal inexplicável, especialmente no início da gravidez, podem pedir ao médico que verifique o colo do útero.

Um procedimento cervical prévio ou lesão, incluindo os resultantes do parto, pode também aumentar o risco de um colo do útero fraco.

Como aliviar a dor vaginal e a pressão

Como a pressão na vagina ocorre muitas vezes devido a músculos fracos e pressão na pélvis, alguns alongamentos suaves podem ajudar. Tente alongar as costas e os quadris para aliviar a dor e a pressão.

Posições de ioga para a gravidez ou aulas de alongamento suaves podem ser úteis para encontrar alongamentos confortáveis ​​e seguros.

Usar um rolo de espuma por exemplo, pode ajudar a soltar os músculos tensos.

Se a dor for intensa, a aplicação de uma almofada de aquecimento na área dolorida pode ajudar. Remova a almofada após um máximo de 10 minutos.

Existem outras estratégias que podem não oferecer alívio imediato, mas podem reduzir o risco de algumas condições que causam pressão na vagina.

Algumas dessas estratégias incluem:

Fazer exercícios de Kegel para fortalecer o assoalho pélvico.

Aperte os músculos do assoalho pélvico como se tentasse evitar urinar, aguente por 10 segundos e solte.

Repita 10 vezes pelo menos duas vezes por dia. Este exercício também ajuda a fortalecer os músculos que o corpo usa para empurrar o bebê.

Permaneça ativa durante a gravidez.

Até mesmo exercícios de baixa intensidade, como caminhar, podem ajudar a fortalecer os músculos e promover uma boa postura – o que pode aliviar a dor e a pressão e manter os músculos pélvicos fortes.

Beba muita água.

Mantenha-se hidratada, especialmente após o exercício e em climas quentes. Isso pode ajudar a prevenir a prisão de ventre, que poderia levar a pressão.

Complicações

Mulher Gravida Sendo Examinada Pela Ginecologista

Na maioria dos casos, a pressão vaginal é apenas um efeito colateral desagradável da gravidez resultante do enfraquecimento dos músculos pélvicos e do ganho de peso.

No entanto, por vezes existem algumas causas mais graves que precisam ser tratadas para não prejudicar a mulher e o bebê.

Uma infecção não tratada, por exemplo, pode se espalhar por todo o corpo e colocar o bebê em perigo. Pode até causar um parto prematuro.

Os músculos pélvicos muito fracos podem levar ao prolapso dos órgãos pélvicos. Esta condição dolorosa pode causar incontinência, dor durante o sexo e mudanças na aparência dos genitais.

Algumas mulheres sofrem lesões musculares durante a gravidez ou quando dão à luz. O hormônio relaxina pode aumentar o risco de lesões musculares.

Por isso, é importante permanecer fisicamente ativa para manter os músculos fortes.

Levante-se sempre com as pernas, em vez das costas, e procure o médico sempre que sentir dores musculares inexplicáveis.

Qualquer lesão sofrida pela mulher durante a gravidez pode dificultar o parto.

Algumas complicações relacionadas à gravidez podem também tornar o período pós-parto mais difícil, atrasando a recuperação e potencialmente prejudicando a saúde mental.

Quando consultar o médico

As mulheres devem consultar o médico ou ginecologista rotineiramente durante a gravidez. É vital usar essas visitas para discutir todos os sintomas, mesmo que pareçam pequenos.

Conclusão

A pressão vaginal durante a gravidez é apenas um dos muitos sintomas que as mulheres podem sentir durante a gravidez.

Normalmente não deve ser motivo de preocupação e pode ser um bom sinal de que o corpo está liberando os hormônios certos, e o útero está crescendo como esperado.

Um pouco de cautela na gravidez pode ajudar a detectar problemas antes que eles se tornem emergências.

Nunca hesite em consultar o médico, mesmo que o problema pareça insignificante.

É improvável que exista um problema grave, mas a tranquilidade pode facilitar a gravidez.

Se algo estiver errado, é melhor detetar o problema o mais cedo possível.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Dr Wesley Timana (Ginecologista e Obstetra - CRM-PR -30998)

Ginecologista e Obstetra - CRM-PR -30998

O Dr. Wesley Jose Timana Yovera é um médico jovem e carismático formado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná com especialização em ginecologia e obstetrícia pela Santa Casa de Misericórdia de Curitiba.

Consultar Currículo Lattes

Registro de Qualificação de Especialista (RQE nº 20428).

Desenvolveu já no início da sua carreira o Espaço Timana - uma clínica voltada ao atendimento de excelência. Sempre multiconectado e influente no Facebook e Instagram, possui mais de 3 milhões de visualizações no YouTube, com vídeos que trazem ao público informação de qualidade dentro do universo feminino.

Selecionado por diversos projetos como médico do futuro sempre assiste as mulheres com respeito, carinho e atenção. É adepto da Slow Medicine (Medicina Sem Pressa) - uma forma humanizada de fazer medicina que aproxima pacientes e profissionais da saúde.

Com registro no Conselho Regional de Medicina do Paraná n° 30.998, atende atualmente em consultório particular, Av. Visconde de Guarapuava, 2764 - Centro - Curitiba - Tel. (41) 3503-9333 / 9.9995-5117.

O Dr. Wesley também pode ser encontrado no Linkedin, Facebook, Intagram e YouTube como Dr. Wesley Timana.