-->Reduzir Os Seios - Educar Saúde

Reduzir Os Seios

Publicado em 18/06/2010. Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Reduzir Os Seios

A escolha da técnica de redução mamária depende muito do volume do seio e cada cirurgião plastico especializa-se numa determinada técnica. Uma ptose mamaria (peito descaído) com hiperplasia (com aumento moderado) não pode ser operada da mesma maneira do que uma gigantomastia (mamas enormes). A idade da paciente também é importante. O que interessa é conseguir-se uma forma bonita com o mínimo possível de cicatrizes.

As cicatrizes nesta cirurgia são habitualmente uma periareolar, uma vertical e uma submamária. Pretende-se que esta última seja o mais pequena possível. “Por vezes, para se conseguir uma cicatriz mais pequena, prejudica-se a forma. Ora se aquilo que motiva o cirurgião plástico é sobretudo a forma, então o melhor para se ter uma boa forma é que se faça a cicatriz do tamanho que se tem necessidade”, diz Godinho de Matos.

Gomes da Silva também afirma que o grande óbice das reduções mamárias são as cicatrizes. “Não têm só a ver com a técnica que se utiliza, mas com as características individuais de cada pessoa, a forma como se cicatriza. Sabe-se que os mais jovens e as pessoas de pele escura cicatrizam pior. A técnica cirúrgica também poderá ter algo a ver com isso, mas tem menos do que com estes factores de que lhe falei”, acrescenta o médico. Francisco Campos usa nesta operação bisturis eléctricos, não deixa drenos (tubos que servem para tirar sangue) e não interna os doentes.

Carlos Pires lembra que o médico tem não só que atender à forma do peito – “que é o factor número um para a maior parte das pessoas”- , como à sensibilidade – “porque não faz sentido uma jovem ir corrigir o peito e depois ele ficar insensível”. E reforça a ideia de que o tamanho e a natureza da cicatriz é muito importante.

O cirurgião plastico tem a obrigação de escolher a técnica que se adequa a cada caso, mas muito importante é fazer perceber às pacientes os prós e os contra da intervenção. “Não é porque a pessoa quer alterar o peito, diminuir um bocadinho, que se deve fazer a vontade à paciente. Temos obrigação de a informar – o lado positivo é este, o negativo é este. Sem pretender dourar a pílula. Gosto até de ser um bocadinho pessimista. E depois a paciente resolve se vale ou não a pena”, acrescenta o médico.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Equipe Editorial

A essência da medicina não se restringe apenas ao diagnóstico e prescrição. A verdadeira missão está em informar, acolher, participar, apoiar e confortar as pessoas em suas dores e sofrimentos. Em ser uma referência técnica e humana em momentos de intensa insegurança e medo.

Todos os artigos desenvolvidos pela nossa equipe editorial são revisados por médicos da sua especialidade, esforçando-nos sempre para ser objetivos e apresentar os dois lados do argumento. Pode consultar a nossa equipe de especialistas Aqui

A nossa equipe concentra-se assim em garantir que o conteúdo, os produtos e os serviços fornecidos pela plataforma mantenham os mais elevados padrões de integridade médica, ajudando a garantir que todas as informações que o usuário recebe, sejam precisas, e baseadas em evidências, atuais e confiáveis.

Para além disso, todo o conteúdo é revisado e atualizado continuamente para garantir a sua precisão.

O processo de atualizações é simples.

Sabemos que os padrões de tratamento para algumas condições, como o câncer e a diabetes (por exemplo) mudam e estão em constante evolução, de modo que, existem conteúdos que devem ser revisados com maior frequência, de forma a garantirmos que a informação existente e recém-publicada reflita sempre as informações mais precisas e atuais. Saiba mais sobre nós Aqui

Se encontrou alguma imprecisão ou erro nos nossos conteúdos, informe-nos através da nossa página de Contato.