Conheça a Ligação entre a Doença do Refluxo Gastroesofágico e a Asma

Revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653). Publicado em 10 de novembro de 2016

Vários estudos indicam que existem algumas ligações entre a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e a asma. Mas, será que o refluxo gastroesofágico causa asma em pessoas que de outra forma não teriam asma?

Doctor analyzing X Ray of Human Lungs on a light box at Medical School

Doctor analyzing X Ray of Human Lungs on a light box at Medical School

Não, contudo, se a asma estiver fora de controlo, especialmente com sintomas nocturnos, o distúrbio gastrointestinal pode ser um dos motivos.

Embora os estudos tenham mostrado que existe uma ligação entre a asma e o refluxo gástrico, trata-se de uma relação que continua incerta. A doença pode agravar os sintomas da asma, mas a asma e alguns medicamentos para a asma podem também, por sua vez piorar os sintomas da doença.

No entanto, o tratamento do refluxo gastroesofágico pode ajudar a aliviar os sintomas da asma.

Alguns estudos também têm mostrado que o tratamento dos sintomas típicos do refluxo gástrico pode melhorar a qualidade de vida das pessoas com asma, mas aqueles que sofrem da “doença do refluxo gastroesofágico silenciosa” (doença sem o sintoma clássico da azia) não mostraram melhoria dos sintomas da asma após o tratamento.

O que pode levar um médico a considerar a DRGE como causa da asma?

  • Quando a asma surge na idade adulta ou,
  • Quando os sintomas da asma pioram depois das refeições, depois do exercício, durante a noite ou depois de estar deitado.

O que você pode fazer se tiver DRGE e asma?

Falar com o seu médico é importante. É importante que tome a medicação que o seu médico prescreve de forma consistente. Isto aplica-se tanto aos medicamentos prescritos para a asma como para a DRGE.

Também é importante controlar a exposição à asma e à azia tanto quanto possível. O seu médico e você podem discutir sobre o que desencadeia a asma e a azia e melhor forma de poder evitá-las.

O próximo passo é tomar algumas medidas preventivas para controlar os sintomas da DRGE. Estes incluem:

Dormir com a cabeça e o ombro inclinado

Deitado deste modo pressiona os conteúdos do estômago contra o esfíncter esofágico inferior. Com a cabeça mais alta que o estômago, a gravidade ajuda a reduzir esta pressão, e mantém os conteúdos do estômago, onde eles pertencem (ao estômago).

Você pode elevar a cabeça de várias formas. Pode colocar tijolos, blocos ou qualquer coisa que seja resistente e segura sob as pernas da cabeceira da sua cama. Também pode usar um travesseiro em forma de cunha para elevar a cabeça.

Dormir para o lado esquerdo

Os estudos têm mostrado que esta posição auxilia na digestão e ajuda na remoção do ácido do estômago. Dormir para o lado direito piora a azia.

Coma pelo menos duas a três horas antes de se deitar

Se fizer uma sesta, tente dormir numa cadeira. Estar deitado com o estômago cheio pode levar a que os conteúdos do estômago pressionem com mais força o esfíncter esofágico inferior, aumentando a chance de refluxo dos alimentos.

Evite alimentos que causam causar azia

Há alimentos que podem causar-lhe azia, quer através do aumento da produção de acidez como da pressão gástrica. Também deve, evitar alimentos que podem irritar a mucosa do esófago, tais como os alimentos picantes, café, sucos e frutas cítricas.

Se ingerir qualquer um destes alimentos na hora de jantar, vai aumentar as chances de ter azia durante a noite. Se você não tem a certeza de quais os alimentos que accionam os sintomas de azia, tente manter um registo de azia durante uma semana e quais os alimentos que ingerir.

Elimine os lanches à noite

O seu último lanche, deve ser o mais tardar duas horas antes de se deitar.

Pare de fumar

A nicotina pode enfraquecer o esfíncter esofágico inferior, o que pode levar a que os conteúdos do estômago entrem no esófago, tendo como resultado a azia. Fumar também estimula a produção de ácido estomacal. Por isso deve parar de fumar se você sofrer de azia.

Evite o álcool

O álcool aumenta a produção de ácido estomacal e relaxa o esfíncter esofágico inferior, permitindo que os conteúdos do estômago regressem para o esófago através de refluxo. Conheça alguns Medicamentos Utilizados no Tratamento do Alcoolismo, se no seu caso necessitar de ajuda.

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653)

Nutricionista Clínica - CRN-6 nº 23653

A Drª Raquel Pires é Nutricionista, Health Coach e Personal Diet, com grande experiência em atendimento em consultório e Idealizadora do Projeto ESD (Emagrecimento sem Dor).

Formação Acadêmica

- Graduada pela Universidade Santa Úrsula. - Pós Graduada em Nutrição Clínica. - Pós Graduada em Prescrição de Fitoterápicos e suplementação Nutricional Clínica e Esportiva. - Pós Graduada em Nutrição Aplicada ao Emagrecimento e Estética.

Também pode encontrar a Drª Raquel no Linkedin, Facebook e Youtube

Marcação de consultas 85-99992-2120

Última atualização da página em 12/08/19