Prótese Inflável – Implante Mamário Ajustável

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

A prótese inflável consiste num novo tipo de implante de silicone que apresenta a capacidade de aumentar ou diminuir o volume da mama, consoante as preferências pessoais da paciente. E o melhor de tudo é que isto poderá ser feito, não apenas durante, mas também após a cirurgia estar concluída, caso a paciente se revele insatisfeita com as proporções obtidas através dos implantes.

À medida que o corpo muda, é necessário que os seios, como parte dele, também sofram as devidas alterações, de modo a apresentarem um aspecto visual devidamente proporcional à restante constituição corporal, e é neste âmbito que a prótese inflável poderá ser de grande ajuda.

Segundo dados estatísticos, cerca de 10% dos pacientes que se submetem aos Implantes de Mama para realizarem uma mamoplastia de aumento, mamoplastia de redução, reconstrução mamária ou uma mastopexia, revelam-se insatisfeitos com os resultados obtidos. Essa insatisfação, quase sempre, está relacionada com o tamanho e formato do implante, que nem sempre satisfazem na totalidade as expectativas da paciente. Antigamente, esse seria um problema de difícil resolução. No entanto, com a introdução da prótese inflável no mercado, é agora possível rectificar a situação de uma forma extremamente fácil, rápida e indolor.

Voltar à mesa de operação para corrigir imperfeições ou refazer todo o trabalho é algo que comporta consigo imensos riscos, quer para a vida do paciente, quer para a qualidade dos resultados obtidos, Com a finalidade de acabar com todos esses riscos, surge a prótese ajustável, que permitirá à paciente, no consultório do seu médico, e sem qualquer necessidade de internamento, reajustar totalmente a seu gosto os implantes de silicone.

E o melhor de tudo é que, com esta nova técnica, vem também a possibilidade de se usufruir de um período de experimentação que permitirá à paciente testar os implantes durante o espaço de 1 ano. Caso não esteja totalmente satisfeita com os mesmos, terá direito a um reajustamento feito totalmente em conformidade com as suas preferências.

Implante mamário ajustável antes e depois

Esta nova prótese foi desenvolvida pelo cirurgião Hilton Becker, especialista em reconstrução mamária, e foi construída a partir das próteses expansoras utilizadas em Mulheres que passaram por algum tipo de mastectomia. Esta nova prótese destaca-se, primordialmente, pela sua capacidade única de combinar a solução salina com o gel de silicone, sendo que o gel contribui para preservar a consistência tradicional do implante, e a salina oferece a possibilidade de alterar em até 30% o volume originar da prótese sem originar qualquer tipo de deformação na mesma.

A solução salina é injectada através de uma cânula no interior da prótese, até que se obtenha a simetria e o volume desejados pela paciente. O período durante o qual será possível o médico proceder às devidas alterações irá variar consoante o método de remoção da cânula. Geralmente, a paciente terá à sua disposição 3 alternativas de alteração do formato das próteses após a cirurgia:

1- A assimetrias são corrigidas pelo médico ainda no centro cirúrgico, através da remoção das cânulas, o que viabilizará a efectuação de alterações após a operação.

2- A paciente permanece com as pontas das cânulas para fora dos seios, como se fossem drenos, durante um período de até duas semanas. Isto permitirá ao médico injectar ou remover liquido das próteses caso seja necessário.

3- Para que correcções sejam efectuadas ao longo de um prazo maior, as cânulas ficarão escondidas sob a pele, o que permitirá que, através de uma válvula de silicone colocada extremidade de cada cânula, seja possível efectuar a troca de líquidos com uma seringa.

É importante referir ainda que, nestes dois últimos procedimentos, as alterações serão efectuadas sob o efeito de anestesia local, o que anulará qualquer tipo de sensação desconfortável para a paciente. Esta técnica tem apresentado uma elevadíssima taxa de sucesso, e por isso os riscos de vazamentos são praticamente nulos, o que faz deste o método mais viável actualmente existente de colocação de implantes mamários.

A nível de riscos para a saúde e fatalidades, esta nova técnica tem apresentado taxas de insucesso muito inferiores às dos implantes convencionais, eliminando assim, quase na totalidade, os perigos de ocorrência de complicações de maior gravidade.