10 Remédios Caseiros para Candidíase Vaginal

Conteúdo revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653). Última Atualização: 22/07/20

A candidíase vaginal é um tipo de infecção íntima presente na vida da maioria das mulheres, pelo menos uma vez na vida. Na realidade, ela afeta 3 em cada 4 mulheres em algum momento das suas vidas. Podendo até, algumas mulheres, serem infectadas com a bactéria, mais que uma vez. Ou seja, se não for bem tratada, pode ser recorrente.

Continua depois da Publicidade

foto-de-candidiase-vaginal

A candidíase vaginal, também conhecida como uma infecção vaginal causada por leveduras ou vulvovaginite por Cândida, ocorre devido ao crescimento excessivo de leveduras (Candida albicans) na vagina.

Sob condições normais, a vagina contém uma mistura de leveduras (fungos) equilibrada, incluindo o gênero Candida e outras bactérias.

As bactérias produzem ácido, o que impede o crescimento de leveduras. Quando o equilíbrio que ocorre naturalmente entre a levedura (Candida albicans) e as boas bactérias é interrompido, dá-se o desenvolvimento de uma infecção por fungos, também conhecida como micose, que neste caso é uma micose vaginal.

Sintomas

O sintoma mais comum de candidíase vaginal é coceira na vagina e da vulva, que por vezes é bastante intensa.

Outros sintomas incluem sensação de queimação (ardor) ao urinar, corrimento vaginal branco e espesso, com a aparência do queijo cottage, dor durante a relação sexual, vermelhidão e dor ao redor da vagina.

Causas

Embora não seja classificada como uma doença sexualmente transmissível, o problema é mais comum em mulheres mais ativas sexualmente.

Outros fatores de risco incluem tomar antibióticos, gravidez, diabetes não controlada, imunidade comprometida, Síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA/AIDS), e uso de contraceptivos orais ou uso de terapia hormonal para aumentar os níveis de estrogênio no corpo.

A maioria dos casos de candidíase vaginal são facilmente tratáveis. Existem cremes para uso interno, Comprimidos orais (fluconazol), e comprimidos vaginais, que podem ajudar a reduzir os sintomas de candidíase vaginal.

Remédios Caseiros para a Candidíase Vaginal

remedios-caseiros-para-a-candidiase-vaginal

Entenda que estes remédios são apenas um complemento ao tratamento médico para a candidíase vaginal e não deverão substituí-lo. Podem sim, ajudar a fortalecer as defesas do organismo.

Iogurte

Iogurte Natural

O Iogurte contém bactérias boas ou probióticos e, portanto, ajuda a manter o equilíbrio de bactérias boas e evitar o sobrecrescimento de leveduras.

Um estudo realizado em 1992, publicado no Annals of Internal Medicine, relata que a ingestão diária de 8 onças de iogurte contendo Lactobacillus acidophilus diminuiu a colonização e infecção por fungos do género Candida albicans.

Continua depois da Publicidade

Outro estudo realizado em 2012, publicado na revista Archives of Gynecology and Obstetrics relata que a mistura de mel de abelha e iogurte produziu uma taxa de cura clínica elevada e uma taxa de cura micológica razoável em pacientes com candidíase vulvovaginal durante a gravidez.

Um estudo publicado em 2003 no FEMS Immunology and Medicinal Microbiology relata que a combinação de probióticos L. rhamnosus GR-1 e L. fermentum RC-14 é segura para uso diário em mulheres saudáveis e pode reduzir a colonização da vagina por bactérias patogénicas e leveduras.

Numa pesquisa de investigação realizada em 2006, publicada no Journal of Antimicrobial Chemotherapy, os especialistas descobriram que alguns probióticos, especialmente os L. acidophilus, L. rhamnosus GR-1 e o L. fermentum RC-14 podem ser eficazes contra a Candida albicans.

No entanto devem ser realizados ensaios com amostras maiores para uma opinião mais conclusiva.

Inclua iogurte contendo culturas vivas (ativas) na sua dieta. Pode também optar por tomar suplementos probióticos, mas apenas sob consulta médica.

Conheça 7 Sintomas de Fungos Candida (e como se livrar deles)

Óleo de coco

oleo-de-coco

O óleo de coco destaca-se como um excelente remédio natural para candidíase vaginal. Ele possui propriedades antifúngicas bastante eficazes que podem matar os fungos responsáveis pelas infecções fúngicas.

Um estudo realizado em 2007, publicado no Journal of Medicinal Food analisou a eficácia do óleo de coco contra uma extensa variedade de organismos fúngicos e descobriu que as gorduras de cadeia média presentes no óleo de coco são eficazes na destruição de 52 tipos de espécies de Candida.

Pode incluir o óleo de coco na sua alimentação. Comece com 1 colher de chá de óleo de coco extra-virgem por dia e aumente gradualmente a dosagem até 3 colheres de sopa por dia.

Vinagre de maçã

vinagre-de-maca-para-ardor-e-coceira-vaginal

As enzimas naturais presentes no vinagre de maçã ajudam a regular o pH da vagina, que por sua vez ajuda a prevenir o crescimento de fermentos.

Além disso, a vinagre de cidra aumenta a imunidade e a boas bactérias no intestino e vagina, o que ajuda na prevenção, bem como no tratamento da candidíase vaginal.

Além disso, o vinagre de maçã tem ácido málico contendo antiviral, antibacteriana e antifúngica.

1- Adicione 3 colheres de sopa de vinagre de maçã orgânico (não filtrado) a 2 xícaras de água morna. Use esta solução para lavar a área vaginal, 2 vezes ao dia, até notar uma melhoria da infecção.

2- Misture 2 colheres de vinagre de maçã orgânico a um copo de água morna. Beba-o duas vezes por dia durante alguns dias.

Continua depois da Publicidade

Ácido Bórico

supositorios-vaginais-de-acido-borico

O ácido bórico contem propriedades anti-sépticas e anti-fúngicas e é eficaz no tratamento da candidíase vaginal.

Um estudo realizado em 2007, publicado na Diabetes Care, relata que as mulheres diabéticas com candidíase vulvovaginal mostraram uma cura micológica mais elevada com o uso de supositórios vaginais de ácido bórico, aplicados durante 14 dias, em comparação com a dose oral única de 150 mg de fluconazol.

Um estudo realizado em 2011, publicado no Journal of Women’s Health sugere que o ácido bórico é uma alternativa económica e segura para as mulheres com sintomas crônicos recorrentes de vaginite, quando o tratamento médico convencional falha, devido ao envolvimento de Estirpes/cepas resistentes ao fluconazol.

Nota: Uma vez que o ácido bórico pode ocasionalmente causar ardência vaginal, não deve ser usado com frequência ou durante a gravidez.

Aloe Vera

Retirar gel do Aloe Vera

O Aloe vera contém vitaminas, enzimas e aminoácidos que ajudam a inibir o crescimento de Candida.

Ele também oferece propriedades anti-inflamatórias, anti-irritantes e anti-fúngicas que ajudam a controlar e tratar a candidíase vaginal.

Um estudo realizado em 2012, publicado no Mycoses journal, constatou que o extrato das folhas frescas do aloe vera podem ajudar a reduzir o crescimento e formação de tubo germinativo de Candida albicans.

Prepare o suco de aloe vera misturando 2 colheres de sopa de gel de aloe vera e 1 xícara de suco de laranja ou apenas água pura. Beba o suco de aloe uma vez por dia durante alguns dias.

Nota: Não beba suco de aloe em excesso, pois pode causar desconforto gastrointestinal.

Óleo de Orégano

oleo-essencial-de-oregano

O óleo essencial de orégano, elaborado a partir do orégano selvagem da espécie Origanum vulgare, é outro tratamento bastante eficaz no tratamento da candidíase vaginal.

O óleo de orégano contém dois agentes antimicrobianos naturalmente presentes na erva, o carvacrol e o timol, que ajudam a desidratar e matar as células de leveduras do gênero Candida.

Este óleo, é não só um agente antifúngico, como também tem propriedades antivirais, antibacterianas e anti-inflamatórias.

Um estudo realizado em 2001, publicado no jornal Molecular and Cellular Biochemistry, relata que o óleo de orégano selvagem estagnou ou abrandou o crescimento de leveduras.

Pode tomar 1 ou 2 cápsulas de óleo de orégano duas vezes por dia durante uma semana.

Nota: Uma vez que este óleo é um anticoagulante natural, não o deve tomar se estiver a tomar diluentes de sangue ou se tiver problemas de coagulação do sangue.

Além disso, as mulheres grávidas devem também evitá-lo.

Óleo da árvore do chá

O óleo da árvore do chá (melaleuca alternifolia) é um potente agente anti-séptico que pode ajudar a tratar a infecção vaginal causada por leveduras de forma eficaz.

Continua depois da Publicidade

No entanto, ele deve ser sempre usado na forma diluída.

oleo-essencial-de-arvore-de-cha-malaleuca

Um estudo realizado em 2003, publicado no Journal of Antimicrobial Chemotherapy, realça a eficácia terapêutica do óleo da árvore do chá contra fungos, em particular, contra a cândida albicans.

Um estudo realizado em 2006, publicado no Clinical Microbiology Reviews, mostra que uma extensa variedade de leveduras, dermatófitos e outros fungos filamentosos, são sensíveis ao óleo da árvore do chá.

Adicione algumas gotas de óleo da árvore do chá na banheira e use-o num banho de imersão.

Nota: Nunca ingerira o óleo da árvore do chá. As mulheres grávidas não devem usar o óleo da árvore do chá, sob qualquer forma.

Alho

alho

O alho é um outro remédio herbal claramente eficaz para tratar a candidíase vaginal moderada.

Ele tem propriedades antifúngicas naturais que ajudam a controlar o crescimento de leveduras e, portanto, proporciona alivia o desconforto de alguns sintomas.

Um estudo realizado em 2005, publicado no jornal científico Antimicrobial Agents and Chemotherapy, destaca a atividade antifúngica do extrato de alho fresco contra a candida albicans.

Coma alguns dentes de alho frescos por dia e inclua-o também nas suas receitas culinárias. Também pode optar ingeri-lo em forma de comprimidos, cápsulas de alho, mas apenas após consultar o seu médico.

Extrato da Folha de Oliveira

extrato-de-folha-de-oliveira

O extrato de folha de oliveira é outro remédio caseiro eficaz devido às suas potentes propriedades antivirais e antifúngicas que podem afastar os parasitas em crescimento e reprodução dentro do nosso organismo.

É também benéfico a restabelecer o equilíbrio entre as boas bactérias e as leveduras presentes na vagina.

Beba 2 a 3 xícaras de chá de folhas de oliva diariamente. Para fazer o chá, coloque 1 a 2 colheres de chá de folha de oliveira numa chávena de água fervente durante 10 a 15 minutos, coe, e tome.

Pode também optar por tomar o extrato de folha de oliveira (250 a 500 mg) 3 vezes ao dia. No entanto, consulte sempre o médico para uma dosagem mais apropriada para o seu caso.

Bicarbonato de Sódio

Bicarbonato de Sódio

O bicarbonato de sódio é um outro poderoso assassino de leveduras e fungos, o que o torna muito eficaz no tratamento de infecções vaginais causadas por leveduras.

De acordo com um estudo realizado em 2009, publicado na Brazilian Oral Research, a solução de 5% de bicarbonato de sódio é eficaz no combate do fungo candida albicans.

Dissolva ½ colher de chá de bicarbonato de sódio num copo de água e beba uma vez por dia com o estômago vazio durante 2 semanas. Faça uma pausa de 2 semanas e repita novamente por mais 2 semanas.

Dicas adicionais

  • Para reduzir o risco de candidíase vaginal, use roupa íntima de algodão e calças ou saias largas. Não usar calcinha ou meia-calça (colãs) apertadas.
  • Se as suas roupas ficarem molhadas, troque-as imediatamente.
  • Evite banheiras de hidromassagem e banhos muito quentes.
  • Evite o uso de tampões ou absorventes perfumados.
  • Evite o uso de pós e sprays perfumados na área genital.
  • Mude a roupa interior diariamente e lave-a em água quente.
  • Evite passar o chuveiro diretamente na vagina porque pode matar as boas bactérias que impedem as infecções vaginais.
  • Limpe as áreas externas da vagina apenas com água e sabonete sem sabão e sem perfume.
  • Realize uma dieta bem equilibrada, com refeições que incluam, legumes, cereais integrais, peixe e carne magra.
  • Elimine o açúcar, as comidas sem qualidade e os aditivos alimentares da sua dieta.
  • Reduza o uso de antibióticos.

Conheça aqui, 9 Tratamentos Caseiros para prevenir a Tricomoníase


Outras Referências
  • http://femsim.oxfordjournals.org/content/35/2/131.long
  • http://jac.oxfordjournals.org/content/58/2/266.full
  • http://annals.org/article.aspx?articleid=705341
  • http: //www.ncbi. nlm.nih.gov/pubmed/17651080
Autores
Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653)

Nutricionista Clínica - CRN-6 nº 23653

A Drª Raquel Pires é Nutricionista, Health Coach e Personal Diet, com grande experiência em atendimento em consultório e Idealizadora do Projeto ESD (Emagrecimento sem Dor).

Formação Acadêmica

- Graduada pela Universidade Santa Úrsula. - Pós Graduada em Nutrição Clínica. - Pós Graduada em Prescrição de Fitoterápicos e suplementação Nutricional Clínica e Esportiva. - Pós Graduada em Nutrição Aplicada ao Emagrecimento e Estética.

Também pode encontrar a Drª Raquel no Linkedin, Facebook e Youtube

Marcação de consultas 85-99992-2120

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

Encontrou um erro? Está faltando a informação que está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


    Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
    Última atualização da página em 22/07/20