Protocolo para implantes dentários

Revisado por Drª Raquel Camelo (Dentista - CRO MG nº 45914) a 20 novembro 2018

Recentemente foi criado um novo protocolo que tem como objectivo aumentar o sucesso da cirurgia de implante dentário, através da redução das dores e do tempo de recuperação.

Foto De Implante Dentário Antes E Depois

Estas novas medidas foram introduzidas na sequência de pesquisas conduzidas pela Universidade Federal de São Paulo, que através de uma série de testes conseguiu desenvolver novas técnicas que ajudarão a tornar todo este procedimento muito mais fácil de ser realizado.

Estes novos procedimentos, não só aumentarão as taxas de sucesso destas cirurgias, como também contribuirão para torná-las menos invasivas, o que resultará num processo muito menos desconfortável para o paciente.

Segundo o principal responsável por este estudo, o cirurgião-dentista Giovanni de Almeida prado, a compatibilidade entre o posicionamento dos implantes dentários e a posição ideal das coroas representa um dos principais problemas enfrentados pelos protesistas, o que por vezes proporciona resultados desfavoráveis para o paciente, quer a nível mecânico, quer a nível estético.

Felizmente, com os estudos recentemente conduzidos será agora possível contornar esse problema, conferindo assim um nível de conforto muito superior ao paciente.

Como método de resolução destes problemas, é agora adoptada a obtenção de imagens através de tomografias computorizadas, que são posteriormente utilizadas no planejamento protético da inserção dos implantes, onde o especialista terá a oportunidade de visualizar imagens da futura prótese.

Através da associação entre os dados da tomografia e as tecnologias de projecto assistido por computador é agora possível proceder à realização da simulação da cirurgia em ambiente tridimensional, o que contribuirá para preparar da melhor forma o especialista para o momento da cirurgia.

As imagens do projecto protético e do tecido ósseo são disponibilizadas num único software que processará todos os dados e transferirá o planeamento cirúrgico para o campo operatório por meio de guias cirúrgicas.

Estas guias são feitas com tecnologia de prototipagem rápida, o que faz com que a produção de modelos físicos seja produzida a partir de modelos virtuais.

Dessa forma, as guias permitem que a perfuração seja realizada na melhor posição previamente estudada, evitando assim a necessidade de se efectuar uma cirurgia de retalho das gengivas, que normalmente é utilizada para permitir a visualização do tecido ósseo.

Através desta técnica muito menos invasiva, é possível reduzir drasticamente o tempo total da cirurgia, tornando-a assim num procedimento muito mais rápido, e também menos doloroso após a sua finalização.

Da mesma forma, dada a ausência de retalho na gengiva, o tempo de recuperação será muito menor.

Esta técnica também permite que os implantes e as próteses sejam colocadas no mesmo dia, evitando assim a necessidade de submeter o paciente a diversas sessões.

Para este estudo foram instaladas 12 próteses imediatas definitivas em 12 pacientes, com uma idade média de 60 anos, sendo que a taxa de sucesso para este estudo rondou os 98% para implantes e 91% para as próteses, o que representa percentuais extremamente promissores, que com o tempo poderão ainda vir a ser bastante melhorados.