Rabdomiólise: dano nos músculos esqueléticos, braços e pernas

O que é? A rabdomiólise traduz uma situação de dano nos músculos esqueléticos (músculos dos braços e das pernas), que faz com que uma porção mais ou menos importante das suas células seja destruída.

À medida que as células musculares ficam danificadas, deixam sair para o exterior as substâncias nelas contidas.

A mais importante destas substâncias chama-se mioglobina.

A mioglobina passa para o sangue após uma lesão muscular.

Os rins limpam o sangue, por isso a mioglobina sai com a urina.

Muita mioglobina na urina pode fazer com que os rins deixem de funcionar, entupindo os seus túbulos.

Também pode provocar problemas no sangue e nos pulmões.

Causas da rabdomiólise

Existem muitas razões pelas quais se pode registar rabdomiólise.

Na maioria dos casos trata-se de uma Rabdomiólise discreta, traduzida por ligeiro a moderado aumento da mioglobina, que não dá qualquer sintoma.

É o que acontece com pequenos traumatismos (simples quedas, por exemplo) ou até com banais injecções intramusculares.

Só quando é muito acentuada é que podem surgir lesões como as descritas.

A seguir, apontam-se algumas das causas de rabdomiólise, nem todas necessariamente graves:

  • Traumatismo muscular (em particular se com esmagamento associado).
  • Exercício físico acentuado, fora do habitual.
  • Choque eléctrico, queimaduras, ossos partidos, ou uma lesão que envolva um esmagamento, como por exemplo um acidente rodoviário ou o desmoronamento de um edifício.
  • Álcool e abuso de drogas ou overdose.
  • Consumo excessivo de cafeína.
  • Toma excessiva de medicamentos como aspirina, teofilina, calmantes e antidepressivos.
  • Lesão tóxica dos músculos, como no tétano, nas mordeduras de cobra ou de aranha, ou na exposição ao monóxido de carbono.
  • Infecções graves.
  • Doenças hereditárias dos músculos (doenças familiares, que podem ser passado para os filhos e para os netos).
  • Doenças musculares como a polimiosite e a dermatomiosite.
  • Alguns tipos de cancro.
  • Músculos que não têm um bom fornecimento sanguíneo e não recebem oxigénio suficiente. De igual modo, quando os músculos sofrem uma grande pressão, ou ficam numa posição invulgar durante muito tempo.
  • Ataques epilépticos (convulsões).

Sinais e sintomas de rabdomiólise

Com a rabdomiólise podem surgir dores musculares, inchaço e fraqueza nas pernas, nos braços ou no fundo das costas.

Também podem surgir:

  • Sangue na urina ou urina com cor de Vinho-do-Porto.
  • Equimoses ou vermelhidão nos músculos.
  • Frequência cardíaca acelerada.
  • Náuseas e vómitos.
  • Dificuldades respiratórias.
  • Diminuição do volume de urina.

Diagnóstico

Análises ao sangue e à urina: A pesquisa de mioglobina no sangue e na urina são os exames fundamentais para o diagnóstico.

Outros exames, nomeadamente à forma como os rins estão a trabalhar, são também decisivos para avaliar como é que o organismo está a reagir à rabdomiólise e que orientação terapêutica será necessária.

Pode precisar de tirar sangue mais do que uma vez.

Sinais vitais: Incluem tirar a temperatura, medir a pressão arterial e as frequências cardíaca e respiratória.

Os seus sinais vitais são medidos para que os médicos possam avaliar a forma como está a reagir.

Ressonância Magnética Nuclear (RMN): Durante a RMN são obtidas imagens dos músculos lesados.

Os médicos utilizam estas imagens para procurar as possíveis causas da rabdomiólise, caso não sejam evidentes pela clínica.

Cuidados a ter

Pelo que ficou exposto, deve cumprir com as ordens médicas ajustadas à situação específica de Rabdomiólise.

O repouso e a ingestão de líquidos adequados são fundamentais.

Riscos e Complicações

A insuficiência renal aguda é a principal e mais grave das complicações que podem surgir na sequência de uma rabdomiólise.

Os seus médicos estarão atentos ao desenrolar da situação.

Tratamento da rabdomiólise

Na maior parte dos casos a rabdomiólise não justifica qualquer tratamento para além de uma hidratação adequada, habitualmente feita através da administração de soros e da ingestão de líquidos.

Quando a sua gravidade afecta os órgãos internos, muito em particular os rins, de forma grave torna-se necessário proceder a tratamento mais intensivo, que pode chegar à realização de hemodiálise (rim artificial).

Os médicos utilizam as análises ao sangue e à urina para descobrir a gravidade da rabdomiólise.

Descrevem-se, de seguida, alguns dos meios de tratamento e os cuidados que podem vir a ser necessários:

Repouso: De início, o doente pode precisar de ficar na cama, para que os músculos se recomponham e as dores não se agravem ao querer fazer exercício com músculos muito magoados.

Beber líquidos: Dependendo da gravidade da Rabdomiólise e da sua repercussão renal, pode precisar de beber muitos ou poucos líquidos.

Siga rigorosamente as instruções do seu médico.

Devem-se preferir líquidos como a água, os sumos ou o leite.

Limite a quantidade de cafeína que bebe, presente em substâncias como o café, o chá e alguns refrigerantes.

Transfusão sanguínea: Pode precisar de fazer uma transfusão sanguínea se existir uma anemia grave, por vezes associada ao incidente que provocou a rabdomiólise (acidentes graves, com perda de sangue e esmagamento muscular).

Colocação de Cateter Venoso Central (CVC): É um cateter (tubo de plástico flexível, de reduzido diâmetro) colocado numa veia de grande calibre perto da clavícula (no pescoço) ou numa virilha.

O CVC pode ser utilizado para administrar soros, medicamentos ou para avaliar o comportamento do coração.

Diálise: Vulgarmente designada por “rim artificial.”

Este procedimento limpa o sangue quando os rins não estão a funcionar adequadamente.

A água e as substâncias acumuladas, são removidas do sangue através de uma máquina de diálise.

Algaliação: É um tubo que é colocado na bexiga para drenar a urina.

Desta forma procura-se evitar que o doente tenha de se levantar, permitindo um rigoroso controlo da quantidade de urina que sai do organismo.

Não puxe a algália, pois poderá magoar-se ou até sangrar. Não levante o saco de urina acima do cateter.

Se o fizer, a urina volta à bexiga. Isto pode provocar uma infecção.

Medicamentos

  • Analgésicos: Os médicos podem receitar medicamentos para reduzir as dores musculares.
  • Diuréticos: Os diuréticos eliminam os fluidos que se possam ter acumulado no corpo ou nos pulmões. A eliminação destes líquidos excedentários ajuda os pulmões e os rins a funcionarem melhor.
  • Antibióticos: Podem ser administrados para ajudar a combater estados infecciosos que, com alguma frequência, agravam ou precipitam uma Rabdomiólise.

Oxigénio: Pode ser administrado através de uma máscara plástica ou de sondas nasais (tubos curtos e finos) sobre a boca ou o nariz.

Cirurgia

Pode precisar de ser operado, dependendo da gravidade da sua lesão.

Por vezes, os músculos lesados incham muito, provocando pressão sobre os vasos sanguíneos e sobre os nervos que passam pelo seu interior.

Uma fasciotomia é uma cirurgia para cortar os tecidos que envolvem os músculos (aponevroses), o que diminui a pressão do inchaço sobre os vasos e os nervos.

Isto acontece com maior frequência em lesões na perna e no braço.

Fotos:

Modelo da mioglobina, uma proteína relacionada com a lesão renal da rabdomiólise:

A urina de uma pessoa com rabdomiólise. Observe a caracteristica da coloração castanha, como resultado da mioglobinúria: