Reflexo Condicionado

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Ivan Pavlov ao estudar as secreções gástricas, descobre que, para além dos reflexos inatos podem-se desenvolver tanto nos seres humanos como nos animais reflexos aprendidos.

Porém na sua experiência e à medida que ela vai decorrendo apercebe-se que o cão não só salivava quando via o alimento reflexo inato, mas também a sinais associados como por exemplo o som da campainha.

Designou este comportamento por reflexo condicionado. Para Ivan Pavlov, aquilo que se dominava por espírito mais não era do que a actividade do cérebro.

Pavlov pensava ser o estudo dos reflexos condicionados um excelente meio para aceder ao funcionamento dos hemisférios cerebrais e, mais concretamente, ao seu córtex, o córtex cerebral.

Sabia que os reflexos incondicionados ou inatos assentam em estruturas nervosas subcorticais e que os condicionantes dependiam do córtex cerebral e a partir daqui empreendeu a tarefa de atingir o conhecimento dos mecanismos do córtex, por via do funcionamento dos reflexos condicionais.

Ou por outras palavras, Pavlov estudou o funcionamento do córtex, mas fê-lo indirectamente. Encontrou as leis que regem a formação dos reflexos, a sua extinção, a sua generalização, a sua discriminação, a sua recuperação espontânea, etc., o que é algo directamente comportamental – e por conseguinte, psicológico – e a partir daqui inferia algo que, claro não observava directamente: o modo como funcionam os hemisférios cerebrais.

O que é paradoxal é que Ivan Pavlov é um autor ultrapassado naquilo que verdadeiramente o interessava, o psicofisiológico. Está-o porque, actualmente, os cientistas dispõe de métodos de observação directa do córtex, muito mais exactos e objectivos do que as inferências pavlovianas.

O facto de a Psicofisiologia contar actualmente com métodos de observação muito apurados e que não tenha de se apoiar exclusivamente na análise do comportamento, como ocorria com Pavlov, reflecte-se por outro lado, no facto de se ter a Psicofisiologia tornado um ramo da ciência com a sua própria autonomia.

Foi o criador de um método experimental e objectivo sem igual, para o estudo do comportamento, quanto por ter aberto, de modo sistemático e teórico, o caminho ao estudo do campo básico da aprendizagem.

A experiência de Pavlov

Pavlov descreve pormenorizadamente as suas experiências no livro Reflexos Condicionados. Para se certificar de que estímulos estranhos não afectariam a experiência, procurou controlar as condições em que esta decorre.

· Estímulo não condicionado ou incondicionado

Quando o experimentador apresentava a carne ao animal, ele salivava. Neste caso, a salivação é uma resposta não condicionada (R1), isto é, inata, não aprendida. O estimulo que a provocou designa-se por estimulo não condicionado ou incondicionado.

Alimento–>Salivação

EI                         RI

· Estímulo Neutro

Posteriormente, Pavlov fez acompanhar a carne (E1), de um toque de campainha (E2-estimulo neutro) e verificou que o cão salivava.

Campainha + Alimento–>Salivação

EN              EI               RI

· Estímulo Condicionado

O experimentador repete vária vezes esta associação de estímulos o que leva o cão a esperar que a carne apareça ao toque da campainha. Passado algum tempo, Pavlov constata que o cão salivava quando ouve a campainha.

Campainha–>Salivação

EC                       RC

Algumas Noções…

1. Reflexo Condicionado, é uma resposta aprendida a 1 estimulo inadequado. A quantidade de saliva segregada constitui a intensidade de resposta do animal;

2. Extinção, designa a diminuição e/ou extinção de uma resposta condicionada devido á ausência de estímulo não condicionado;

3. Generalização de Estímulos, tendência para responder a estímulos semelhantes ao estímulo condicionado;

4. Discriminação, Pavlov constata que os cães aprenderam a responder a um toque particular de campainha, distinguindo-o dos outros sons.