-->PROTESES ROFIL E PIP – TROCA, SUS E ANVISA - Educar Saúde

PROTESES ROFIL E PIP – TROCA, SUS E ANVISA

Publicado em 12/04/2013. Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Os implantes de silicone representam, hoje em dia, em conjunto com a lipoaspiração, a cirurgia estética mais popular, não só no Brasil, como também em todo o mundo. A procura é imensa, e com os grandes avanços médicos que se têm vindo a verificar no decorrer da última década, é agora mais fácil do que nunca ter acesso a resultados seguros e satisfatórios, que permitirão a qualquer Mulher obter os seios com que sempre sonharam. Como resultado da grande procura existente para esta cirurgia, o número de clínicas a oferecê-la tem vindo a crescer de forma impressionante, sendo agora possível encontrar muito mais facilmente locais que se revelem exímios na execução deste tipo de procedimento estético.

Mulheres com prótese de silicone rompida terão cirurgia de graça pelo SUS

Próteses ROFIL e PIP – Troca, SUS e ANVISA

Ainda que a oferta seja vasta, e exista agora uma facilidade maior do que nunca em encontrar estabelecimentos credenciados para a realização de cirurgias de próteses de silicone nos seios (mamoplastia de aumento ou mastopexia), a verdade é que os perigos continuam a ser muitos, uma vez que, da mesma forma que tem havido um grande crescimento em clínicas de confiança, o mesmo tem acontecido com estabelecimentos menos idóneos, que sem as condições necessárias têm vindo a disponibilizar este serviço a todos os tipos de pessoas. Infelizmente, estas clínicas menos idóneas costumam ter sucesso pelo facto de, muitas vezes, oferecerem serviços a preços substancialmente mais baixos do que os da concorrência, acabando assim por aliciar aqueles que, apesar de pretenderem ter acesso a esta cirurgia, não possuem a disponibilidade financeira necessária para recorrem a um estabelecimento de confiança.

No Brasil, um elevado número de pacientes tem vindo a experienciar problemas com cirurgias de implante de silicone. Isto tem acontecido, primordialmente, com próteses oriundas de países como a França, e distribuídas pela empresa EMI importação e Distribuição LTDA. Ao que se conseguiu apurar, estas próteses eram feitas através de materiais potencialmente perigosos para a saúde, uma vez que, caso vazem, darão origem a problemas que poderão até levar à morte. Estas próteses foram amplamente utilizadas entre 2005 e 2010, o que significa que um elevado número de Mulheres poderá vir a correr sérios riscos de saúde por andarem com implantes de má qualidade.

Cada país possui os seus próprios órgãos de regulamentação referentes à utilização de próteses. No Brasil, esse órgão é a ANVISA, entidade responsável por se certificar de que todas as próteses de silicone se encontram em devida conformidade com as regras estipuladas. Ainda assim, algumas das próteses não permitidas pela ANVISA continuam a ser amplamente utilizadas em diversas clínicas, o que tem, principalmente, a ver com o facto de serem mais baratas para as clínicas. Todas as Mulheres que tenham recebido uma prótese não licenciada pela ANVISA deverão procurar um médico para que a sua situação seja cuidadosamente avaliada. Isto poderá ajudar a prevenir a ocorrência de problemas de maior dimensão.

Quando efectuada num estabelecimento adequado, esta cirurgia decorrerá sem grandes riscos para o paciente, quer durante o operatório, quer no pós-operatório. Ainda assim, todo o procedimento costuma ser extremamente trabalhoso, uma vez que o pré-operatório inclui um vasto número de exames destinados à avaliação do estado de saúde do paciente, e o pós-operatório exige que o paciente fique até 2 meses afastado das suas actividades profissionais. Durante o período de recuperação, é altamente recomendado ao paciente não beber nem fumar, na medida que isso poderá dar origem a sérias complicações.

Esta cirurgia poderá incluir diversos riscos, entre eles o aumento da flacidez, hematomas, acumulação do liquido da prótese, necrose, entre outros. Para reduzir os riscos, certifique-se de que está em boas mãos.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Equipe Editorial

A essência da medicina não se restringe apenas ao diagnóstico e prescrição. A verdadeira missão está em informar, acolher, participar, apoiar e confortar as pessoas em suas dores e sofrimentos. Em ser uma referência técnica e humana em momentos de intensa insegurança e medo.

Todos os artigos desenvolvidos pela nossa equipe editorial são revisados por médicos da sua especialidade, esforçando-nos sempre para ser objetivos e apresentar os dois lados do argumento. Pode consultar a nossa equipe de especialistas Aqui

A nossa equipe concentra-se assim em garantir que o conteúdo, os produtos e os serviços fornecidos pela plataforma mantenham os mais elevados padrões de integridade médica, ajudando a garantir que todas as informações que o usuário recebe, sejam precisas, e baseadas em evidências, atuais e confiáveis.

Para além disso, todo o conteúdo é revisado e atualizado continuamente para garantir a sua precisão.

O processo de atualizações é simples.

Sabemos que os padrões de tratamento para algumas condições, como o câncer e a diabetes (por exemplo) mudam e estão em constante evolução, de modo que, existem conteúdos que devem ser revisados com maior frequência, de forma a garantirmos que a informação existente e recém-publicada reflita sempre as informações mais precisas e atuais. Saiba mais sobre nós Aqui

Se encontrou alguma imprecisão ou erro nos nossos conteúdos, informe-nos através da nossa página de Contato.